Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Educar (Com)Vida

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

Como funciona a memória?

Quantas vezes os estudantes ficam preocupados quando têm muita matéria escolar para compreender e memorizar. Acham que não conseguem decorar tudo, que se vão esquecer ou trocar informações. Contudo, é fascinante a forma como o nosso cérebro funciona e a sua capacidade para armazenar informação de uma forma bastante rápida. Para que a informação chegue ao cérebro e fique retida apresentam-se várias formas de memorização:

Memória Sensorial – esta memória recebe toda a informação advinda dos cinco sentidos:

Memória Visual: recebe informações advindas da Visão

Memória Auditiva: recebe informações advindas da audição

Memória Tátil: recebe informações advindas do tato

Memória Olfativa: recebe informações advindas do olfato

Memória Gustativa: recebe informações advindas do paladar

 

«O interessante é que a maioria das informações que são utilizadas através dos nossos sentidos são armazenadas no nosso cérebro por, pelo menos, dois segundos. Sendo necessário um tempo curto o suficiente para processar, analisar e interpretar a mensagem que chega até o nosso cérebro. Quando a informação é muito importante ela já chega para o próximo tipo de armazenamento, que é a Memória de Curto Prazo.» (In: www.portaleducacao.com.br).

Vários cientistas assumem que a memória não está centrada apenas numa parte do cérebro, ela implica todo o cérebro, para além disso, afirmam que a capacidade de memorização pode ser treinada e melhorada, aperfeiçoando-se assim técnicas.  

Seguindo estas perspetivas podemos assumir que os estudantes devem desenvolver as suas próprias técnicas de memorização sem receios nem pressas.

No próximo Post facultarei algumas técnicas de memorização que poderão ajudar no estudo diário.

aprender-a-estudar.jpg

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D