Com um olhar pluridimensional sobre a EDUCAÇÃO, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida... este é um convite para conversar sobre educação.

12
Jul 18

Chega ao Verão, algumas crianças estão inscritas em centros que promovem atividades e brincadeiras durante as férias. Outras crianças ficam em casa com a família. Para todas as hipóteses, cá ficam dez sugestões de atividades de diversão garantida:

  1. Cozinhar umas bolachinhas, uns bolinhos, umas pizzas…
  2. Fazer  amoeba, colares e pulseiras de missangas…
  3. Andar de barco, comboio, metro ou elétrico…
  4. Fazer uma festa do pijama com amigos…
  5. Ir a uma piscina diferente ou a um parque diferente…
  6. Fazer um picnic em família ou com amigos…
  7. Fazer um Sunset na varanda ou no jardim…
  8. Fazer uma Noite do Conto, com toda a família a participar;
  9. Visitar a biblioteca e escolher um(s) livro(s) para férias;
  10. Escolher jogos para passar uma tarde divertida com os avós;  

E vocês, que sugestões propõem para completar esta lista???

 

autonomia.jpg

 

 

publicado por Maribel Maia às 09:41

02
Jul 18

Nos dias de hoje as crianças jogam nos tablets, computadores, telemóveis e deixam para trás os jogos mais clássicos, mas que são muito importantes para o desenvolvimento educativo.

Deixo aqui alguns jogos divertido, baratos para todas as idades e que deixam o telemóvel na gaveta:

Em casa:

  • Bingo: para pequeninos e grandes, pode ser jogado em família e ajuda a decorar números em qualquer língua;
  • Jogo da memória: para um grupo mais pequeno, pode até ser feito em casa com pequenos cartões;
  • Amoeba ou plasticina: dá para fazer em casa, está na moda e ajuda na motricidade fina…

Lá fora:

  • Bowling: basta ter umas latas ou garrafas plásticas e uma bola, para divertir e melhorar a motricidade grossa;
  • Frasquinho de bolinhas de sabão: estes frasquinhos são baratos e fazem a delícia da pequenada;
  • hula hoop: já foi moda e agora anda um pouco esquecido, também é divertido e diferente dos brinquedos habituais.
  • Peddy Paper: se quiserem utilizar um realizado por mim, é só visitar https://educarcomvida.blogs.sapo.pt/uma-atividade-divertida-peddy-paper-84738

 

Por aí, que propostas divertidas têm, pouco ou muito conhecidas????

 

Ferias.jpg

 

 

 

 

publicado por Maribel Maia às 12:37

28
Jun 18

Os dias de aulas estão a chegar ao fim, os portões das escolas ficam entreabertos, como se existisse uma possibilidade de entrar mas pouca vontade de o fazerem... e poucos são os alunos que por ali passam até setembro...

No entanto, a educação não fecha para balanço, as crianças e jovens não deixam de aprender e de crescer, a educação simplesmente estende-se a outros lugares e a outros momentos e agora isso fica mais evidente. Por tudo isto, não faz sentido que este Blogue fique estagnado até setembro... muito ainda há para escrever, fora dos contextos formais de educação... muito para além deste portões escolares.

Assim, tal como em anos anteriores, este Educar(Com)Vida continuará a trazer temas de reflexão, opiniões e propostas direcionadas para uma educação transversal, que inclui o Aprender a Ser, Aprender a Fazer, Aprender a Estar e Aprender e Aprender...

 

Fiquem por aí e continuem a visitar este vosso Blogue, para continuarmos a falar sobre Educação, prometo novidades e novos escritos de interesse...

educarcomvida.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 13:26

14
Jun 18

Segundo Piaget, as crianças apresentam um desenvolvimento cognitivo contínuo, de acordo com cada idade. Assim sendo, de segundo o autor, podemos perceber melhor atitudes e comportamentos de cada criança, de acordo com a etapa do desenvolvimento em que se encontra.

Ao delimitar etapas de crescimento e desenvolvimento por fases, poderá ajudar-se os educadores a apoiarem o desenvolvimento de cada criança de forma mais individualizada, podendo adaptar estratégias que melhorem as capacidades apresentadas em cada fase.

Mas, é necessário lembrar que, existem algumas nuances no que concerne às etapas pré-estabelecidas, até porque nem todos os autores concordam plenamente com Piaget e nem todas as crianças se desenvolvem de forma tão linear. No entanto, deixo-vos aqui a tabela das etapas para analisarem, poderá ser algum apoio em determinado momento, seja em delinear tarefas e atividades, sensibilizar para situações, alertas para possíveis problemas de desenvolvimento.…

Piaget_ Fases do desenvolvimento cognitivo (2).jpg

(imagem retirada da internet)

publicado por Maribel Maia às 09:27

11
Jun 18

Hoje em dia muito se conversa e reflete sobre ter acesso a boas escolas e bons professores, assumindo-se isso como pilar para uma boa educação formal. Todos nós, através das nossas experiências práticas enquanto estudantes que somos ou fomos, identificamos aspetos que muito apoiaram a nossa aprendizagens e nomeamos situações que deveriam ser melhoradas e ajustadas.

Este meu Post, hoje, chega como um desafio a cada leitor, gostaria que me respondessem à pergunta: o que consideram ser um bom professor/a?

Todos nós temos a recordação do(s) professor(es) que mais marcou o nosso percurso escolar, que nos fez apaixonar por uma disciplina, que nos orientou no momento mais importante, que nos olhou, carinhosamente, como pessoa, que nos motivou e nos incentivou….

Ler as vossas opiniões refletidas, será, para mim, refletir e aprender… reconhecer e melhorar a minha prática, portanto, desde já  meu obrigada pela partilha!

 

paulo freire facebook.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 12:48

07
Jun 18

Agora que chegamos ao 3º Período, alguns encarregados de educação ficam mais apreensivos com a hipótese de existir uma retenção escolar, devido aos baixos resultados escolares que o estudante apresentou ao longo do ano letivo.

Para todos os mais, ou menos, preocupados com estas questões, é sempre bom estar informado que:

 

  • Nos anos terminais de ciclo não aprovam os alunos que se encontrem numa das seguintes situações:
  1. a) Tenham obtido simultaneamente classificação inferior a 3 nas disciplinas de Português (ou PLNM) e de Matemática;
  2. b) Tenham obtido classificação inferior a 3 em três ou mais disciplinas, no caso dos 2.º e 3.º ciclos.

 

  • Nos anos não terminais de ciclo (5º, 7º e 8º) os alunos sem retenções no seu percurso escolar não transitam quando se encontram numa das seguintes situações:
  1. a) Tenham obtido quatro classificações inferiores a três e nelas estejam incluídas, cumulativamente, as disciplinas de Português e Matemática;

        b)Tenham obtido classificação inferior a três em cinco ou mais disciplinas.

 

Resultado de imagem para avaliação

 

(imagem retirada da internet)

publicado por Maribel Maia às 10:34

30
Mai 18

Quantas vezes perdemos razão, dinheiro, paciência, oportunidade… porque não sabíamos determinada informação, legislação, estratégia? Certo é que, nascemos sem nada saber, vivemos em constante aprendizagem e morremos com tanto ainda por conhecer! Mas, o nosso empenho deve seguir uma vontade de desenvolver conhecimentos e competências, querer mais: saber ser; saber aprender e saber fazer… é, sem dúvida, um processo constantemente inacabado, que nos provoca, que exige tempo e dedicação… certo é que o preço a pagar pela ignorância é, na minha opinião, bastante mais caro, traz inseguranças, frustrações e descontentamento.

Por tudo isto, cada vez mais, devemos ter acesso livre e gratuito à educação, nos seus mais variados contextos: formativos, culturais, tecnológicos e sociais. Só assim nos sentiremos capazes, competentes, conscientes e livres. A Educação é um direito fundamental a cada ser humano.

 

Partilham da mesma opinião? Acrescentam algo?

 

Imagem relacionada

 

(Imagem retirada da internet)

publicado por Maribel Maia às 16:32

28
Mai 18

Diálogo entre mim e um/a estudante de 1º ciclo:

«Eu: _ Isso é uma chávena de chá.

Estudante: _ Eu adoro chá… de manhã bebo quase sempre chá…»

 

Inicio este Post por assumir claramente que, irei escrever um pouco sobre a alimentação em crianças de idade escolar. Quero, contudo, sublinhar que, esta não é, de todo a minha área profissional, portanto, o que aqui escreverei terá como objetivo ser apenas um mote de reflexão para pais e educadores, sensibilizando para uma questão primordial na saúde de quem cresce.

Cada vez mais, questões como obesidade infantil, má alimentação e vida sedentária se tornam motivo de reflexão e dedicação de toda a comunidade escolar. Isto porque, uma alimentação saudável é determinante para um bom desenvolvimento físico e intelectual, além de promover a saúde e o bem-estar geral.

Como nos dizem os especialistas, «os hábitos alimentares aprendidos durante a infância determinam os comportamentos alimentares na idade adulta. Os pais, a família e os educadores em geral desempenham um papel muito importante na aprendizagem do “saber comer” porque, à semelhança do que acontece noutras áreas do saber, as crianças não estão dotadas de conhecimentos para escolher os alimentos em função do seu benefício e valor nutricional. As crianças apreendem os hábitos alimentares através da observação dos adultos, vivenciando a escolha, preparação e confeção dos alimentos.» (Guia Educadores Alimentação: 2013).

Concordo em pleno com estas afirmações, porque pela minha experiência, já vi crianças a comerem, ao lanche, bolos e batatas fritas e crianças a comerem cenouras e fruta, com o mesmo prazer e gosto.

Quando as crianças têm, por hábito, gastar dinheiro em guloseimas, constantemente, devem ser controladas com brevidade. As conversas e reflexões sobre este tema deve também ser uma constante, seja em casa, seja na escola.

Devo recordar que uma criança que não se sinta bem com o seu próprio corpo corre mais riscos de sofrer rejeição por parte dos colegas, tornando-se mais frágil.

Portanto, não considere estes assuntos menores, sempre que for necessário recorra a especialistas (nutricionistas, psicólogos) para melhor apoiar o estudante!

 

 

Para escrever sobre este tema socorri-me do Guia para Educadores de Alimentação  em Idade Escolar, e que deixo em anexo, para quem estiver interessado em ler mais sobre o assunto, de forma profissionalmente fundamentada.

 

crianca-comendo.jpg

(imagem retirada da internet)

publicado por Maribel Maia às 10:54

24
Mai 18

Os vossos filhos são daqueles que ficam muito ansiosos e aflitos nos dias que antecedem às variadas formas de avaliação?

Se existem aqueles estudantes que se apresentam nervosos perante um teste porque consideram não ter estudado o suficiente, existem aqueles que mesmo tendo estudado toda a matéria muito bem, continuam a passar por horas de aflição e ansiedade, a quais nos parecem desnecessárias e pouco adequadas.

Contudo, esta ansiedade, sincera e verdadeira, poderá trazer um problema acrescido aos estudantes, principalmente quendo, após muito estudo o stress acaba por perturbar e condicionar o momento de concentração e execução do teste ou de qualquer outra forma de avaliação!

Deixo-vos algumas dicas que poderão ajudar a minorar estes níveis de ansiedade, aos pequenos estudantes, em dias próximos às avaliações:

  • Evitem o estudo no dia da avaliação;
  • Realizem todas as tarefas diárias com tempo e sem atrasos;
  • Criem momentos de relaxamento no dia anterior, (música… atividade física… etc);
  • Procurem orientar a mente para pensamentos positivos;
  • Relembrem os bons resultados já alcançados;
  • Procurem retirar todas as dúvidas da matéria, aquando do estudo;
  • Mantenham um bom descanso e uma boa alimentação.

 

 Tal como em todas as outras situações, o diálogo é sempre um bom aliado, embora muitas vezes as crianças tenham alguma tendência para esconder estes sentimentos de ansiedade, promover as conversas e a expressão de sentimentos é sempre um passo positivo para a adaptação a estes novos momentos de stress.

Frases inspiradoras.png

(Imagem retirada da net)

 

publicado por Maribel Maia às 10:44

21
Mai 18

Quantas vezes os estudantes afirmam não terem trabalhos de casa para fazer ou testes marcados… alguns mentem propositadamente, outros não se recordam distraidamente!

Contudo, esta atitude deve ser desincentivada e se necessário punida com algum castigo, procurando-se assim, o desenvolvimento da responsabilidade, da maturidade e do gosto pelo trabalho alcançado.

Sei também, que atitudes e distrações destas levam o seu tempo até serem completamente abandonadas, por isso ficam aqui algumas propostas de ação:

  • Tenha uma tabela para preencher com as datas de testes e obrigue a que esteja atualizada; (podem encontrar essas tabelas aqui)
  • Reveja sempre os cadernos, com o estudante, para confirmarem se existem apontamentos de tpc’s;
  • Tenha o número de telemóvel de um colega e, quando surgirem dúvidas, ligue a perguntar;
  • Se estes esquecimentos forem continuados estabeleça um castigo, para quando acontecerem;
  • Mantenha reuniões regulares com o diretor de turma e converse com ele sobre isso;
  • Converse com o estudante sobre a necessidade de ser responsável;

 

Comece sempre pelo diálogo, porque muitas vezes este esquecimento pode ser um alerta de que algo não está normal e o problema pode advir: da escola; da família; do próprio…

HPIM1660.JPG

 

publicado por Maribel Maia às 12:33

Julho 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

15
17
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
Instagram
@educarcomvida
blogs SAPO