Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Educar (Com)Vida

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

Estudar com o irmão… rotina ou impossibilidade?

Diálogo entre mim e um/a estudante de 2º ciclo:

«Eu: _A tua irmã é mais nova do que tu! Já anda na escola?

Estudante: _Sim….

Eu: E tu ajudas a tua irmã a fazer os TPC’s?

Estudante: _Não, como ela não anda em Explicações/ATL e eu ando… ela quando chega a casa vai fazer os trabalhos de casa e eu vou brincar, porque já os fiz e também preciso de brincar…»

 

Deste diálogo posso retirar duas informações muito importantes para reflexão:

1ª – muitos são os irmão que ajudam os mais novos a realizarem os trabalhos da escola, ou a tirarem dúvidas, mas penso que, a maioria não tem muita disponibilidade e paciência para fazer os seus trabalhos e, ainda, dedicar tempo aos trabalhos do(s) irmão(s)… ficando esse apoio para outros elementos da família ou para os Explicadores/ATL’s.

2ª – a necessidade das crianças e a ansia pelos momentos de brincadeira e pelo tempo livre é sempre muito grande, principalmente, depois de um longo dia de escola, aos quais se acrescentam outras atividades extracurriculares e que, em muito, ocupam o tempo diário da criança… claramente, é de lembrar que brincar também é saudável e importante para o desenvolvimento. Destas brincadeiras não estou a incluir jogos de consolas, nem horas em frente aos ecrãs.

 

3ª – explicar a matéria e orientar nos TPC’s, de forma geral, são planos difíceis para toda a família (pais, irmãos)… todos já estão cansados das suas rotinas diárias e, no final de um dia atarefado, o à vontade com o familiar, pode despoletar zangas e birras. Por norma, ou são rotinas muito bem estruturadas em família, ou nem sempre decorre da melhor forma.

Com qual das três reflexões mais se identificam? Por aí, os irmãos ajudam ao estudo?

tpc.jpg

 

Ele/a ignora os TPC’s…

Crianças e jovens têm muita técnica na arte de ignorar os TPC’s, de os apagar da memória, mesmo que apenas tenham passado algumas horas após a anotação dos mesmos.

Se a criança ou jovem que conhece tem essa técnica bastante aprimorada, então, este Post é para si.

Seguidamente, irei escrever algumas propostas para melhorar esta situação mas, antes disso, um conselho, não se desespere com a situação, é parte integrante do desenvolvimento da criança essa responsabilização… com o tempo e a orientação certa, tenderá a melhorar!

Vamos às dicas:

  • Coloque como rotina diária, verificar em todos os cadernos se existem TPC’s apontados;
  • Existem estudantes que preferem ter uma folha ou caderninho para apontar os trabalhos de casa, veja se hipótese funciona melhor;
  • Os TPC’s são para fazer logo após o final das aulas, mesmo que não sejam necessários para o dia seguinte;
  • O fim de semana é para estudar e não para fazer trabalhos de casa, a exceção surge apenas se for indicado pelo professor;
  • Explique que a escola é a maior responsabilidade do estudante e que não deve falhar;
  • Tenha uma secretária bem organizada para os TPC’s e estudo, distante da TV, barulho ou telemóvel;
  • Confira a caderneta ou na plataforma da escola para ver se existem faltas de TPC com regularidade;
  • Quando o estudante não consegue fazer os TPC’s é porque não percebeu a matéria dada, deve ser-lhe explicado de novo, em casa, nas explicações ou na escola.

Tem alguma regra de ouro que possa aqui acrescentar e qua ajude os nossos leitores?

ideias_propostas.jpg

 

As mentiras sobre TPC’s e testes!

Quantas vezes os estudantes afirmam não terem trabalhos de casa para fazer ou testes marcados… alguns mentem propositadamente, outros não se recordam distraidamente!

Contudo, esta atitude deve ser desincentivada e se necessário punida com algum castigo, procurando-se assim, o desenvolvimento da responsabilidade, da maturidade e do gosto pelo trabalho alcançado.

Sei também, que atitudes e distrações destas levam o seu tempo até serem completamente abandonadas, por isso ficam aqui algumas propostas de ação:

  • Tenha uma tabela para preencher com as datas de testes e obrigue a que esteja atualizada; (podem encontrar essas tabelas aqui)
  • Reveja sempre os cadernos, com o estudante, para confirmarem se existem apontamentos de tpc’s;
  • Tenha o número de telemóvel de um colega e, quando surgirem dúvidas, ligue a perguntar;
  • Se estes esquecimentos forem continuados estabeleça um castigo, para quando acontecerem;
  • Mantenha reuniões regulares com o diretor de turma e converse com ele sobre isso;
  • Converse com o estudante sobre a necessidade de ser responsável;

 

Comece sempre pelo diálogo, porque muitas vezes este esquecimento pode ser um alerta de que algo não está normal e o problema pode advir: da escola; da família; do próprio…

HPIM1660.JPG

 

TPC e Estudar: diferenças?!?!?

Quantas vezes dizemos a um estudante “Vai estudar!” e ele rapidamente nos responde: “Já estudei, já fiz os TPC’s”… será isto efetivamente estudar? Se não é estudar então os TPC serão o quê?!?!

Sobre este assunto gostaria de deixar aqui a minha opinião, sendo que, não considero que a realização dos Trabalhos Para Casa sejam um estudo diário, não quero com isto dizer que não devam existir no quotidiano de um estudante, dentro de determinados parâmetros.

Assim, gostaria de assumir que os TPC, para mim, tornam-se importantes como forma de memorizar e perceber melhor a matéria dada na aula, até mesmo para o estudante desenvolver a consciência de que adquiriu ou não os conhecimentos da última matéria lecionada. Os trabalhos de casa tornam-se também forma de desenvolver a responsabilidade para com cada disciplina e para com os professores. Estes trabalhos sendo propostos, em consciência profissional, com ‘peso e medida’, ou seja, sem demasias, torna-se pertinente na educação escolar atual.

Contudo, os TPC não são um estudo contínuo, suficiente e metódico, para os estudantes que desejam atingir bons resultados escolares. Pela minha experiência, entendo também que muitos estudantes não têm métodos de estudo adequados, não sabem estudar individualmente e apresentam algumas dificuldades em desenvolver esse hábito.

Torna-se assim, bastante importante ensinar e motivar a Estudar… deixarei algumas orientações sobre o desenvolvimento desta motivação no próximo Post!   

Estudar.png

 

Os pais e os TPC’s… será de perder a cabeça?

Quantas e quantas vezes conversei com pais/mães que me referem não estar a conseguir acompanhar os filhos nos estudos de casa, porque se enervam, porque eles estão tão atentos, porque eles não prestam a atenção… e se não são os pais a dize-lo, muitas vezes são os estudantes a assumi-lo!

Parece-me totalmente plausível esta situação, no final do dia de trabalho, a grande maioria dos pais já não tem capacidade psicológica para se sentar a ensinar, com a maior paciência… e para os estudantes perfeito seria que os pais se sentassem com eles a conversar  calmamente ou a fazerem atividades divertidas em conjunto, é essa a atenção que desejam.

Contudo, em casa, é necessário ensinar métodos de estudo e organização de trabalho escolar, já que este, normalmente, não é ensinado nas escolas… existem os ATL’s ou as Explicações que realizam esse apoio e orientação, que em muito ajuda o quotidiano familiar, embora não esteja, financeiramente, ao alcance de todos!

Se essa tarefa lhe compete a si (pai/mãe) posso deixar um conselho, se no decorrer do apoio começa a demonstrar nervosismo, está para começar a gritar com o estudante, o melhor é deixar que ele continue sozinho o estudo, pois, a maioria dos estudantes reage mal a este confronto, bloqueando a raciocínio lógico e assim nada de bom se ensina/aprende!

 

Aí em casa, também se sentem estes desassossegos?   

desespero copy.gif

 

Os TPC’s: as vossas opiniões e a minha

Desde já agradeço as vossas respostas ao apelo do Post anterior, sobre a vossa opinião relativamente aos TPC’s. Recebi ótimos comentários, que nos fazem partilhar ideias e pensamentos, já que, este tema é muito importante para a educação escolar, pois faz parte das atividades académicas e tem por objetivo, motivar e ensinar ao estudo, em simultâneo conta para a avaliação curricular.

Partilho de muitas das vossas opiniões, sobretudo quando me afirmam que a escola não consegue ensinar a estudar, não apoia no desenvolvimentos desses métodos e técnicas, muitas vezes, nem sequer se adapta às capacidades e necessidades dos estudantes.

Concordo em pleno com as vossas ideias de que, os TPC’s devem ser medidos, relativamente à quantidade e, para isso, os professores das várias disciplinas deveriam definir em conjunto quais os TPC’s de cada turma, para não sobrecarregar o estudante, principalmente, durante a semana.

Nos vossos comentários referem também  que, pais e irmãos são envolvidos nestes trabalhos de forma diária e intensa, sendo difícil para eles definirem até que ponto este envolvimento é correto e importante para o estudante…. Isto porque, não se pode exigir de cada pai um professor!

A tudo isto gostaria de acrescentar que, a realização dos trabalhos de casa é uma realidade em praticamente todas as escolas, já o era há muitos anos atrás e assim permanece, sem grande alteração por parte das escolas que, neste sentido, poucas regras impõe aos professores…  

Na opinião da Mestre Armanda Zenhas, os objetivos dos TPC’s são:

  • facilitar a organização do estudo necessário para fazer revisões da matéria dada e para a praticar;
  • consolidar as aprendizagens;
  • promover a autodisciplina e a responsabilidade;
  • contribuir para desenvolver a autonomia do estudante. 

 Na minha opinião, os estudantes devem ser acompanhados durante este momento, não só para confirmar que foram realizados com atenção e estudo, mas também para apoiar nas dúvidas que, certamente, irão surgir. Muitas vezes, para esta tarefa, os pais optam pelas Explicações ou ATL’s, como forma de auxílio à realização destes trabalhos diários. Para mim os TPC’s devem ser realizados de forma autónoma, apenas devem recorrer aos Explicadores quando não estão a perceber a matéria ou o exercício é de facto de difícil realização, o recurso aos Explicadores deve existir para desenvolver métodos de estudo, orientar, explicar, tirar dúvidas e colmatar falhas de aprendizagem…

 

Deixo também algumas orientações para a realização dos TPC’s:

  1. A primeira regra base é que cada estudante escreva sempre no caderno diário qual o TPC, de forma bem clara (páginas, exercícios, tarefas,…).
  2. Em casa não basta pensar quais os trabalhos que foram marcados, é necessário abrir os cadernos diários, um a um, e verificar se efetivamente têm, ou não, trabalhos a concretizar. Principalmente no 2º e 3º ciclo, devido à quantidade de disciplinas, é frequente esquecer um TPC.
  3. Os TPC’s devem ser concretizados no dia em que são propostos, esta situação só deve ser ponderada e alterada em dias em que exista uma grande quantidade de trabalhos e estes não sejam necessários no dia seguinte.
  4. Protelar os trabalhos ao fim de semana, muitas vezes até ao domingo à noite, também não é de todo a melhor forma, depois acabam por serem realizados apressadamente.
  5. Pode, o educador, que acompanha o estudante, na realização dos TPC’s, utiliza-los como forma de rever a matéria dada e perceber quais as dúvidas e dificuldades para serem colmatadas, utilizando estes trabalhos como uma base de estudo diário mais aprofundado. 

   

Para quem precisar de uma melhor organização dos TPC’s, pode optar por utilizar uma tabela como esta que aqui deixo…

tabela TPC.jpg

 

TPC: sim? não? alguns?

Esta é uma pergunta diária para quem se encontra implicado na educação de estudantes: tens trabalhos de casa para fazer?

Certo é que, a maioria de nós já se interrogou sobre estes exercícios que vêm para casa e que são imperativo de realização… é também uma prática minha refletir sobre esta questão e, assim como o/a leitor/a, tenho um olhar particular e posicionado sobre o tema. Contudo não quero para já referi-lo, quero sim ouvir/ler as vossas opiniões:

- Deverão, os estudantes, após horas de informação recebida, despenderem o pouco tempo que estão em casa, em companhia da família, para realizarem os ditos TPC?

- Caberá aos pais apoiar na realização dos TPC’s, quando nem sempre podem ou sabem faze-lo?

- Será o estudante capaz de organizar o seu tempo e método de estudo sem esta orientação vinda da escola?

- Estudarão eles o suficiente se não existirem trabalhos previamente solicitados?

- Deverão ser estes TPC’s pedidos diariamente, semanalmente? Ao fim de semana? Em cada disciplina?

 

Após me enriquecer com as vossas opiniões e experiências, pretendo deixar aqui, também, a minha posição. Como estes TPC’s são de facto uma realidade para a larga maioria de estudantes, apresentarei algumas das minhas propostas que penso poderem vir a ser um facilitador do convívio com estes.

images (33).jpg

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Vencedor:

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D