Com um olhar pluridimensional sobre a EDUCAÇÃO, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida... este é um convite para conversar sobre educação.

19
Abr 18

Quando as crianças estão próximas da idade escolar ou nos primeiros anos de escola, as famílias e educadores, procuram melhorar os comportamentos das crianças e dar-lhes mais regras e responsabilidades.

Muitas vezes, algumas crianças precisam de mais atenção e orientação, no que diz respeito ao comportamento, quer em sala de aula, quer em casa, quer em espaços públicos.

Para ajudar nesta tarefa, proponho o seguinte:

 

Imprima a tabela que deixo, em anexo, e preencha em conjunto com a criança, ao longo da semana com os Smiles da legenda, explique-lhe todas as regras, como sendo algo divertido.

 

No final de cada semana, ou quinzenalmente, faça uma avaliação global e atribua um dos três smiles, conforme a tabela…

 

 Depois proceda:

 

   vermelho (mau comportamento): imprima a folha dos ‘deveres’ (em anexo), a criança deve receber um destes ‘deveres’ para realizar.

   verde (bom comportamento): imprima a folha dos ‘incentivos’ (em anexo), a criança deve receber um destes ‘incentivos’.

   roxo (excelente comportamento): imprima a folha dos ‘prémios’ (em anexo), a criança deve receber um destes ‘prémios’ que deve ser concedido pela família.

 

Pode ser o adulto a escolher qual o ‘dever’, o ‘incentivo’ ou o ‘prémio’ que a criança vai receber, ou pode ser a criança a retirar um deles à sorte!

 

Faça as adaptações que entender… esta é, apenas, uma sugestão de trabalho!

 

Divirtam-se a aprender!!!

Para imprimir, deixo-vos os documentos em ficheiros:

Avaliação do comportamento de.pdf

prémio_incentivo.jpg

incentivos_positivos.jpg

deveres_monstrinhos.jpg

 

 

incentivos_positivos (1).jpg

 

publicado por Maribel Maia às 10:41

12
Abr 18

É, principalmente, nos primeiros anos de escola que as crianças se confrontam com vários sentimentos de frustração, tristeza, injustiça e muitas outras emoções negativas, as quais ela deve aprender a gerir e a lidar, de forma positiva e emocionalmente inteligente. Para tal é necessário que lhes sejam ensinadas estratégias que auxiliem esta aprendizagem.

Aqui ficam algumas sugestões que qualquer educador pode realizar com o(s) seu(s) educandos:

  • Explicar que as mudanças na vida são situações extremamente naturais e que podem ser muito boas;
  • Elaborar diálogos com perspetivas positivas sobre a vida onde a felicidade é presença inquestionável;
  • Nunca se esqueça que será sempre O exemplo, portanto mantenha sempre a alegria e o pensamento positivo;
  • Crie uma rede familiar e de amigos que proporcionam momentos de pleno conforto, apoio e confiança;
  • Quebre as rotinas com momentos de brincadeira, alegria e muitos sorrisos, desvalorizando algumas situações mais negativas;
  • Explique-lhe que os erros a os momentos menos bons ensinam-nos muitas coisas boas;
  • Implique-os na ajuda aos outros, para que eles percebam que mais tarde poderá ser o contrário;
  • Incuta objetivos e desafios valorizando, sempre, os bons resultados e sucessos conseguidos.

Por fim, nunca se esqueça que o desenvolvimento emocional é tão importante para a vida de crianças e adultos como a inteligência da razão…. A felicidade precisa de ambos os complementos! 

resiliente.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 10:44

09
Abr 18

Diálogo entre mim e um/a estudante de 1º ciclo:

«Estudante: _Porque é que ele está a chorar?

Eu: _ Porque é muito pequenino…

Estudante: Que idade é que ele tem?

Eu: _ Tem 5 anos.

Estudante: Ah… eu sei como é… eu já tive essa idade!»

 

Hoje trago para reflexão um conceito que pode enquadrar-se nem vasto mundo educativo – a resiliência. O termo surge na física e define como resiliente um material que tem a capacidade de resistir a impactos ou pressões sem alterar as suas características iniciais. Recentemente o conceito foi agarrado pelas ciências sociais e humanas, para caracterizar um ser humano que, após ter vivido momentos de stress ou pressão, consiga superar estas adversidades e aprender com estes momentos de vida.

Ao olharmos para a Resiliência como um conceito humano, podemos constatar que este pode surgir em qualquer momento da vida, seja na vida adulto como na infância, daí a importância da educação, ou seja, do ensinar/aprender a ser capaz de ultrapassar dificuldades e momentos difíceis mantendo sempre um pensamento positivo e um desejo de um futuro feliz. 

Este ensino/aprendizagem deve iniciar-se com crianças que, bem cedo, começam a confrontar-se com os mais variados desafios que a vida promove…

No próximo Post leia algumas sugestões para incentivar as crianças a serem Resilientes e a enfrentarem, de forma positiva, as variadas dificuldades da vida.

resiliencia1.jpg

publicado por Maribel Maia às 10:56

06
Abr 18

Cada vez mais, os adultos são confrontados com a necessidade de seguirem o caminho da formação contínua, seja por desejo de saber mais, seja também, pelas exigências profissionais. Por esta razão, jovens e adultos frequentam de quando em vez, uma pequena formação, de algumas horas por dia, em determinada área específica.

Para estudar para uma formação, assim, bastante limitada no tempo e nos conteúdos, aqui ficam algumas sugestões, que poderão orientar para o estudo.

  • No final do dia da formação ou logo no dia seguinte, guarde uma hora para rever o que aprendeu, tentando memorizar e resumindo a informação mais relevante. Repita o procedimento em todos os dias da formação;
  • Em momento de formação, coloque sempre as dúvidas e esclareça reflexões, de forma a conseguir evoluir, no conhecimento, ao ritmo de ensino estipulado;
  • Em momento de formação, realize o máximo de apontamentos que conseguir, de forma a poder relembrar mais tarde;
  • Em casa, procure mais algumas informações sobre o tema, que lhe despertem mais interesse e curiosidade, utilize literatura e internet como fontes de pesquisa;
  • A grande maioria destas formações apresenta uma, ou mais, formas de avaliação. Se esta for um teste, alguns dias antes prepare-se, recorrendo aos resumos e apontamentos realizados de forma a memorizar e adquirir toda a informação.

Mesmo para aqueles que se sentem mais inseguros, porque já abandonaram os bancos de escola há vários anos, não se esqueçam que aprender é um processo contínuo, do qual todos somos capazes, em qualquer momento da vida….

Estudar exige apenas concentração, gosto e dedicação…

adultos_estudo.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 10:04

23
Mar 18

Caro/a estudante,

São os testes, são as apresentações orais, são os trabalhos… os problemas entre amigos nos intervalos e os professores que embirram sempre contigo 

É o teu dia! Estás de Parabéns porque te esforças para estudar para os testes, mesmo que tenhas de abdicar da tua série favorita…. Porque levas os cadernos para o quarto e decoras até adormecer…. Porque ficas horas e horas a fazer os TPC’s  até ao último exercício, mesmo com o estômago a ‘reclamar’…

Parabéns pelo empenho: mesmo que a nota não seja tão boa como esperavas… mesmo que a apresentação tenha sido uma atrapalhação, mesmo que ‘desta matéria não percebas nada’… Porque mesmo assim, voltas a tentar…voltas a rever… voltas a estudar…

Por tudo isso, nunca duvidei de ti e tenho em ti muito orgulho… sei que consegues… sei que te esforças… e sei que vencerás cada avaliação!

Não é fácil, mas valerá o teu futuro! Porque estudar sempre te abrirá horizontes, conhecimentos e vontades!

Parabéns Estudante 

DIA 24 DE MARÇO - DIA NACIONAL DO ESTUDANTE

dia-do-estudante.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 11:56

21
Mar 18

Agora que chegamos ao final do 2º Período, os estudantes começam a refletir sobre a sua aprendizagem e sobre as avaliações que lhes vão ser feitas.

Esta semana foi já de receber os testes em falta e de realizarem a autoavaliação, onde os próprios alunos ponderam, o mais acertadamente possível, sobre a nota que merecem, de 1 a 5 ou de 1 a 20, de acordo com o nível escolar.

No momento desta análise realizada pelo professor de cada disciplina, não são apenas as avaliações escritas (testes) que contam na decisão dos professores, os trabalhos escolares e trabalhos de casa, a oralidade, a participação e o comportamento em sala de aula são, também, objeto de avaliação contínua que pesará na atribuição de resultados finais.

Portanto, aos estudantes que anseiam pelo dia do lançamento das notas deixo, um exemplo, de Grelha de Avaliação Escolar que pode ajudar a refletir.

Para além disso, lembro aos encarregados de educação o quanto é importante estarem presentes no dia de entrega de notas e a importância de uma conversa de análise com o Diretor de Turma do vosso educando, para melhor definirem estratégias para o 3º e último período escolar.

grelha_avaliação.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 11:04

19
Mar 18

Todos os motivos são de excelência quando o objetivo é Celebrar a Família, hoje as festas e os agradecimentos são para todos os Pais, Papás e Paizinhos deste planeta!

Se aí por casa ainda não está nada preparado e quer ajudar uma criança/adolescente/jovem a felicitar o Pai….ainda vai a tempo…

  • Imprima já o Diploma que deixo, na imagem, ou outro a gosto e preencham!
  • Preparem ou encomendem um jantar especial (ou uma ceia especial)!
  • Decorem a mesa com corações recortados em papel ou cartolina!
  • Coloquem a música preferida do Pai….
  • E tudo mais que a imaginação propõe…. e….

Bora festejar!!!!! Porque bastam ideias simples, mas repletas de significado e carinho para um doce momento em família!!!

CertificadoparaPais.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 11:16

15
Mar 18

Dialogo entre mim e um/a estudante de secundário:

«Eu: _ A resposta está incompleta, porque faltam aqui alguns itens de resposta, nomeadamente, a referência e fundamentação do texto apresentado na pergunta…

Estudante: _ Pois… nem achei importante…»

 

Quantas vezes os estudantes, crianças ou jovens apresentam dificuldades em realizar um interpretação correta da pergunta proposta, ou demonstram algumas falhas na correta interpretação de textos.

Como tenho, por cá escrito, vezes sem conta, o primeiro passo para melhorar esta capacidade é a leitura e a escrita contínua, de forma dedicada e atenta.

Para além disso, poderão cá ficar outras pequenas sugestões, que opõem a melhoria desta importante competência escolar e pessoal, a interpretação de textos:

  • O título explica grande parte do assunto que irá ser desenvolvido;
  • O primeiro parágrafo, normalmente, apresenta todo o contexto da ação/situação;
  • Nos parágrafos seguintes encontram-se a defesa de ideias e explicação dos acontecimentos;
  • O último parágrafo, encerra a ação/situação, resumindo e finalizando o tema desenvolvido, anteriormente.

Tenha em linha de conta, também que, realizar a leitura adequada, estando atento à pontuação, portanto devem-se realizar várias leituras do texto, sublinhando os conceitos chave e as ideias principais.

escrita (1).jpg

 

publicado por Maribel Maia às 13:58

12
Mar 18

Ensinar, tirar dúvidas e orientar para testes, trabalhos e exames, não necessitam de cumprir regras iguais de apoio… se existem estudantes que procuram as explicações para retirar dúvidas, outros precisam de apoio contínuo na matéria, …!

Para além disso, os gostos e hábitos de estudo são muito diferentes, de estudante para estudante, embora não signifique que a apresentação seguinte seja regra, parece-me existir proximidades de formas e estratégias de estudo, de acordo com as áreas de interesse e cursos a frequentar.

De um modo geral, parece-me que quem frequenta:

 

Curso de Línguas e Humanidades: prefere realizar desenvolvidos resumos da matéria, procurando decorar e entender muito do que recolheu em resumos: textos e mais textos são as palavras de ordem…

 

Curso de Ciências e Tecnologias: aprecia a realização contínua de vários exercícios e fichas, para melhor se preparar para as avaliações: respostas e exercícios textos são as palavras de ordem…

 

Curso de Artes Visuais: constrói vários esquemas e tabelas de forma a sintetizar matérias e temas a estudar: cores e setas são as palavras de ordem…

 

Curso de Ciências Socioeconómicas: aposta em resumos curtos, realizados ao longo da matéria lecionada, que reorganiza constantemente ao estudar para exames: reestruturação é a palavra de ordem….  

 

Curso de Desporto: os exemplos concretos e bem compreendidos é o que mais ajuda na compreensão da matéria: estudar situações concretas, e textos são as palavras de ordem…

 

Como já referi esta é a minha visão particular…identificam-se? Acrescentariam algo mais???

jovens.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 11:06

08
Mar 18

Tal como prometido no Post anterior, aqui ficam algumas propostas de técnicas de memorização. Relembro que algumas podem funcionar melhor do que outras, de acordo com as capacidades e facilidades de cada indivíduo, contudo, com o tempo e a prática, conseguem-se melhorar resultados.

 

Repetição: um método pouco motivante para os estudantes mas, em determinadas situações, eficaz, e consiste na repetição da informação várias vezes seguidas. Para tornar este método mais interessante pode optar-se por fazê-lo é jeito de canção.

 

Rimas e jogos: memorizar através da realização e jogos ou de esquemas rimáticos, poderá ser mais fácil, criando-se com a matéria uma relação afetiva e mais divertida. Funciona melhor com matérias mais simples, por exemplo, do primeiro ciclo.

 

Imagens mentais: para os estudantes que têm uma boa memória fotográfica, podem recorrer a imagens como forma de memorização. Trata-se de uma estratégia com melhores resultados em algumas disciplinas, como por exemplo a Ciências da Natureza.

 

Técnica dos espaços: de uma forma associativa, o estudante pode associar um determinado lugar ou espaço a determinada matéria, assim, ao relembrar o espaço irá relembrar a informação associada. Esta técnica funcionará bem se o estudante tiver uma boa capacidade de conhecimento espacial.

 

Elaboração progressiva: esta técnica tem por objetivo encadear as informações de tal maneira que elas sigam uma ordem lógica que nos permita recordar as informações que elas encerram. Desta forma supõe-se que a aprendizagem anterior foi claramente reconhecida e memorizada, só assim se evoluirá na memorização.

 

Palavra-Chave: esta técnica propõe que o estudante memorize várias aprendizagens para cada palavra-chave, bastando lembrar a palavra-chave para relembrar todos os outros conceitos e conhecimentos associados. Pode ser bastante útil para descrever processos, mas para enumerar listas de características ou outras informações que pretendemos decorar.

 

Técnica dos números: para os estudantes que têm grande capacidade em memorizar números, podem associar informações a números, codificando, assim, a informação. Esta estratégia deve ser utilizada em pequena escala para ser mais eficaz.

 

E para vocês, qual a técnica que melhor funciona? Que outras estratégias de memória utilizam?

memoria_16645_l.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 10:40

Abril 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
14

15
17
18
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Instagram
blogs SAPO