Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Educar (Com)Vida

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

Nas férias: Faz o teu herbário!

Para os estudantes mais novos, que gostam da descoberta, fazer um herbário pode ser bastante desafiante. Para quem não sabe, um herbário é uma coleção de plantas secas, prensadas, organizadas num caderno com as informações sobre a flora ali guardada.

Podem definir esta atividade para um dia em que façam um passeio pela natureza. Aí, podem recolher algumas plantas existentes, com alguns cuidados. No final do dia, colocam-nas a secar em grandes livros e, posteriormente, devem ser coladas num caderno, em conjunto com toda a descrição da planta. Terão aqui uma aventura para vários dias…

Com tudo isto, a criança descobre um pouco mais sobre a flora, pode realizar algumas pesquisas auxiliares o que a ajudam a aprofundar conhecimento e, ao mesmo tempo, estudam matérias fundamentais para a disciplina de Ciências Naturais.

Podem optar por fazer esta atividade, um pouco de acordo com a criatividade das crianças, ou então, procurar os mais variados sites na internet, que ensinam, passo-a-passo a desenvolver estes fantásticos Herbários e que se poderão guardar ao longo de décadas… como um tesouro de férias!!!

herbário.jpg

(imagem retirada da internet)

 

Nas férias...Faz uma Cápsula do Tempo!

Esta proposta da Cápsula do Tempo pode ser feita em família, mas será bem mais divertida se for realizada a pares, ou num pequeno grupo de amigos.

A ideia é colocar numa pequena caixa um conjunto de objetos que são muito importantes para as crianças ou jovens, neste momento, associando fotografias e outros objetos que considerarem interessantes… podem também acrescentar cartas com textos sobre as atuais férias e sobre desejos futuros.

O objetivo é selar a cápsula e abrir, apenas alguns anos mais tarde… para isso ela deve ficar guardada em algum sítio especial ou, se forem crianças pequenas, podem pedir a alguém da família para guardar a dita caixa.

Assim, nas férias de verão, no próximo ano ou passados alguns anos, podem abrir a Cápsula do Tempo e terão um bom momento para recordar objetos, fotografias, textos, sonhos…. que mostrarão o quanto se aprendeu, se evoluiu, se mudou… ao longo de todo este tempo…

Fica o desafio!!!

Resultado de imagem para caixa do tempo
(imagem retirada da internet)

 

Opinião política aos 18 anos… como desenvolver?

Quantas pessoas ouvimos, em conversa de café, que afirmam não se interessarem por política nem perceberem muito sobre o assunto. Contudo, em minha opinião, todos nós devemos estar conscientes e conhecer os conceitos Políticos atuais, nacionais e mundiais… é um direito e um dever, participar numa sociedade partilhada, que se rege por leis e normas assumidas em Assembleias ditas Democráticas. Neste sentido, todos nós devemos formar opiniões e construir ideologias Sociais e Políticas…

Apenas escrevo sobre este tema porque gostaria de ver os jovens, que aos 18 anos, já têm expressão política, através do voto (pelo menos) e que, nem sempre estão sensibilizados para refletir, analisar, observar, questionar, sobre assuntos políticos de forma interessada e consciente. Penso ser necessário que, para além dos jovens perceberem a História vivida ao longo da humanidade, haja conhecimento claro sobre a História atual, seja política, económica, social ou cultural num pleno sentimento de pertença e de individualidade de quem desta História faz parte… de quem, neste mundo, pode fazer diferente…

Portanto, se pouco é oferecido pelas escolas, neste sentido, cabe às famílias sensibilizarem e explicarem tais conceitos, oferecendo assim uma consciência política motivada e interessada, preparando o jovem para uma inclusão social plena…

 

Em casa pode:

  • Conversar sobre democracia, comunismo, ditaduras, extremismo e outros conceitos relacionados;
  • Explicar as diferenças políticas entre direita e esquerda;
  • Ler, com os jovens, os programas propostos pelos Partidos Políticos, sempre que surgem eleições;
  • Distinguir as diferentes formas de votações;
  • Apoiar nesta curiosidade pelo tema e realizarem pesquisas em conjunto;
  • Ler jornais ou analisar notícias, incutindo isto como prática diária;
  • Criar momentos de diálogo sobre notícias atuais do país e do mundo;

As vossas crianças são autónomas?

Cada vez mais a sociedade convida a que crianças e jovens tenham variados desafios, serem os melhores na escola, praticarem variadas atividades e passarem grande parte do tempo a estudar. Por entre as exigências destes horários, que tempo restará para que as crianças decidam, reflitam, manifestem os seus gostos e desejos?

Os vossos estudantes vão a pé comprar pão? Decidem qual a roupa a vestir? Responsabilizam-se por tarefas domésticas? Definem horas de estudo? Sabem como estudar e o que estudar? Considera que ele já tem idade para tomar algumas decisões?

Estas são apenas algumas das questões que me ocorrem e que me parecem pertinentes para auxiliar a reflexão deste tema: Autonomia.

A autonomia é um processo relacionado com o desenvolvimento emocional e caracteriza-se pela construção e consciência do seu próprio EU (self). O desenvolvimento desta complexa competência irá permitir que a criança/jovem consiga realizar escolhas conscientes e sensatas, ter preferências, decidir, apontar critérios e reflexões para as suas escolhas e desejos.

Poderemos auxiliar neste desenvolvimento autónomo? Algumas dicas no próximo Post!

Frases inspiradoras (1).png

(imagem retirada da internet)

Medidas Tutelares Educativas - contextualização

Hoje apresento aqui um tema, sobre o qual, assumo, não tenho muito conhecimento prático, as medidas tutelares educativas. Contudo, venho aqui escrever sobre elas, de uma forma simples e pouco profunda, apenas para esclarecer-me melhor, e esclarecer melhor o leitor que tenha alguma curiosidade. Deixando, como sempre, o espaço aberto, para que se possa conversar sobre o assunto, se assim o entenderem!

 

As medidas tutelares educativas são executadas juridicamente sempre que um jovem, com idades entre os 12 e os 16 anos, realizem uma infração criminal, punida por lei, mas que não apresentem idade legalmente reconhecida para serem julgados como adultos imputáveis, incluindo-se aqui um novo conceito de delinquência juvenil.

«Num sentido amplo, a delinquência juvenil refere todo o tipo de infração criminal que ocorre durante a infância e a adolescência. Num sentido mais restrito, a delinquência envolve o conjunto de respostas e de intervenções institucionais e legais em relação a menores que cometem infrações criminais ou que se encontram em situações ou exibem comportamentos potencialmente delinquentes” . Para além do agente e do objeto de um crime, existem ainda os “fatores de risco” , e estes são, no fundo, todas as circunstâncias que rodeiam e marcam a vida de um jovem» (Flávia Nunes: 2012).

A resposta a esta delinquência juvenil deve ter em atenção o respeito e promoção dos Direitos Humanos e os Direitos da Criança, assim como, os interesses e necessidades educativas e de (re)inserção social e ainda, os interesses das vítimas e a proteção da sociedade.

Por todas estas razões, judicialmente, existem um conjunto de medidas que podem ser aplicadas a estes jovens, estas serão definidas pelos Juízes, de acordo com o(s) crime(s) cometidos.

Assim sendo, a Lei Tutelar Educativa , em Portugal, contempla as seguintes medidas:

 

«- A admoestação;

- A privação do direito de conduzir ciclomotores ou de obter permissão para conduzir ciclomotores;

- A reparação ao ofendido;

- A realização de prestações económicas ou de tarefas a favor da comunidade;

 - A imposição de regras de conduta;

- A imposição de obrigações;

- A frequência de programas formativos;

- O acompanhamento educativo;

- O internamento em centro educativo.

(Dec. lei nº166/99 art4º - Lei tutelar Educativa).

Medidas-Tutelares.png

Continuarei com este tema no próximo Post!

Conceito de Juventude - ou a famosa - Idade do Armário

Diálogo entre mim e um/ estudante de 2º ciclo:

«Eu: _ Os jogos e os telemóveis têm muita importância??!!!

Estudante: _ Para nós adolescentes, ou melhor, pré-adolescentes têm…» 

 

E se educar uma criança, dizem os pais que é difícil, então quando eles passam pela fase da adolescência tudo se torna uma completa aventura. É nestas idades que os estudantes procuram ter uma identidade própria, para isso questionando tudo e todos em confrontos duros e pouco fáceis de controlar. 

Muitos chamam de idade do armário: «em que os pais assistem impotentes às transformações físicas e comportamentais dos seus filhos, que mais lhes parecem seres extraterrestres vindos de um planeta distante. A sua única vontade: enfiá-los num armário e só os deixar sair quando esta estranha fase tiver passado. Na verdade, a puberdade é uma etapa difícil para os pais que muitas vezes não sabem como lidar com as transformações que estão a ocorrer à sua frente, dentro de sua casa. É fácil surgirem dificuldades de comunicação entre pais e filhos, que originam conflitos e afastamento… » (Vilar e Abreu, A Idade do Armário: 2011).

Embora todos tenham consciência do que está a acontecer, a aprendizagem não ocorre apenas nos adolescentes, ocorre também nos adultos que acabam por desenvolver novas capacidades e competências para lidar com o dia a dia tumultuoso desta fase.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) a adolescência define sendo o período da vida que começa aos 10 anos e termina aos 19 anos completos. Para a OMS, a adolescência é dividida em três fases:

  • Pré-adolescência – dos 10 aos 14 anos,
  • Adolescência – dos 15 aos 19 anos completos
  • Juventude – dos 15 aos 24 anos.

 

Este Post e o próximo, procuram sensibilizar para a Educação nesta fase da vida socialmente tão complexa mas, para além disso, o objetivo é que todos os leitores com mais, ou menos, experiência partilhem as suas opiniões ajudando e orientando quem assim o desejar…. 

 

quando-seus-pais-tentarem-te-ensinar.jpg

 

DinoParque: aprender e divertir…

Abriu este ano as suas portas cá em Portugal, no entanto, eu ainda não tive a oportunidade de o ir visitar, mas confesso que estou com grande curiosidade:

«O Dino Parque é  o maior museu ao ar livre de Portugal, inserido numa área de 10 hectares, incluindo 4 percursos correspondentes a algumas das mais importantes épocas da história da terra: O fim do PaleozóicoO TriásicoO Jurássico e O Cretácico.

Ao longo desses percursos os visitantes podem observar mais de 120 modelos de dinossauros e outros animais à escala real. O Parque foi especialmente concebido para ser uma experiência “Edutainment” (Educação + Entretenimento), aliando a parte de conhecimento da evolução da Terra e também a parte de diversão para toda a família.» (In: www.dinoparque.pt)

 

Fica a proposta para este verão ou para um fim de semana! Algumas crianças e jovens têm um grande fascínio pelos dinossauros e aqui poderão deliciar-se com este Parque. Para além disso, faz parte da aprendizagem curricular, no 3º ciclo, esta área de conhecimento e esta será uma forma divertida de adquirir saberes escolares…

Boa visita!!!!

dino444site.jpg

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D