Com um olhar pluridimensional sobre a EDUCAÇÃO, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida... este é um convite para conversar sobre educação.

23
Out 18

Tem tudo para correr bem… e tudo para correr mal…. E as crianças pensarão: ‘São os pais que estão ali para tudo, para todas as perguntas e todas as respostas… são os melhores e mais sábios, portanto saberão a resposta à pergunta número 1 … 2… e talvez também à 4 e a 5… ou seja, todo o TPC…’

Mas os pais tiveram um dia de trabalho daqueles, já nem conseguem fazer uma conta de somar, quanto mais distinguir as palavras homógrafas das homónimas... espera lá… também há as parónimas???…. E as tarefas domésticas a atrasarem-se… e o jantar que não se faz… e a mãe que não chega para ajudar… 

Não é que os/as Explicadores/as sejam mais Sábios que os pais, contudo, ser Pai ou Mãe será, certamente, mais importante que ser Explicador, das mais variadas matérias…. Enquanto que o Explicador/a poderá ser um facilitador do processo de aprendizagem escolar… 

Concordam? Contem lá as vossas experiências… 

 

pai-e-filho-estudando.jpg

(imagem retirada da inernet)

 

publicado por Maribel Maia às 15:22

18 comentários:
Eu sou a explicadora dos meus filhos. Nem sempre é fácil gerir as duas vertentes. Há dias em que eu estou ali mas não devia porque tenho efetivamente outras coisas para fazer e sinto que em determinado matérias já deviam estar mais autónomos.

Não é mesmo fácil!
Cátia a 23 de Outubro de 2018 às 15:50

Obrigada pelo testemunho!!! Também me parece algo muito complexo e difícil!!!
Maribel Maia a 23 de Outubro de 2018 às 15:53

Concordo a 100%!!! Acho mesmo que a escola jamais deveria passar da porta de casa para dentro, no sentido em que considero inadmissível que as criança passem o dia na escola, os pais o dia no trabalho e ao chegarem a casa em vez de tempo de qualidade, a aprender valores, a contar histórias, a brincar, a serem família, não!, está tudo de volta dos TPC, a fazer aquilo que não é suposto uma família fazer...
Tal como os pais não são professores os professores também não são os pais das nossas crianças. Cada um deverá ter o seu papel!
Isto para não focar a questão das desigualdades: Pais com licenciatura estão muito mais capazes de "ajudar" (entre parênteses pois para mim há diferença entre dar uma ajuda esporádica e estar a estudar com a criança. Estudar com a criança para mim não é ajudar! Mas isso já são outros tantos...) do que os pais que têm apenas a 4ª classe, 7º ano ou nem isso... os professores, o sistema de ensino deveria reflectir seriamente sobre isto. Se há necessidade das crianças trazerem TPC e estudos exaustivos para casa, alguma coisa está muito mal no ensino!
Como sempre, cá vai o meu "testamento"! Sorry!
amarquesademarvila a 23 de Outubro de 2018 às 16:01

Adorei o 'testamento'/reflexão!! Também concordo, os pais precisam de passar tempo de qualidade com as crianças que vai muito para além do estudo... para além disso, cada vez mais, os alunos passam muito tempo entre as escolas e os atl's, chegam tarde, cansados e querem é estar em frente a um ecrã, o que também não ajuda...
Obrigada, Beijinhos
Maribel Maia a 23 de Outubro de 2018 às 16:18

Eu ja me deixei disso. Que me desculpem os entendidos, mas há 18 anos que deixei a escola e mesmo tendo sido boa aluna, já cheguei a uma fase em que quando me perguntam alguma coisa das materias que dão agora (e de como as dão), eu já pareço um "burro a olhar para um palácio". As vezes ainda tento e vou pesquisar, para me relembrar. Mas na grande parte das vezes, explico-lhe (e ela tambem já percebeu isso), que eu não ajudo por não querer. Só que a forma como as coisas eram dadas antigamente, não são sequer semelhantes a forma de ensino agora.
Beijinhos
Ninita a 23 de Outubro de 2018 às 16:20

Bem verdade, a matéria poderá ser parecida mas os métodos têm mudado em algumas disciplinas... por exemplo, as famosas contas de dividir são realizadas de forma bem diferente da forma que eu aprendi!!!
Obrigada pelo testemunho!
Beijinhos
Maribel Maia a 23 de Outubro de 2018 às 16:34

Identifiquei-me bastante com o texto, e o comentário da Marquesa
Não sei se me posso considerar explicadora da minha filha, uma vez que há muitas coisas que, simplesmente, não percebo nem sei como lhe explicar.
Já fui, em tempos, uma espécie de "professora", quando ela esteve cerca de um mês e meio sem poder ir à escola, e tinha que saber a matéria para as provas do final do ano.
Desde sempre que, quando ela traz trabalhos e sabe, faz sozinha. O que não sabe, espera por mim para ver se a consigo ajudar. E sim, já passámos horas a tentar decifrar os TPC's, e deitar tarde, com a cabeça em água, muitas vezes chateadas porque ela já não tinha paciência para ouvir, e eu já não tinha paciência para a falta de paciência dela.
Quando preferia mil vezes estarmos a fazer algo mais divertido, produtivo, do ponto de vista familiar.
Ainda hoje tento, tal como o meu marido, ajudar. Pesquisas na internet, leitura dos manuais, fazer perguntas e exercícios em tempo de testes para ver se está lá tudo na cabeça.
Mas há muitas matérias em que já não consigo ajudar. E a matemática foi mesmo para explicação individual profissional.
Se os nossos filhos pudessem ter, em horário de aulas, as explicações e ajuda que precisam, era um alívio enorme para os pais em casa, e para as próprias crianças/ jovens estudantes.
Há vida para além da escola, mas parece que ainda ninguém percebeu isso.
marta-omeucanto a 23 de Outubro de 2018 às 16:41

'Há vida para além da escola'... bem verdade, onde muito se ensina e muito se aprende...
Obrigada Marta pelo testemunho, tenho a certeza que muitas famílias se irão identificar com ele!
Beijinhos

Há cerca de ano e meio, levei a minha filha comigo para uma acção solidária. O tempo em que ali estivemos, a angariar verbas para ajudar os animais, foi o tempo que não estudou para um teste. Acabou por tirar boa nota, mas preferi que ela aprendesse alguma coisa com este tipo de iniciativas, do que decorar algo que não lhe servirá no futuro, para despejar num teste e esquecer em seguida.
Desde que ela foi para o 2º ciclo, que só conseguimos aproveitar um ou dois fins de semana em cada período, para fazer algo diferente, em intervalos de testes, ou nas férias escolares.
Já chegámos a passar tardes inteiras do fim de semana entre TPC's e estudo para testes.

Participar em ações diversas, praticar desporto, aprender música... tantas outras atividades extra curriculares... são fundamentais para o desenvolvimento integral de quem cresce, sem dúvida!!! Não chega decorar coisas...
Maribel Maia a 23 de Outubro de 2018 às 17:04

É difícil, muito difícil, por vezes!
Até porque eles percebem perfeitamente quando estamos ansiosas e sem paciência.
Mas acho que é uma forma de ir acompanhando o que eles vão fazendo na escola...uma forma de partilhar a vida deles.
Porque suponho que seja cada vez mais difícil encontrar momentos para brincar.
Os TPC acabam por ser "uma obrigação" que une os pais e os filhos.
Todavia, cada caso é um caso, como é óbvio...
A 3ª face a 23 de Outubro de 2018 às 21:12

Partilhar a vida escolar é, realmente, muito importante e ajudar a estudar apoia isso também!
Obrigada pelo testemunho! Estes comentários apresentam-se de grande riqueza!
Beijinhos
Maribel Maia a 24 de Outubro de 2018 às 00:29

Sou completamente a favor dos explicadores, mas os miúdos já passam tanto tempo longe de casa e dos pais... Não é fácil lidar com os TPC e os afazeres domésticos, confesso que o meu descanso é o dormir são os mais prejudicados no meio disto tudo...
Milheiras a 23 de Outubro de 2018 às 23:34

As explicações são importantes, mas com peso e medida...
Muitas vezes, as famílias sacrificam os seus tempos de descanso...bem verdade.
Obrigada pela partilha! Beijinhos
Maribel Maia a 24 de Outubro de 2018 às 00:33

Os meus pais apenas me explicavam na escola primária. Depois, já não tinham conhecimentos.
O ultimo fecha a porta a 24 de Outubro de 2018 às 22:25

Parece-me que os tempos têm mudado muito, agora, praticamente, todas as crianças e jovens recorrem a apoios, seja em casa, seja nos profissionais! Antes, a maioria dos estudos não tinha qualquer apoio, isso era o normal...
Obrigada pela partilha!
Maribel Maia a 25 de Outubro de 2018 às 08:44

sou mais um tirador de dúvidas do que propriamente explicador das minhas filhas... mas elas felizmente e até agora, tem sido as meninas do pai sem sobressaltos escolares.
Pedro D. a 25 de Outubro de 2018 às 14:53

Isso é excelente!!! Esperemos que assim continue!!
Obrigada pela partilha!!!
Maribel Maia a 25 de Outubro de 2018 às 14:54

Outubro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

14
17
20

21
24
27

28


pesquisar
 
mais sobre mim
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Instagram
@educarcomvida
blogs SAPO