Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Educar (Com)Vida

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

Promover uma autonomia escolar, desde cedo!

«A professora pediu o meu e-mail… socorro que tenho de tomar conta das minhas coisas e dos recados…»

Quando as crianças começam a estudar no 1º ciclo são os pais que têm de orientar e de saber quais as datas dos testes, quais os TPC’s e o que se deve estudar… no entanto, progressivamente, a criança deve tornar-se autónoma, sendo que, a partir do 5º ano deve ser estimulada a ter estas capacidades:

  • Saber as datas de testes e de entregas de trabalhos;
  • Saber definir com os colegas os trabalhos de grupo e as tarefas;
  • Saber que TPC’s estão marcados e apontar, sempre, no caderno diário;
  • Saber as notas e avaliações a cada disciplina;
  • Saber o que estudar e quando estudar;
  • Definir um plano de estudo quando existem muitas tarefas escolares diferentes;

A sua ajuda é importante, mas sempre neste sentido… para motivar o estudante, no início de cada ano letivo, ofereça-lhe uma agenda escolar…

propostas.jpg

 

Abril:

escola para que te quero?!

A Primavera já quer bater à nossa porta e, nos estudantes, os efeitos são notórios… eles querem dedicar mais tempo às amizades, aos amores e menos aos estudos… procuram motivos para passear, estar com a família e com os amigos…. Sublinham que estão cansados e que precisam urgentemente de mais férias… Tudo isto irá exigir mais atenção por parte dos encarregados de educação e uma constante negociação.

Nesta época, alguns alunos fazem o típico ‘dormir à sombra da bananeira’ que significa ‘como tenho tido boas avaliações não preciso de estudar muito’ e é aí que os resultados começam a baixar, sem que o próprio aluno se aperceba desta justificação.

abril.jpg

 

Os esquecidos livros de fichas!

Diálogo entre mim e estudante de 3º ciclo:

“Eu: _ Tens usado o livro de fichas da disciplina?

Estudante: _Não…

Eu: _ Então fazes em casa… para estudar.

Estudante: _ Eu acho que perdi esse livro, como não o uso…”

 

No início do ano letivo, quando as famílias vão comprar os manuais, junto com estes acrescentam-se uns livrinhos com muitas fichas, referentes às matérias do manual e as famílias adquirem porque não sabem ao certo se o professor da disciplina o irá solicitar, ou não, ao longo do ano letivo.

Com o decorrer dos meses, alguns desses livrinhos ficam esquecidos nas prateleiras lá de casa, os professores não os usam na escola, ou raramente mandam os exercícios para trabalho de casa, então os alunos assumem como se aquele pequeno livro não tivesse nenhuma utilização…. Este torna-se tão insignificante que, por vezes, fica perdido pela casa.

Pois bem, a minha opinião é bem diferente sobre esses pequenos livros, mas importantes, sempre que se aproxima a data da ficha de avaliação eu solicito que o estudante, depois de estudar bem a matéria, realize as fichas lá contidas que correspondem à matéria lecionada.

Por norma, esses livros trazem exercícios parecidos às fichas de avaliação e funcionam como um treino extra e uma forma de se perceber se a matéria está, de facto, apreendida.

Portanto, caras famílias, vamos revalorizar estes livros de fichas, utilizá-los antes das avaliações e em tempo de férias, etc., como um verdadeiro apoio ao estudo!

disciplinas.jpg

 

Março:

ainda muito se pode estudar!

Estamos em pleno 2º Período, o que exige mais esforços e preparação para as avaliações. Embora o ano letivo já vá longo, a exigência destas avaliações são elevadas, quem não recuperar as avaliações pretendidas neste Período pode prejudicar o seu percurso escolar.

Pondere a necessidade de um apoio escolar extra se identificar essa necessidade! Pondere alterar ou ajustar o método de estudo, se verificar essa falha… ou aumente o horário de estudo se aí residir alguma necessidade. Claramente que, tudo isto deverá ser dialogado com o estudante, sendo ele parte importante da análise e da tomada de decisão.

Está na altura de fazer um novo contacto ao/à Diretor de Turma para, junto dele, receber informações sobre aprendizagem e comportamento do seu estudante.

março.jpg

 

Regras para as aulas Online

Quem, por cá visita, propôs que eu escrevesse sobre as regras e cuidados a ter quando estamos em formação online. Uma vez que, é esta a realidade que nos surge devido ao atual estado de pandemia.

Cá ficam algumas dicas:

Sempre que for possível, os estudantes devem ter um computador (porque alguns documentos não abrem corretamente no sistema android) com uma boa rede de internet, para não verem as suas sessões de estudo constantemente interrompidas.

Estar a ter aulas em casa, não é o mesmo que estar em férias, portanto, existem regras básicas que devem ser seguidas, como vestir roupa adequada, ter a webcam ligada e o microfone desligado, mantendo sempre a máxima atenção.

O lugar de aprendizagem deve estar bem definido, de preferência deve ser um espaço que permaneça em silêncio e sem acesso a outras formas de comunicação, como por exemplo a tv.

Tudo aquilo que os professores solicitam para o estudo complementar deve ser realizado, mesmo a visualização de um vídeo, ou o estudo de algumas páginas do manual… algo que sei, muitas vezes é ignorado…

Os trabalhos são para serem realizados individualmente e não partilhados entre os alunos, os prazos de entrega têm de ser respeitados diariamente, pois só assim conseguirão uma aprendizagem real e efetiva.

estudo_online.jpg

(Imagem retirada da internet)

Aulas online – Saiba distinguir:

Sessões síncronas e assíncronas

Agora que as aulas voltaram a ser online, as famílias deparam-se com novos conceitos, que devem saber interpretar e distinguir. As Sessões síncronas e assíncronas diferem no seguinte:

 

Sessões síncronas: são desenvolvidas em tempo real e permitem aos alunos interagirem online com os seus professores e também com os seus colegas, para participarem nas atividades letivas, no processo de ensino/aprendizagem. Nestas sessões os estudantes podem também esclarecer as suas dúvidas, colocarem questões e apresentarem os seus trabalhos. Estas sessões estão direcionadas para a aquisição de novos conteúdos escolares.

Sessões assíncronas: são desenvolvidas em tempo não real, em que os alunos trabalham de uma forma autónoma, acedendo a recursos educativos e formativos e a outros materiais curriculares disponibilizados pelos seus professores, nas plataformas das suas escolas. Estas sessões estão direcionadas para a consolidação dos novos conteúdos escolares adquiridos nas sessões síncronas.

 

Para as sessões síncronas, os alunos devem ter um equipamento (computador/tablet) com acesso à internet e com câmara. Para além disso, devem instalar uma das várias plataformas disponíveis: Teams, Zoom, Skype, etc… que será definida pelo Agrupamento Escolar.

Para as sessões assíncronas, os alunos devem ter acesso à página do Agrupamento Escolar, onde diariamente recebem novos trabalhos e recursos partilhados pelos professores. Devem ainda ter o seu próprio email, para enviar documentos, fichas e trabalhos e para um contacto mais direto com cada professor.

 

Enquanto as escolas permanecerem fechadas, cada estudante terá ambas as sessões diariamente, com o objetivo de manter o processo de ensino/aprendizagem uma realidade… Desejo muito que tal aconteça!

 

novidades.jpg

 

As vídeo aulas ajudam a estudar?

Cada vez mais se utiliza a internet para tudo… para comunicar, para brincar, para divertir… também podemos usá-la para estudar! Existem documentários muito explicativos, existem fichas para imprimir, exercícios para fazer online e também existem as vídeo aulas.

Estas vídeo aulas são a gravação de uma aula sobre uma determinada matéria em vídeo, que podem ser facultadas pelo próprio professor da disciplina, como podem ser pesquisadas, livremente, na internet. Os formatos podem ser variados, desde a voz/imagem de um professor, esquemas interativos, fotografias/imagens, ou mesmo uma junção destas várias opções.

Ao utilizar este método de ensino à distância, o estudante pode tornar-se mais autónomo na procura de conteúdos a estudar e tem mais um recurso didático para a fixação de conteúdos.

Aprender com este método pode ser mais simples e motivador! Não podemos olhá-lo como um único recurso à aprendizagem, mas sim como um bom complemento a esta. Portanto, sempre que surgir alguma dificuldade em aprender determinada matéria, os estudantes, podem recorrer a estas vídeo aulas como mais uma ajuda e apoio ao estudo.

pesquisa.jpg

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Vencedor:

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D