Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Educar (Com)Vida

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

Inquietude: As turmas de nível…

No meu tempo era assim, as turmas A e B eram sempre as que obtinham os melhores resultados e as que beneficiavam dos professores com mais anos de escola. Parecia que os alunos eram escolhidos a dedo, de forma a ficarem os melhores todos juntos… para o final do alfabeto ficavam os que apresentavam mais dificuldades de aprendizagem, os que reprovavam, também… Com isto, alguns, defendiam que era uma promoção de condições de aprendizagem, onde uns incentivavam os outros na obtenção de melhores resultados…

Agora coloco-vos a questão:

Isto ainda acontece nas vossas realidades, nas vossas escolas, nas escolas dos vossos filhos? Parece-vos a melhor opção, fazer esta seleção de competências? Será que existe uma efetiva promoção das melhores condições para aprender? Será esta a melhor estratégia? Existirão outras estratégias mais adequadas?

É algo que me inquieta, desde dos meus tempos de 3º ciclo, quando percebi que tal situação estava presente, no meu quotidiano escolar… Inquieta-vos hoje? 

inquietudes.jpg

 

«A Prova de Aferição de TIC até foi fixe!»

Tal como prometido, volto a escrever sobre as controversas Provas de Aferição que, este ano letivo, foram realizadas em formato digital, numa tentativa de ‘desmaterializar’ estas formas de avaliar as aprendizagens dos alunos, em alguns anos escolares (2º, 5º e 8º anos). As provas decorreram entre 2 maio e 20 de junho. Os resultados e relatórios serão divulgados até ao início do próximo ano letivo (2023/2024).

Pelo que percebi, os problemas técnicos foram vários, a instalação da aplicação não era assim tão fácil… o sistema falhou várias vezes, o que levou os alunos a momentos de muito nervosismo.

Em termos práticos, as respostas não serão todas corrigidas automaticamente, já que a avaliação exige ponderação e análise, por parte dos professores… se o objetivo era retirar trabalho aos professores, avaliar em formato digital… na minha opinião… é bem mais cansativo!

Se para os mais crescidos do 5º e 8º ano, a prática de utilização de computadores é mais intuitiva, até porque todos tiveram aulas de TIC (Tecnologias de Informação e Comunicação), no entanto, a prova de matemática exigia a realização de cálculos, outro desafio acrescido que levou a um pré-momento de formação… mesmo assim, pelo que percebi nem todos os alunos aprenderam o correto uso desses símbolos…

Já para os mais pequenos, (2º ano) que ainda estão a aprender a escrever de forma manual, os problemas foram diferentes. Muitas escolas fizeram greve e os professores manifestaram assim o seu descontentamento político e a discordância com estas provas, sendo que é neste ano escolar que se demonstra maior descontentamento pela realização das mesmas, em suporte digital…

Na minha opinião, embora estas provas tenham por objetivo aferir as aprendizagens escolares, não irão espelhar nenhuma realidade, porque os alunos não se empenharam minimamente, como disse um aluno: «uns colegas meus acabaram a prova 1h antes do tempo previsto…»

Para além disso, é de lembrar que os alunos mais pequenos desenvolvem mais ansiedade por estarem a realizar uma prova em sistema informático, o que também influencia o seu desempenho e os resultados!!!

Famílias, alunos, professores, explicadores, (…) sintam-se todos/as convidados a acrescentar informação e opinião a este tema tão novo e tão controverso!

inquietudes.jpg

 

‘Vou fazer o trabalho no ChatGPT’!!!

A Inteligência Artificial é um tema debatido há anos, que volta a ficar com maior evidência volta e meia… novas descobertas, novas estratégias… colocam novas questões à sociedade atual. Estas questões são transversais a todas as pessoas, portanto, alunos e professores não passam sem estas influências.

Hoje decidi trazer uma destas situações, pela força das evidências! Os alunos, ultimamente, dizem-me que vão fazer ‘o trabalho com o ChatGPT’ e afirmam que os professores não sabem o que é!

Esta ingenuidade de quem considera que encontrou a solução para muitos dos seus problemas escolares, coloca - a nós adultos/educadores - outros enormes problemas éticos e reflexivos:

 Como avaliar os trabalhos realizados pelos alunos se eles não os executaram?

 Como ensinar a utilizar, de forma correta, ferramentas de pesquisa, se outro equipamento procura por eles?

 Será que toda a formação poderá ser facultada pela Inteligência Artificial?

 Será necessário repensar todo o conceito de educação/formação, desde os métodos de ensino até às formas de avaliação?

São muitas as questões que me inquietam, nesta sociedade em plena mudança e em ritmo de mudança alucinantemente rápido!

Aproveito para deixar uma pequena amostra do que este dito ChatGPT escreve sobre educação, ‘em jeito de’ Educar(com)Vida!

ChatGPT.jpg

 

 

O aluno faltou: como recuperar matérias e aprendizagens?

Ao longo do ano letivo, sabemos que os estudantes poderão ficar doentes, ou faltar às aulas por estas ou outras razões importantes, que exigirão tal situação.

Mesmo que o aluno falte apenas um dia de aulas, algumas matérias ficarão por aprender, trabalhos de casa por marcar, ou até avaliações por realizar. O que deve exigir atenção por parte das famílias e responsabilização, por parte do aluno. Portanto, sempre que o aluno falta, um ou mais dias às aulas, deve tomar as seguintes atitudes:

Faltar aulas.jpg

 

Quando os professores se enganam a corrigir os testes…

Os professores são seres humanos iguais a todos os outros, mas os alunos consideram-nos uns seres bastante diferentes, portanto, quando lhes detetam um qualquer erro ou gralha, sentem-se num completo 'mar de injustiça'.

Mas, de facto, é normal que os professores cometam um ou outro erro e depois o corrija com alguma normalidade que uma situação destas deve ter, no entanto, quando os professores se enganam a corrigir os testes, raramente há alunos que fiquem descontraído e aceitem tal situação com normalidade.

A maioria dos professores opta por corrigir as fichas de avaliação em aula, no dia da entrega destas, se os alunos estiverem atentos a tal correção, podem tirar dúvidas e analisar a sua ficha, mesmo detetando algum possível erro e pedindo a alteração desta situação, assim, o professor terá a oportunidade de reaver os cálculos e colocar a verdadeira nota, com o maior respeito pelo trabalho de ambos!

Eu propunha às famílias que, em casa, explicassem aos seus alunos que, os professores podem cometer um ou outro erro na correção das fichas de avaliação e que isto ao acontecer pode retirar pontuação como acrescer pontuação e que, devem sempre rever com o professor, é uma questão de manter a justiça da nota.

É importante que o estudante aprenda também a gerir tais situações e, em simultâneo, perceba que não existe diferenças entre pessoas… todas podem falhar! 

pensou sobre.dib

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Vencedor:

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
Blogs Portugal