Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Educar (Com)Vida

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

Dicas para começar bem o novo Ano Letivo!

Os estudantes viveram intensamente estes últimos meses de férias de verão, com muita diversão, muita preguiça e pouco estudo, certamente!

Mas este mês já começa a solicitar novas rotinas e um novo contacto com o ensino formal. No iniciar deste setembro, os manuais escolares já devem estar em casa, o material escolar já deve estar em lista para aquisição, ou mesmo já comprado, é sempre conveniente perceber que material ainda está útil para iniciar um novo ano letivo.

Como sabemos, o ano letivo só começa a meio deste mês, mas será importante começar com novas rotinas, já nestes primeiros dias de setembro. Neste sentido, aqui ficam as minhas cinco propostas para começar bem o novo Ano Letivo:

 

Defina horários mais restritos de deitar e levantar

A grande maioria dos estudantes, ao longo das férias, desenvolveu o novo hábito de deitar tarde e levantar próximo da hora de almoço. Estes horários não se adequam aos dias de aulas, onde deve ser precisamente o contrário, portanto, como esta nova rotina é difícil para eles, convém começar rapidamente. Comece por definir horários para refeições, para deitar e levantar e exija que sejam cumpridos. Assim, quando chegarem os primeiros dias de aulas não terão estudantes mal humorados e ensonados pela casa e pela escola.

 

Defina horas de estudo

Alguns estudantes, no decorrer destas férias, já têm dúvidas se ainda sabem escrever e contar corretamente… é de grande importância que comecem a estudar algumas horas por semana, antes mesmo do início do ano letivo. Portanto, crie um horário de estudo para o estudante, pode optar por imprimir algumas fichas da internet, ou selecionar exercícios dos manuais do ano anterior. As propostas de estudo podem também passar pela leitura e pelo relembrar de algumas matérias em que o aluno tenha mais dificuldade.

Exercícios que serão sempre importantes: gramática de Português e língua estrangeira; matemática (cálculos e resolução de problemas), composições e leitura…

 

Restrinja a utilização de ecrãs

Eles passam horas entre telemóveis, tablets, TV… são as conversas nas redes sociais, os vídeos do youtube e as séries e filmes consumidos até à exaustão…

Para além de não ser muito benéfico passar muitas horas em frente a estes ecrãs, também contribui para a sedentarização e a falta de motivação para outros desafios diários. Se, ao longo destas férias, não controlou tanto esta utilização, agora terá mesmo de ser. Defina horários mais restritos e supervisione atentamente. Com a inclusão dos pontos que referi anteriormente, também não haverá tanto tempo disponível para esse uso pouco controlado.

 

Oriente para a finalização dos TPC’s de férias

Esta proposta direciona-se, principalmente, para os estudantes de 1º ciclo que, normalmente trazem orientações dos professores para a realização de fichas e trabalhos que devem ser realizados em tempo de férias. Alguns alunos tendem a deixar um pouco para depois e acabam por se esquecerem de os realizar. Agora é a altura indicada para rever estes trabalhos, corrigir e verificar o que ainda não foi feito, de forma a que fiquem prontos antes do início do novo ano letivo.

 

Repense, reflita e organize as atividades extra curriculares

A maioria dos estudantes tem atividades de educação/formação que ocorrem fora dos tempos escolares. Agora é o momento indicado para refletirem, em família, sobre elas. É importante questionarem quais as que devem acabar/começar, se estão adequadas, se não serão sobrecarga para o estudante… para além disso, é importante organizar horários e definir estratégias de organização familiar. Assim o estudante começará o ano letivo mais confiante nas suas rotinas e motivado para todas as atividades, dentro e fora da escola.

notas.jpg

 

Mês de Agosto: propostas para todos os dias

Chegamos ao mês de agosto e muitos estudantes já não sabem o que fazer nas férias… querem fazer muitas atividades em família e muita atenção. Para ajudar na organização de tarefas e atividades, deixo uma proposta por dia, ao longo do mês.

Fica como simples sugestão, como habitual, podem seguir esta tabela, ou criar uma diferente, mais adaptada às espectativas familiares.

Mês agosto.jpg

 

Educação Rodoviária: cuidados em bicicleta

Se, de um modo geral todos devemos ser educadores, neste vasto conceito de Educação Rodoviária, em situações mais concretas, essa educação pauta-se por atitudes de simples cuidados e atenções. Quase todas as crianças adoram ter uma bicicleta, um skate, ou uns patins para poderem andar e brincar, contudo o uso desses transportes exigem cuidados especiais particulares.

Ora vejamos:

  • Antes de utilizar o transporte, realizar uma revisão para verificar se nada está em mau estado;
  • Procurar jardins e parques fechados, evitando a proximidade de automóveis;
  • Usar capacete, joelheiras e cotoveleiras para proteção;
  • Não circular próximo de veículos estacionados, pois poderão abrir portas;
  • Manter a atenção a quem circula no mesmo espaço (pessoas e animais);
  • Evitar acrobacias ou fazer corridas;
  • Ter em atenção os pisos escolhidas, evitar folhagem, pedras ou água…

 

Que cuidados mais o leitor propõe que acrescentemos?

bike.jpg

(imagem retirada da internet)

Educação Rodoviária: andar pela rua

As crianças mais pequenas precisam de aprender conceitos básicos como andar na rua, atravessar uma rua ou ir a casa de outras pessoas. Assim sendo, as primeiras aprendizagens que devem ser incutidas às crianças são as seguintes:

  • Ensine-a a olhar para os dois lados da rua várias vezes antes de atravessar, atravessando apenas quando não existirem perigos;
  • Ensine-a a caminhar nas faixas de pedestres sempre que existirem;
  • Ensine-a a utilizar passadeiras e a caminhar pelos passeios, de frente para os automóveis;
  • Ensine-lhe os sinais de trânsito mais básicos;
  • Ensine-a a não correr nem brincar na estrada;
  • Ensine-a a tomar atenção aos carros que fazem manobras;
  • Ensine-a a andar em fila ou de mão dada quando estão na rua com mais crianças;
  • Avise-a que não deve entrar em quintais ou jardins privados;
  • Não permita que crianças com menos de 10 anos andem sozinhas na rua;
  • Mantenha a mão dada a crianças pequenas, na rua e nos estacionamentos;
  • Sempre que a criança sai sozinha, controle o tempo de trajeto…

 

Bons passeios em segurança!

14fa2df110f49ab47abced56e5130517.jpg

(Imagem retirada da internet)

Educar para a Sustentabilidade: pequenas dicas…

Cada vez mais encontramos estudantes sensíveis às questões ecológicas e de proteção da natureza… demonstram isso nas suas conversas e mesmo nas suas atitudes… contudo o trabalho, o exemplo, a formação e a educação, não deve terminar por aqui. Torna-se necessário uma educação ambiental transversal, no quotidiano do estudante.. seja na escola… em casa… nos lugares de passagem e de presença.

Por esta razão, e como não é demais lembrar, aqui ficam algumas dicas para os educadores trabalharem este assunto com quem aprende:

 

  • Sempre que forem passear para a natureza, recolham lixo encontrado e coloquem-no no contentor correto;
  • Converse sobre questões como: escassez da água potável, necessidade de reciclagem, e os problemas do consumismo;
  • Motive para os encantos do contato com a natureza, seja fauna ou flora (animais e plantas);
  • Apoie na separação do lixo;
  • Incentive ao reaproveitamento de produtos;
  • Troque, venda, ou doe objetos que já não utilizam;
  • Sensibilize para a importância dos consertos;
  • Converse sobre a origem da alimentação e a sua qualidade (animal e vegetal);
  • Supervisione desperdícios de água, luz e papel;
  • Responsabilize pelos danos aos objetos e materiais;
  • Procure soluções sobre este tema com o estudante;
  • Esteja informado para poder (in)formar…

 

Não se esqueça que este Planeta será habitado por muitas gerações seguintes.. sejam eles seus bisnetos ou tetranetos…

 

1002135_725407190891189_738892675_n.jpg

(imagem retirada da internet)

Como educar para a responsabilidade?

Ter uma atitude responsável perante a vida é, sem dúvida, um processo imprescindível, que demora muitos anos a adquirir e aperfeiçoar, trazendo consigo vivências, tentativas e inseguranças.

As primeiras instituições sociais a incutirem esta responsabilidade são as famílias, que diariamente devem educar para uma autonomia responsável e consequente.

Quando um estudante se torna responsável e esforça-se, constantemente, neste sentido receberá bons resultados deste empenho, pois isso reflete-se diretamente nos resultados escolares, e na confiança que os outros adultos e colegas lhe oferecem.

Certamente, a família terá várias estratégias para tentar incutir este conceito fundamental. No entanto, como nunca é demais orientar, aqui ficam mais uma dicas para refletir:

  1. Utilize o diálogo como forma de explicação sobre a importância deste conceito para a vida e para situações atuais;
  2. Defina que a confiança da família, professores, amigos tem de ser conquistada através destas atitudes de respeito e de responsabilidade;
  3. Nunca se esqueça que vocês é exemplo imprescindível, certamente será imitado/a nas atitudes;
  4. Exija o cuidado com tarefas e objetos, com penalizações para incumprimentos, descuidos e esquecimentos;
  5. Ensine a importância do respeito, por nós, pelos outros e pela Natureza;
  6. Ensine que os sentimentos dos outros são de muita importância;
  7. Defina tarefas e funções, partilhando as tarefas domésticos;
  8. Mostre confiança nesta responsabilidade sempre que o mereça;
  9. Use agendas ou tabelas de orientação sempre que necessário;
  10. Faculte tarefas com maior exigência e explique o grau de responsabilidade implícito…

19017614_eQZ12.jpeg

(imagem retirada da internet)

Dicas que desenvolvem a Motricidade infantil e juvenil

Para o desenvolvimento da motricidade, os educadores poderão ter um papel fundamental no incentivo e na promoção de tais capacidades. Antes mesmo da criança entrar na idade escolar, os infantários desenvolvem variadas atividades para promoção de ambas as formas de motricidade, que depois serão continuadas na escola através da escrita (motricidade fina) ou da educação física (motricidade global).

Contudo, em casa, as famílias poderão também auxiliar este trabalho, realizando com as crianças atividades simples e facultando tarefas simples que desafiem estas capacidades motoras:

  • Brincadeiras ao Ar livre, que permitam correr, saltar, brincar ao Faz de Conta e de forma descontraída, apoia também uma relação de confiança consigo própria e com a família; (Motricidade Global)

 

  • Tarefas diárias, permitindo que a criança procure ser autónoma nas tarefas simples, como alimentação, higiene, arrumação e organização; (Motricidade Fina)

 

  • Participação em atividades desportivas, sejam atividades individuais ou coletivas, desde que motivadoras para a criança, promove maior coordenação motora e também estimula um estilo de vida mais saudável; (Motricidade Global)

Resultado de imagem para crianças a brincar(imagem retirada da net)

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D