Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Educar (Com)Vida

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

Avaliar não é só fazer testes!

Na escola os estudantes valorizam as fichas formativas como único método de avaliação em sala de aula, no entanto, esquecem que diariamente estão a ser avaliados pelos professores das mais variadas formas e que, essa avaliação terá um peso nas notas de final de período/semestre e de final de ano.

Para relembrar que a avaliação tem muito mais que um teste, aqui ficam algumas informações vindas de um Documento Orientador de Avaliação de Escola:

«O conceito de avaliação contínua prevê que a mesma represente a evolução dos conhecimentos adquiridos pelos alunos (…). A sua operacionalização só se consegue com a utilização diversificada de instrumentos de avaliação, (…) Fichas sumativas individuais, em grupo, comunicações escritas e orais de trabalhos, trabalhos individuais e de grupo, respetivos debates, e (…) grelhas de registo de atitudes e comportamento na sala de aula, entre outras.»

avaliacao conti.jpg

Nunca se esqueçam disso em todas as aulas, todos os dias!!!

 

A caderneta escolar: objeto tantas vezes desvalorizado…

Diálogo entre mim e estudante de 3º ciclo:

«Estudante: _ …a professora ameaçou-nos com falta disciplinar para toda a turma…

Eu: _ E tiveram falta?

Estudante: _Acho que não porque ninguém nos pediu a caderneta para apontar a falta…»

 

Os alunos andam sempre acompanhados por uma caderneta escolar, no entanto, pouca atenção lhe oferecem, nem mesmo as famílias se lembram de a consultar com regularidade. Por isso, hoje, relembro como esta é muito importante, com um meio de comunicação primordial entre a escola e a casa, entre professores e famílias.

Sempre que um professor pretende agendar algo, pode deixar escrito na caderneta do aluno, assim como, as chamadas de atenção ou situações pontuais em sala de aula, tudo pode ficar registado para informação familiar.

A comunicação também poderá ser realizada pela família à escola, confirmando uma informação levada pelo aluno, um pedido especial, ou orientação específica, em que a escola e os professores devem ter conhecimento, de forma a melhor apoiar o aluno.

Assim, na caderneta do aluno está adaptada a cada ciclo de ensino e poderá encontrar espaços para preencher com a seguinte informação:

 

  • Informações pessoais sobre o aluno;
  • Horário escolar;
  • Informação sobre a escola e professores;
  • Espaço de correspondência (escola/casa);
  • Faltas;

Abril:

escola para que te quero?!

A Primavera já quer bater à nossa porta e, nos estudantes, os efeitos são notórios… eles querem dedicar mais tempo às amizades, aos amores e menos aos estudos… procuram motivos para passear, estar com a família e com os amigos…. Sublinham que estão cansados e que precisam urgentemente de mais férias… Tudo isto irá exigir mais atenção por parte dos encarregados de educação e uma constante negociação.

Nesta época, alguns alunos fazem o típico ‘dormir à sombra da bananeira’ que significa ‘como tenho tido boas avaliações não preciso de estudar muito’ e é aí que os resultados começam a baixar, sem que o próprio aluno se aperceba desta justificação.

abril.jpg

 

Este ano tenho Exames Nacionais, quando começo a estudar?

Existem anos contemplados com a realização de dois ou mais Exames Nacionais, no 9º ano e depois no secundário. Os exames nacionais são uma realidade e um grande desafio porque influenciam avaliações e determinam entradas no ensino superior.

Por esta razão o estudo deve iniciar-se com antecedência e, de acordo com as características, e necessidades de cada estudante.

Se o estudante tem, por hábito, receber boas avaliações da disciplina, ao longo do ano, certamente que começar o estudo no início do 3º Período será suficiente para manter os bons resultados. Torna-se imprescindível rever toda a matéria, retirar dúvidas e realizar exercícios de exames anteriores como forma de análise de conhecimentos.

Se o estudante não obtêm bons resultados à disciplinas e/ou apresenta muitas dúvidas sobre grande parte da matéria, então o melhor, será iniciar um estudo já no 2º Período. Relembro que, em vários casos, optar por um apoio escolar extra pode ajudar na melhoria de resultados, principalmente nestas situações, ou em situações em que o estudante já não tenha contacto com a disciplina há algum tempo.

Para os estudantes que necessitam de resultados de excelência, com avaliações próximas dos valores máximos, o estudo também deve ser bastante aprofundado, deve iniciar-se logo no início da aprendizagem da disciplina e um apoio extra escolar também poderá ser uma mais valia.

Recordo que, embora as aulas sejam interrompidas primeiro, para os alunos candidatos a exames nacionais, não será essa(s) semana o suficiente para memorizar e recordar matérias escolares de um ou mais anos letivos, com o sucesso pretendido.

exames nacionais.jpg

 

Organiza-te nestas férias!!!

Estamos em plenas férias de Natal, os estudantes podem aproveitar para descansar e para utilizarem o seu tempo de lazer de uma forma agradável e divertida. No entanto, existem alguns afazeres que não devem ser esquecidos, pois irão ajudar a organizar o próximo período escolar.

Assim, nas férias escolares de Natal, aproveita para:

  • Lavar e organizar a mochila, o porta lápis e a lancheira;
  • Arquivar fichas do período anterior;
  • Rever e adquirir material necessário, como cadernos, lápis, canetas,…;
  • Fazer separadores nos cadernos e capas;
  • Estudar para as matérias com maior dificuldades;
  • A partir do 9º ano refletir e pesquisar sobre cursos, médias e profissões;
  • Ler;
  • Fazer os TPC’s de férias;
  • Arrumar o lugar de estudo;
  • Refletir sobre as avaliações;

 

Com uma boa organização haverá tempo para tudo isto! Boas Férias!!!

férias (1).jpg

 

Técnicas de estudo em resumo!

São muito variados os métodos para melhorar o nosso estudo e são várias as técnicas que ajudam a orientar os momentos de estudo. Alguns são de conhecimento mais geral, outros são muito básicos, mas poucos se lembram que podem ser um bom apoio.

Assim, aqui ficam alguns métodos e técnicas de estudo, de forma bem resumida, apenas para relembrar:

  • Tirar apontamentos nos cantinhos das folhas, dos manuais e dos livros.
  • Sublinhar com cores e adicionar Post’its;
  • Realizar uma lista de objetivos para a avaliação;
  • Construir um esquema das matérias a estudar;
  • Realizar resumos, tabelas e quadros;
  • Ler em voz alta e explicar a matéria;
  • Solicitar apontamentos emprestados;
  • Tirar dúvidas com os professores ou com os colegas;
  • Fazer uma pequena investigação para auxiliar o estudo;
  • Visionar vídeos e documentários;
  • Adquirir livros ou fichas de exercícios suplementares;
  • Fazer visitas de estudo;

como estudar1.jpg

 

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Vencedor:

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D