Com um olhar pluridimensional sobre a EDUCAÇÃO, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida... este é um convite para conversar sobre educação.

12
Nov 18

Diálogo entre mim e um/a estudante de 2º ciclo:

«Eu: _Então, essas notas?

Estudante: _Sinto que foi injusto… tirei Bom e Muito Bom e a professora deu-me um 4. Eu acho que merecia um 5…»

 

Uma das minhas ações constantes, com os estudantes é rever com eles as fichas de avaliação realizadas, perceber qual a matéria consolidada, quais os erros efetuados e dialogar com o estudante de forma a perceber as razões das respostas erradas. Podendo, desta forma, direcionar melhor a intervenção e perceber qual a evolução que está a ocorrer.

Assim sendo, hoje é esta a minha dica:

  • Não se limitem a assinar as fichas de avaliação;
  • Revejam as respostas erradas e corrijam-nas;
  • Questionem sobre as dificuldades do teste;
  • Perguntem se era a avaliação esperada;
  • Conversem sobre o que poderia ser melhorado;
  • Felicitem pelos bons resultados obtidos;
  • Proponham novas metas e resultados;

 

Para os estudantes as fichas de avaliação são do mais assustador e precioso que têm, ao longo do ano, são elas que ditam conquistas e fracassos e que exigem a maior responsabilidade e concentração, portanto, devem ser valorizados pelo encarregado de educação.

ficha_ava.jpg

(imagem retirada da internet)

 

publicado por Maribel Maia às 11:24

07
Nov 18

No final da leitura de uma Obra, o estudante deve ser capaz de se pronunciar sobre dois pontos chave:

  1. O sentido global do livro, o assunto que ele versa, a intenção do autor e o público a que se destina;
  2. O que pensa e o que sentiu ao ler a obra, se gostou ou não e porquê, o que mais agradou, o que mais impressionou quanto nos assuntos abordados, como a forma de escrita do autor.

 

Se o estudante conseguir dialogar e expressar-se desta forma sobre a Obra, então, será extremamente fácil realizar a sua apresentação oral perante a turma… basta deixar a vergonha, por um pouco, fora da sala de aula.

Para ajudar, em anexo, deixo a minha proposta para as Apresentações Orais.

 

APRESENTAÇÃO ORAL OBRA (1).pdf

 

apresentação livro.jpg

 

 

publicado por Maribel Maia às 10:49

26
Set 18

Chegamos ao final deste mês de setembro e as famílias já têm, praticamente, a agenda repleta de anotações e lembretes sobre a escola e algumas sobre as atividades extraescolares. Hoje lembro que, não é apenas a vocês que a agenda auxilia, o(s) vosso(s) estudante(s) também devem ter uma agenda escolar.

Se ainda não compraram a agenda escolar para o estudante, ainda vão a tempo dessa aquisição. As agendas escolares organizam-se de acordo com o ano letivo e por isso têm o seu início em setembro, portanto encontram-se disponíveis, por estas alturas, com os mais variados formatos.

A agenda do estudante deve ser organizada e atualizada pelo próprio, pode calendarizar avaliações, trabalhos… pode organizar horas de estudo e pode conter informações e datas mais pessoais. Esta é uma rotina que, para algumas crianças, pode começar já no 1ºciclo, mas imperativo no 3º ciclo.

Cabe ao encarregado de educação/família, apoiar e incentivar a esta responsabilização por toda a organização de estudo!

 

Este ano letivo tive a oportunidade de fazer uma análise à agenda da Porto Editora – Este é o Teu Ano… Claro que tenho sempre uma apreciação crítica… partilho convosco:

Esta Agenda apresenta-se de forma atraente, principalmente, para os estudantes de  1º, 2º e 3º ciclos… é mais do que uma agenda porque contempla outras anotações e propostas, que a torna diferente. 

No final tem um pequeno resumo das matérias escolares o que poderá ser de boa ajuda. Na minha opinião, estes resumos deveriam estar mais definidos de acordo com o ciclo estudado… no meu ideal poderia ser uma agenda para cada ciclo de estudo, mais adaptada às idades e às matérias escolares!

 

DSC_0124.JPG

 

 

Boas anotações!!! 

 

 

publicado por Maribel Maia às 10:35

09
Ago 18

Como no 1º ciclo já se aprende a língua inglesa, em algumas escolas, aqui ficam fichas muito simples para quem está a iniciar esta nova língua… brincar…colorir e aprender….

Divirtam-se!!!

 

inglês_2018.pdf

 

publicado por Maribel Maia às 10:36

04
Jun 18

Estamos próximos dos Exames Nacionais, os dias que se seguirão são de constantes horas em estudo, revendo matérias, realizando leituras e exercícios… e o stress vai-se acumulando, dia após dia, com o aproximar no momento, trazendo aquele friozinho no estômago e o medo de falhar. Assim, cá ficam dicas muito simples para aliviar esta pressão desorientadora:

 

  • Agendar de forma clara e organizada as horas de estudo e descanso;
  • Planear metodicamente o estudo a realizar;
  • Escolher e preparar o lugar de estudo;
  • Ouvir música nos intervalos de estudo;
  • Fazer uma caminhada ou praticar desporto no final do dia;
  • Cumprir os horário das refeições;
  • Dormir as oito horas diárias;
  • Desligar telemóveis e redes sociais aquando do estudo…

 

Agora é só manter grandes índices de concentração e motivação para adquirir mais conhecimento… Boa sorte!

 

Imagem relacionada

 

(imagem retirada da internet)

publicado por Maribel Maia às 11:10

07
Mai 18

As dúvidas de muitas crianças e jovens na escola, passa por perceberem se são realmente inteligentes para responderem aos desafios que as várias disciplinas impõem.

A inteligência deve ser constantemente estimulada e desenvolvida, assim se melhoram capacidades e resultados, limitando, cada vez mais, esses medos diários de quem estuda e utiliza a inteligência como ferramenta imprescindível!

Por esta razão, aqui ficam umas pequenas dicas para melhorar a memória do estudante:

  1. Mantém um vida saudável, com uma boa alimentação, bom descanso e pratica desporto;
  2. Lê muito, tudo o que te agrade e desperte curiosidade, sejam livros, revistas ou jornais para aumentares o teu vocabulário;
  3. Conversa, dialoga e debate bastante, para dominares melhor as tuas capacidades linguísticas;
  4. Procura momentos de cultura, em viagens, exposições, museus, visitas de estudo, para aumentares os teus conhecimentos gerais;
  5. Participa em atividades extra curriculares como arte, desporto, música… que te motive e aumente as tuas capacidades;
  6. Faz amigos para aprenderes a partilhar ideias e a aceitar ideias e gostos diferentes;
  7. Mantém sempre um espírito positivo, mesmo em momentos que não correm bem, continua com o otimismo de que tudo vai melhorar;
  8. Sê persistente nos teus sonhos e objetivos, porque nada se alcança rapidamente e sem esforço;
  9. Estuda diariamente, para manteres e memorizares a matéria de forma mais fácil e organizada;
  10. Pensa sempre pela tua cabeça, formula as tuas próprias reflexões e pontos de vista, construindo sempre a tua própria opinião e fundamentando-a.

 

E bom trabalho!!!

Inteligencia.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 11:29

02
Mai 18

Como já aqui referi, os métodos de estudo são vários e nem sempre eficazes para todos os estudantes do mesmo modo. Se alguns estudantes preferem realizar resumos, outros há que, percebem melhor a matéria realizando vários exercícios.

Se o segundo caminho for o melhor, aqui ficam algumas sugestões para realizar um estudo com base em exercícios:

  • Começar sempre pelos exercícios mais fáceis, procurando realiza-los corretamente, o mais rapidamente possível;
  • Realizar os mesmos exercícios concretizados em sala de aula que pareceram difíceis e que criaram algumas dúvidas;
  • Recorrer a outros exercícios retirados de livros de fichas ou da internet;
  • Realizar o máximo de exercícios apresentados no Manual Escolar;
  • Para cada matéria nova devem ser realizados, em média, uma hora de exercícios, desde os mais simples aos mais complexos;

 

Cada exercícios deve ser corrigido, no final, para tal deve recorrer às soluções, ao Explicador/a, ou ao professor da disciplina, tendo certeza de que, não se está a cometer erros de execução.

images (8).jpg

 

 

publicado por Maribel Maia às 10:54

30
Abr 18

Quando pensamos em ditados escolares, reportámo-nos há anos atrás, no nosso tempo de escola, quando a professora decidia ditar-nos um texto e tínhamos de o escrever em um único erro, com uma letrinha cuidada e sem pularmos das linhas imaculadas. Ao escrever sobre o assunto, algumas questões podem surgir aos leitores:

  • Mas afinal, hoje ainda se fazem ditados nas escolas?

Já no primeiro ano se iniciam os primeiro ditados, para auxiliar a memorização da correta escrita das palavras, algumas trabalhos de casa são para que os pais, em casa, realizem o ditado para o seu estudante e o corrija com ele. Como nos refere a investigadora Otília Costa e Sousa, « o ditado é uma das tarefas que permitem observar as zonas de dificuldades dos alunos, no que ao registo diz respeito. Ao observar as hesitações, as dúvidas e os erros, aluno e professor podem ter uma visão mais próxima do que está a ocorrer no processo de aprendizagem e quais as áreas da língua e/ou da escrita que causam mais problemas.» (2014)

  • Os ditados não são apenas estratégias de aprendizagem realizadas no 1º ciclo?

Os ditados são comuns em contexto sala de aula, no 1º ciclo, contudo, existem estudantes com características especificas e que podem necessitar que se continue a desenvolver estratégias de aprendizagens na escrita e na compreensão dos fonemas, nesse sentido, pode ser utilizado o ditado, como estratégia continuada, por exemplo em estudantes com dislexia ou disgrafia…

  • Os ditados são um bom método de estudo?

Para a autora  o ditado «é transformar um texto ouvido num registo gráfico, o que implica conhecimentos linguísticos, ortográficos, caligráficos e de convenções de escrita» (Otília Costa e Sousa: 2014). No 1º ciclo, os ditados são realizados pelos professores como «uma prática corrente e que os tipos de ditado variavam bastante: o ditado tradicional, o ditado a pares, o autoditado, o ditado no quadro, o ditado escrito a pares.» (ibidem).

 

Que experiência têm, os leitores, sobre este tema?

 

ditado.jpg

 

 

publicado por Maribel Maia às 11:02

06
Abr 18

Cada vez mais, os adultos são confrontados com a necessidade de seguirem o caminho da formação contínua, seja por desejo de saber mais, seja também, pelas exigências profissionais. Por esta razão, jovens e adultos frequentam de quando em vez, uma pequena formação, de algumas horas por dia, em determinada área específica.

Para estudar para uma formação, assim, bastante limitada no tempo e nos conteúdos, aqui ficam algumas sugestões, que poderão orientar para o estudo.

  • No final do dia da formação ou logo no dia seguinte, guarde uma hora para rever o que aprendeu, tentando memorizar e resumindo a informação mais relevante. Repita o procedimento em todos os dias da formação;
  • Em momento de formação, coloque sempre as dúvidas e esclareça reflexões, de forma a conseguir evoluir, no conhecimento, ao ritmo de ensino estipulado;
  • Em momento de formação, realize o máximo de apontamentos que conseguir, de forma a poder relembrar mais tarde;
  • Em casa, procure mais algumas informações sobre o tema, que lhe despertem mais interesse e curiosidade, utilize literatura e internet como fontes de pesquisa;
  • A grande maioria destas formações apresenta uma, ou mais, formas de avaliação. Se esta for um teste, alguns dias antes prepare-se, recorrendo aos resumos e apontamentos realizados de forma a memorizar e adquirir toda a informação.

Mesmo para aqueles que se sentem mais inseguros, porque já abandonaram os bancos de escola há vários anos, não se esqueçam que aprender é um processo contínuo, do qual todos somos capazes, em qualquer momento da vida….

Estudar exige apenas concentração, gosto e dedicação…

adultos_estudo.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 10:04

15
Mar 18

Dialogo entre mim e um/a estudante de secundário:

«Eu: _ A resposta está incompleta, porque faltam aqui alguns itens de resposta, nomeadamente, a referência e fundamentação do texto apresentado na pergunta…

Estudante: _ Pois… nem achei importante…»

 

Quantas vezes os estudantes, crianças ou jovens apresentam dificuldades em realizar um interpretação correta da pergunta proposta, ou demonstram algumas falhas na correta interpretação de textos.

Como tenho, por cá escrito, vezes sem conta, o primeiro passo para melhorar esta capacidade é a leitura e a escrita contínua, de forma dedicada e atenta.

Para além disso, poderão cá ficar outras pequenas sugestões, que opõem a melhoria desta importante competência escolar e pessoal, a interpretação de textos:

  • O título explica grande parte do assunto que irá ser desenvolvido;
  • O primeiro parágrafo, normalmente, apresenta todo o contexto da ação/situação;
  • Nos parágrafos seguintes encontram-se a defesa de ideias e explicação dos acontecimentos;
  • O último parágrafo, encerra a ação/situação, resumindo e finalizando o tema desenvolvido, anteriormente.

Tenha em linha de conta, também que, realizar a leitura adequada, estando atento à pontuação, portanto devem-se realizar várias leituras do texto, sublinhando os conceitos chave e as ideias principais.

escrita (1).jpg

 

publicado por Maribel Maia às 13:58

Novembro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
17

18
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


subscrever feeds
pesquisar
 
mais sobre mim
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Instagram
@educarcomvida
blogs SAPO