Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Educar (Com)Vida

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

Proposta de tarefas...

Agosto vai ser fixe!

Tal como em anos anteriores, partilho uma atividade diferente para cada dia, deste próximo mês de agosto.

Para que as crianças e adolescentes já não digam mais: "não tenho nada para fazer!"

Para além disso, assim as férias não se resumem apenas: a jogar no telemóvel!

agosto.jpg

Em formato pdf (para imprimirem): 

Agosto vai ser fixe.pdf

 

 

Os esquecidos livros de fichas!

Diálogo entre mim e estudante de 3º ciclo:

“Eu: _ Tens usado o livro de fichas da disciplina?

Estudante: _Não…

Eu: _ Então fazes em casa… para estudar.

Estudante: _ Eu acho que perdi esse livro, como não o uso…”

 

No início do ano letivo, quando as famílias vão comprar os manuais, junto com estes acrescentam-se uns livrinhos com muitas fichas, referentes às matérias do manual e as famílias adquirem porque não sabem ao certo se o professor da disciplina o irá solicitar, ou não, ao longo do ano letivo.

Com o decorrer dos meses, alguns desses livrinhos ficam esquecidos nas prateleiras lá de casa, os professores não os usam na escola, ou raramente mandam os exercícios para trabalho de casa, então os alunos assumem como se aquele pequeno livro não tivesse nenhuma utilização…. Este torna-se tão insignificante que, por vezes, fica perdido pela casa.

Pois bem, a minha opinião é bem diferente sobre esses pequenos livros, mas importantes, sempre que se aproxima a data da ficha de avaliação eu solicito que o estudante, depois de estudar bem a matéria, realize as fichas lá contidas que correspondem à matéria lecionada.

Por norma, esses livros trazem exercícios parecidos às fichas de avaliação e funcionam como um treino extra e uma forma de se perceber se a matéria está, de facto, apreendida.

Portanto, caras famílias, vamos revalorizar estes livros de fichas, utilizá-los antes das avaliações e em tempo de férias, etc., como um verdadeiro apoio ao estudo!

disciplinas.jpg

 

Atividades para a Inclusão

Tal como referi no Post anterior, a Inclusão precisa de ser ensinada e entendida desde terna idade. Para tal deixo aqui algumas dicas de atividades que promovam uma educação para a inclusão:

  • Contem pequenas histórias de situação concretas;
  • Façam grupos de crianças através de sorteio;
  • Promovam brincadeiras com várias crianças, para além da escola;
  • Conversem sobre as diferentes capacidades de cada criança, como sendo normal essa diferença;
  • Façam trabalhos coletivos e individuais, onde cada criança tem um contributo diferente, de acordo com a sua capacidade;
  • Expliquem que as dificuldades são desafios e que podem sempre ser superados;
  • Nunca seja exemplo de uma atitude de discriminação ou exclusão;
  • Se assistiu a uma atitude discriminatória com ou do seu filho/educando converse individualmente com ele e calmamente esclareça as atitudes certas e erradas;
  • Procure na internet jogos direcionados para a inclusão.

educação.jpg

 

Que tarefas domésticas as crianças podem fazer?

Agora que começaram as férias da Páscoa escolares, de uma forma pouco atípica, as crianças e jovens não devem sair de suas casas, portanto, outras tarefas devem ser incutidas para viverem de forma harmoniosa e produtiva.

Os estudantes devem continuar a:

  • realizar algum estudo diário, com exercícios de fichas, leituras e revisão de matérias;
  • devem manter algum exercícios físico, existem muitas propostas de aulas online, basta escolher;
  • fazer alguns trabalhos manuais que possam ajudar na organização do espaço;
  • brincadeiras diferentes, que podem elaborar de forma muito original;
  • controlar os horários em frente aos ecrãs;
  • realizar as tarefas domésticas, para apoio à família.

Para ajudar na orientação e definição das tarefas domésticas, em anexo, deixo uma tabela que sugere alguns exemplos de tarefas, por idades.

Sendo que, as famílias têm a clara noção daquilo que a criança já é capaz de fazer e, neste momento, em que estão todos em casa, podem também optar por desfiar a criança a realizar tarefas mais responsáveis e complexas, motivando a novas competências e aprendizagens.

tarefasdomesticas.jpg

 

Estás de Quarentena, não tens aulas…. O que fazer?

Já não se fala sobre outro assunto, o COVID-19 preocupa famílias em todos os países. Uma das medidas de precaução e prevenção tem passado pelo fecho de escolas e universidades.

No entanto, reter os estudantes em casa, não é tarefa fácil, nem motivadora, quer para eles, quer para a família. Neste sentido, é importante manter algumas rotinas de horários e de estudo, para além disso, é necessário criar momentos prazerosos num ambiente muito caseiro.

Para apoiar estas opções e decisões diárias, deixo em anexo, uma proposta de organização da rotina diária e que poderá ser repetida, semana após semana, conforme seja a necessidade de permanência em casa, sem atividades coletivas.

Este horário é apenas uma sugestão, pode e deve ser adaptado às especificidades de cada família e às originalidades das mesmas.

Relembro que, ao cuidarmos de nós e dos nossos, estamos a cuidar de todos/as, sempre com a esperança que tudo fique melhor!

Cuidem-se!

Em Quarentena.pdf

 

quarentena.jpg

 

 

Estudar com o irmão… rotina ou impossibilidade?

Diálogo entre mim e um/a estudante de 2º ciclo:

«Eu: _A tua irmã é mais nova do que tu! Já anda na escola?

Estudante: _Sim….

Eu: E tu ajudas a tua irmã a fazer os TPC’s?

Estudante: _Não, como ela não anda em Explicações/ATL e eu ando… ela quando chega a casa vai fazer os trabalhos de casa e eu vou brincar, porque já os fiz e também preciso de brincar…»

 

Deste diálogo posso retirar duas informações muito importantes para reflexão:

1ª – muitos são os irmão que ajudam os mais novos a realizarem os trabalhos da escola, ou a tirarem dúvidas, mas penso que, a maioria não tem muita disponibilidade e paciência para fazer os seus trabalhos e, ainda, dedicar tempo aos trabalhos do(s) irmão(s)… ficando esse apoio para outros elementos da família ou para os Explicadores/ATL’s.

2ª – a necessidade das crianças e a ansia pelos momentos de brincadeira e pelo tempo livre é sempre muito grande, principalmente, depois de um longo dia de escola, aos quais se acrescentam outras atividades extracurriculares e que, em muito, ocupam o tempo diário da criança… claramente, é de lembrar que brincar também é saudável e importante para o desenvolvimento. Destas brincadeiras não estou a incluir jogos de consolas, nem horas em frente aos ecrãs.

 

3ª – explicar a matéria e orientar nos TPC’s, de forma geral, são planos difíceis para toda a família (pais, irmãos)… todos já estão cansados das suas rotinas diárias e, no final de um dia atarefado, o à vontade com o familiar, pode despoletar zangas e birras. Por norma, ou são rotinas muito bem estruturadas em família, ou nem sempre decorre da melhor forma.

Com qual das três reflexões mais se identificam? Por aí, os irmãos ajudam ao estudo?

tpc.jpg

 

Quando uma atividade ocupa muito tempo?

Diálogo entre mim e um/a estudante de secundário:

Eu: _ O desporto ocupa muito do teu tempo?

Estudante: _ Sim, tenho treino quase todos os dias e jogos aos fins-de-semana…

Eu: _ Isso não te prejudica nos estudos?

Estudante: _Um pouco… fico com pouco tempo e não consigo fazer diretas para estudar…»

 

O desporto ou qualquer outra atividade extracurricular é uma forma de desenvolvimento e aprendizagem bastante importante e saudável. No entanto, por vezes é levado muito a sério pelos estudantes, o que os faz dispensar muitas horas por dia nessa atividade. Mais tarde ou mais cedo, os receios de que a atividade retire tempo ao estudo surgirá!

Pela minha visão, se existir muita motivação e boa capacidade de gestão, tudo se consegue com esforço, dedicação e imensa responsabilidade, não havendo a necessidade de abandonar algo tão prazeroso e importante para o estudante.

O apoio da família equilibrado com a exigência de bons resultados escolares é também uma mais valia para os momentos de grande exigência e também uma constante necessidade.

Como se diz: ‘é difícil, mas não é impossível…’

Existem, por aí, leitores com experiência nesta situação que queiram partilhar a sua opinião?

educação responsabi.jpg

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Vencedor:

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D