Com um olhar pluridimensional sobre a EDUCAÇÃO, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida... este é um convite para conversar sobre educação.

17
Abr 19

Ficamos indignados sempre que ouvimos notícias de alguma criança que trabalhava ilegalmente numa qualquer empresa nacional ou internacional, mas todos os dias deparamo-nos com o trabalho infantil enquadrado em termos legais, na TV, nas revistas, no desporto, na música, na publicidade… valorizamos, sorrimos, aceitamos sem questionar… Ou estarei errada… e… já se questionou!?

 Permitiria que o seu filho trabalhasse e tivesse de conciliar isso com os estudos, sendo ele ainda uma criança? Considera de valor que uma criança experiencie momentos de tensão e ansiedade, nos concursos televisivos ou publicitários? Compreende que o trabalho é uma experiência de vida que ajuda no desenvolvimento, independentemente da idade? …

Os nossos avós e os nossos pais começaram a trabalhar, em média, após a conclusão da quarta classe, a maioria afastou-se dos bancos da escola, para ajudar no sustento da família, de si mesmos, ou seja, aos doze anos, já se responsabilizavam pelas rotinas profissionais e pelo salário obtido, não será isso de valorizar?

Atualmente, alguns educadores consideram de bastante importância para o desenvolvimento da responsabilização e da valorização financeira, o trabalho em part-time, em tempo de férias escolares, ou em algumas horas semanais, em pequenos trabalhos de empresas familiares.

Outros há que, incentivam crianças a fazerem parte dos ecrãs de televisão, seja em publicidade, atores, concursos, etc., onde a visibilidade é considerada de fama, os valores financeiros mais elevados e parece trazer um caminho para uma carreira profissional promissora…

Vários são os sentido de reflexão, certo é que, cada criança precisa de tempo para ser criança, para brincar, para estudar, para aprender, experimentar… ausente das ansiedades e dos stresses da vida adulta… essa sim, pode esperar!

Gostaria de receber opiniões, comentários, sobre o tema, para mim, tão complexo! Obrigada…  

Resultado de imagem para trabalho infantil(imagem retirada da internet)

publicado por Maribel Maia às 10:20

22 comentários:
Diria que, desde que não seja forçado (ou seja, que haja também interesse da criança em fazê-lo) e seja dada à criança a possibilidade de brincar q.b. e fazer o seu percurso escolar, não vejo inconvenientes de maior.
Mas deve ser sempre dada prioridade ao "ser criança"!
Gorduchita a 17 de Abril de 2019 às 10:41

Concordo, esses riscos da criança perder o seu direito a ser criança devem ser salvaguardados e bem analisados, pelas famílias e pelas entidades competentes.
Maribel Maia a 17 de Abril de 2019 às 18:03

Na minha opinião, há que primeiro deixar a criança brincar, mas se mostrar interesse em desenvolver uma outra actividade que pode ser lucrativa, acho que até a pode beneficiar.
Hoje vemos muitos talentos na Tv/cinema, que começaram muito cedo e não foi por isso que deixaram de ser cidadãos equilibrados e de bem com a vida!
Existe um Olhar a 17 de Abril de 2019 às 11:32

Tudo dito neste comentário, totalmente de acordo!

Obrigada!!!
Maribel Maia a 17 de Abril de 2019 às 18:05

Ou seja, tudo deve ser feito de forma muito ponderada e cuidadosa...
Maribel Maia a 17 de Abril de 2019 às 18:04

É um tema, de facto, muito vasto e complexo!!!...
Pessoalmente, faz-me muita "confusão" ver crianças de tenra idade nos anúncios publicitários, nas telenovelas, etc.... Acho que há um tempo para tudo... e, as crianças, não devem ser privadas de ser, "APENAS", crianças... e devem ser protegidas da exposição desnecessária (evitável) ao stress e à ansiedade...
MJP a 17 de Abril de 2019 às 12:03

Quando são programas ou concursos, realmente o nível de ansiedade é enorme... o querer ser melhor, mais capaz, leva as crianças a uma competição que pode não ser saudável.... quantas vezes ficam as crianças a chorar por não terem sido escolhidas, num sentimento de falha e perda enorme....
Maribel Maia a 17 de Abril de 2019 às 18:07

Concordo Maribel, as crianças têm de brincar, explorar, divertir-se e estudar. Nunca pressionei as minhas filhas para o que quer que seja fora do âmbito escolar!!! Queria que fossem felizes!!!
Luísa de Sousa a 17 de Abril de 2019 às 12:27

Lembras aqui algo fundamental, as famílias só têm que desejar que as crianças sejam adultos felizes, não perfeitos... é isso mesmo!!!
Maribel Maia a 17 de Abril de 2019 às 18:09

Se tivesse filhos não permitia que trabalhassem. Terem um part-time aos 16 anos, parece-me bem. Antes não.
Marta Elle a 17 de Abril de 2019 às 13:44

Penso que muitas famílias pensam assim, mas algumas podem ficar deslumbradas com o facto de verem os filhos a terem um trabalho mais dito 'glamoroso', parecendo um dinheiro fácil.... um deslumbre que nem sempre poderá trazer os melhores resultados, mesmo que hajam boas intenções...
Maribel Maia a 17 de Abril de 2019 às 18:14

No que toca a este assunto tudo deve ser com conta peso e medida, bem pensado e por forma a que a criança se sinta feliz. Não numa base de exigência extrema em que a criança deixa de o ser para ser apenas um "animal amestrado" E por vezes nem é no trabalho é em actividades extra curriculares, em que lhes é exigido que sejam bons, na matemática, na música, no ballet, no futebol, enfim um exagero! Há crianças neste mundo com horário mais ocupado que o meu!
A rapariga do autocarro a 18 de Abril de 2019 às 11:57

É verdade, as rotinas das crianças, por vezes, incluem tantas atividades, para além da escola, que elas nem têm tempo para brincar e recriar... Ficam sem tempo para serem simplesmente crianças....
Maribel Maia a 18 de Abril de 2019 às 19:04

Trabalhar mediante exploração, nunca. O segredo está no ensino, porque não existem canudos nos trabalhos praticos (construção, fabrico em madeira e outros materiais, serralharia, etc.).
Não estou a brincar. Que mal será em se ser Dr. em construção civil ou obras públicas?...., não tira creditos aos engenheiros e arquitectos.
Anónimo a 18 de Abril de 2019 às 20:17

Claro que não, é um trabalho muito digno, como tantos outros, que são pouco valorizados mas fundamentais....
Maribel Maia a 19 de Abril de 2019 às 01:37

Assunto deveras interessante este e que pode levantar um confronto de opiniões!
A verdade é que tem de existir um tempo para tudo e as crianças vão iludidas pelo próprio sonho, muitas vezes pelo sonho dos próprios pais e depois acabam por ser dar mal!
É um tema complicado e delicado sim.
Não tenho filhos, mas sou da opinião que os temos de deixar ser crianças...o mundo dos adultos para eles tem tempo para chegar e tomarem as devidas decisões!
C.C. a 18 de Abril de 2019 às 21:00

É mesmo, se é um trabalho de muito stress e ansiedade, incutir isso a crianças não trará nada de bom no futuro...
Maribel Maia a 19 de Abril de 2019 às 01:39

Existe um comentário que vai aparecer, como anónimo, e que é meu, devido a te-lo feito através do mail. Preço desculpa a todos/as.
docarlos.blogs.sapo.pt a 18 de Abril de 2019 às 21:20

Já está publicado! Obrigada!
Maribel Maia a 19 de Abril de 2019 às 01:39

Aqui há dias o meu filho perguntou-me se aos 16 anos já podia ir trabalhar para o Mcadonald's, e eu perguntei se era para comer os hamburgers ou se para ganhar dinheiro, e ele disse que era as duas coisas.

Há um casal amigo, que o pai resolveu meter o filho a trabalhar nas férias para ele valorizar mais a escola, e o "tiro sai-lhe pela culatra", pois o rapaz, gostou da ideia de ter dinheiro e já não quis voltar á escola, faltava-lhe o 11º ano e 12º ano!
paranoias-de-mae a 24 de Abril de 2019 às 15:43

Pois, o fascínio pelo dinheiro... principalmente quando é muito, pode levar ao desinteresse dos jovens pela escola...o que é de lamentar, porque a formação e o conhecimento deveriam estar sempre como primordial escolha.
Maribel Maia a 24 de Abril de 2019 às 16:55

Abril 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

14
16
18
20

22
24
25
27

30


arquivos
2019:

 J F M A M J J A S O N D


2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar
 
mais sobre mim
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO