Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Educar (Com)Vida

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

A Importância das Explicações, na Atualidade!

Nos dias que correm a educação tornou-se o melhor investimento que uma pessoa pode fazer para o seu futuro. No entanto, estudar e atingir os objetivos mínimos não é suficiente. Atualmente é necessário garantir que temos todo o conhecimento que nos foi passado bem consolidado.

Na última década verificou-se de forma generalizada uma descida do rendimento escolar dos alunos. Esta degradação não pode ser apenas atribuída aos professores, pois estes, na sua vasta maioria, fazem tudo o que podem para auxiliar os seus alunos. No entanto, podemos atribuir esta degradação ao facto de termos grandes turmas que acabam por sobrecarregar os professores e fazer com que estes não consigam auxiliar de forma individual e personalizada cada aluno que mostra dificuldades. No contexto de pandemia, com que nos deparámos nos dois últimos anos, e com a necessidade da reestruturação dos modelos de ensino para que os alunos conseguissem continuar a ter aulas à distância, verificou-se o agravar da degradação do desempenho dos alunos. Esta situação não pode ser atribuída diretamente ao facto das aulas serem online, mas sim novamente ao facto de existirem turmas muito grandes que levam a que exista pouco apoio individual e personalizado.

Para colmatar estas falhas no ensino podemos considerar as explicações individuais uma mais-valia, sejam estas em formato online ou em formato presencial. As explicações individuais visam a acompanhar o aluno e colmatar as dificuldades dele, numa primeira fase. De seguida, o objetivo do explicador é que o aluno melhore o seu rendimento e assim consiga consolidar todo o conhecimento e ainda aplicá-lo nos mais variados contextos. O facto de a explicação ser individual permite adaptar as sessões aos gostos e interesses do aluno, permitindo que este se sinta mais motivado a estudar e, futuramente, desenvolva capacidades de trabalho autónomo. 

As explicações, tanto online como em formato presencial, permitem ajudar os alunos a desenvolver as mais variadas capacidades. Desde capacidades sobre os conteúdos como o desenvolvimento de capacidades no que toca à utilização de novas tecnologias de forma pedagógica e didática. 

Deste modo, podemos concluir que nos dias de hoje uma fonte de apoio externo ao modelo de ensino comum é uma mais valia. Conseguindo colmatar algumas falhas existentes no ensino, no que diz respeito à pouca individualização do mesmo devido ao elevado número de alunos por turma. E ainda, ajudar os alunos a desenvolver várias capacidades que os permitirão ser mais autónomos e, como tal, ter um melhor desempenho académico no curto prazo e ainda prepará-los melhor para os desafios académicos e profissionais que mais tarde enfrentarão.  

Se estiverem à procura de um serviço capaz de resolver estas lacunas atuais, recomendo o LXMATH.

Criado em 2018, o LxMath surge com o objetivo de ajudar a Matemática a compreender os alunos.

Com uma metodologia ancorada no princípio de perceber as capacidades de cada aluno, e com essa informação adaptar os conteúdos programáticos, temos como missão inovar na área das explicações individuais, com uma oferta formativa de explicações presenciais, online e ao domicílio.

Hoje, vamos para além da Matemática, e contamos com profissionais especializados em diversas ciências exatas, nomeadamente Física, Química, Biologia e Geologia (ensino secundário), bem como diversas cadeiras de Engenharia (ensino superior).

Seguindo à regra o seu mote “Para que aprender não seja sinónimo de memorizar”, o LxMath  destaca-se pelo seu programa de Preparação para os Exames Nacionais. Este programa consiste num acompanhamento do aluno através de avaliações iniciais, aulas individuais, exames internos e um planeamento prévio, adaptado às necessidades de cada estudante.

Por sua vez, os alunos do ensino superior podem contar com o auxílio de várias ferramentas visuais, usadas pelos profissionais do LxMath, para compreender e resolver os exercícios sem recurso a estratégias de memorização e mecanização de resoluções.

 

 Escrito por Beatriz Ferreira, em Parceria com LxMath

LxMath.jpg

 

A desmotivação que chega com o 3º Período

Mesmo os alunos mais dedicados chegam ao 3º Período escolar já com a manifestação de algum cansaço, com isso chega também a desmotivação para o estudo. Isto, por vezes, reflete-se nas avaliações, eles já estão convencidos que as notas dos Períodos anteriores irão segurar estas ultimas avaliações e, portanto, dedicam menos tempo ao estudo e mais tempo ao lazer… até porque, o calor e a primavera convida a outras atividades mais motivadoras!

Nem sempre as famílias se apercebem desta situação, apenas após um conjunto de avaliações que aparecem, com valores mais baixos, é que denotam que algo tem acontecido!

Para que esta situação não prejudique o empenho realizado ao longo do ano letivo, as famílias devem estar atentas:

  • Mantenha a atenção e controle as rotinas de estudo, efetivas;
  • Promova momentos de verdadeiro descanso e passeio no final de semana ou feriados;
  • Faça questões sobre a matéria, antes das avaliações, para verificar a real aprendizagem;
  • Controle os momentos com ecrãs e redes sociais;
  • Ajude na organização da gestão entre lazer e estudo;
  • Incentive para o estudo, principalmente, quando ainda faltam os Exames Nacionais.

ano letivo.jpg

 

Exames Nacionais: preciso de explicações….

Parte II

A maioria das escolas oferece algumas sessões de aulas extra, para tirar dúvidas e preparar os seus alunos para os exames, nas semanas anteriores aos exames, sendo um apoio importante.

No entanto, em alguns casos, este confronto com os exames nacionais deixam os alunos inseguros e com dúvidas, levando alguns a recorrer ao apoio profissional, fora dos estabelecimentos de ensino.

Esta procura para preparação para exames deve ser feita com algum tempo e deve-se ter em conta as seguintes condições:

  1. Se tens apenas algumas dúvidas, então, marca apenas algumas horas de explicação individual, atempadamente, para teres tempo de perceber se é suficiente, ou se precisas de algum apoio mais;
  2. Por vezes, mesmo os bons professores não conseguem chegar a todos os alunos, podes ter de procurar outro explicador que melhor se adapte à tua forma de estudar e compreender, procura com tempo;
  3. Não te esqueças que estão muitos alunos na mesma procura de apoio como tu, depois torna-se difícil encontrares horários disponíveis;
  4. O melhor é sempre optar por explicações individuais, quando são coletivas, nem sempre estão todos ao mesmo nível de entendimento da matéria o que gera dificuldades para explicadores e alunos;
  5. Se não compreendes grande parte da matéria da disciplina, começa com explicações semanais, logo no início do ano letivo, ou irás ter muitas dificuldades de memorizar e compreender tudo;
  6. Procura um explicador com que te sintas à vontade, por norma eles não se importam em te explicar a matéria as vezes que forem necessárias até que entendas, portanto, não tenhas vergonha….

exames nacionais (1).jpg

 

Ao Quadro de Mérito chegam os alunos de ‘excelência’….

Diálogo entre mim e um/a estudante de 2º ciclo:

«Eu: _Sempre ficaste no quadro de mérito!!… tínhamos falado que talvez não fosse possível…

Estudante:_ Pois… eu ia ter 4 a educação física e não dava… mas o professor deu uma ajuda e deu-me 5 de nota final e fui!»

                        

É um orgulho para o estudante e para a família estar incluído na lista de estudantes da escola no Quadro de Mérito, significa que o aluno foi dos melhores naquele ano, conseguiu avaliações muito elevadas e demonstrou empenho e dedicação, ao longo de todo o ano.

Ao analisarmos cuidadosamente este conceito, certamente que existem opiniões divergentes sobre a existência, ou não, de tal catalogação… se por um lado, laureamos e aplaudimos os alunos que se esforçam para obter excelentes resultados, por outro lado, levarmos isto a exigências stressantes e a competições desmedidas pode trazer várias ideias e conflitos de opiniões.

Na minha opinião, os bons resultados devem ser sempre encorajados e incentivados, pois o estudante deve ter orgulho do seu trabalho e ser reconhecido pelo seu esforço. No entanto, como em tudo na vida, deverá ser na medida certa, sem excesso de vanglória, ou podemos desenvolver adultos narcisistas, um competidor desmedido ou, pelo contrário, colocar tanta pressão que bloqueia o processo de aprendizagem ou desmotive a vontade de aprender.

Muito importante é, reconhecer o esforço de cada estudante, tenham obtido Suficiente, Bom ou Muito Bom, porque as capacidades e competências não são iguais para todos. Somos melhores numa área do que em outra e isso também deve ser reconhecido….

Dê os parabéns ao aluno que tira 5 a matemática e também ao que tira 5 a educação visual… reconheça sempre o esforço do aluno, mesmo que após tanto empenho só tenha conseguido chegar ao 3…

Esta é a minha opinião… e a vossa? Fica aberta a janela dos comentários, para as partilhas e reflexões!

alunos.jpg

 

Os trabalhos escolares, por vezes, podem ser caros!

Ao longo do ano, os professores propõe alguns trabalhos escolares que podem exigir mais originalidade e imaginação, permitindo o uso de alguns materiais, mais ou menos comuns, para serem base de trabalhos escolares, aplicando-se, simultaneamente, conhecimentos teóricos e práticos (informação, criatividade e trabalho manual).

Estes trabalhos podem tornar-se um gasto de dinheiro acrescido para o orçamento familiar porque, muitas vezes, precisam de comprar objetos e materiais que não têm em casa. Por exemplo:

  • Cartolinas;
  • Cartão;
  • Colas;
  • Gesso/argila;
  • Madeira;
  • Esferovite;
  • Elementos químicos;
  • Telas, pinceis, tintas;

Mesmo que não seja uma orientação direta do professor, muitas vezes, os alunos têm ideias originais que gostariam muito de colocar em prática, para determinado trabalho. Logo, incentivam os pais a comprarem todo o material necessário.

Se o trabalho for realizado em grupo, os valores a gastar tornam-se mais baixos porque se podem dividir por várias famílias, se o trabalho for individual, acontece, volta e meia, a família acaba por comprar alguns objetos/materiais bem dispendiosos.

Têm experiências destas? Já precisaram de controlar estes trabalhos, para que não se tornassem um gasto maior?

trab escolares (1).jpg

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Vencedor:

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Blogs Portugal