Com um olhar pluridimensional sobre a EDUCAÇÃO, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida... este é um convite para conversar sobre educação.

09
Jan 19

Ainda mantendo a mesma temática, muito haveria para refletir e questionar, sendo que educar crianças e jovens em risco, é sem dúvida um desafio para toda a sociedade.

Em termos jurídicos, sempre que uma criança ou jovem se apresenta como estando em risco de cometer, ou ser vítima de crime(s), aponta-se para uma ‘carência educativa’, em que, no seu processo educativo familiar não tenha sido bem sucedido, pelo que deverá caber ao Estado tutelar esta educação, colmatando as falhas apresentadas.

No entanto, pouco sei sobre os resultados destas intervenção sociais, tornando-se para mim uma inquietude…. Será que os casos de sucesso se salientam sobre os casos de fracasso? Estudos indicam que talvez não…. As medidas serão sempre as mais adequadas a cada caso específico? Estará a sociedade preparada para receber estes jovens após a processo de internamento em centro educativo? Estará a criminalidade infantil a diminuir?

Temática tão inquietante esta, para toda a sociedade!!!! Não concordam?

63.gif

(imagem retirada da internet)

publicado por Maribel Maia às 11:09

21 comentários:
Concordo sem qualquer dúvida!
omeumaiorsonho a 9 de Janeiro de 2019 às 11:29

Tudo se torna muito complexo quando falamos sobre crianças e a sua proteção!!!!!
Maribel Maia a 9 de Janeiro de 2019 às 12:03

Sinceramente é um assunto que não sei muito mas é realmente um assunto de muita preocupação social.
CÉLIA a 9 de Janeiro de 2019 às 12:41

É mesmo, e algo de que a maioria da sociedade não está minimamente informada... Se algum dia precisarem terão dificuldades acrescidas para entender esta lei desconhecida....

Devia se falar mais na comunicação social.
CÉLIA a 9 de Janeiro de 2019 às 16:40

E na política também....
Maribel Maia a 9 de Janeiro de 2019 às 18:30

mais do que inquietante acho que é uma temática importantíssima e que não tem o destaque necessário na nossa sociedade...
Jéssica a 9 de Janeiro de 2019 às 12:44

Verdade, parece que a sociedade quer esconder algo só associado às classes sociais mais desfavorecidas... E nem sempre será assim...
Maribel Maia a 9 de Janeiro de 2019 às 13:54

Não me parece que a criminalidade infantil esteja a diminuir. Acho é que os miúdos cometem crimes cada vez mais novos.
Marta Elle a 9 de Janeiro de 2019 às 13:33

No entanto, parece que a sociedade não quer refletir sobre a questão ou procurar melhorar.... Andamos um pouco a esconder estas realidades.... Parece que são 'os filhos de ninguém'....
Maribel Maia a 9 de Janeiro de 2019 às 13:56

São perguntas muito pertinente. E faço uma pergunta também. Não ficarão estes jovens estigmatizados pela sociedade?
Luísa de Sousa a 9 de Janeiro de 2019 às 14:14

Eu penso que muito facilmente ficarão conotados como "pré delinquentes", se isso acontecer, em vez de ajudar à inclusão direciona para uma exclusão.... Esse não deveria ser o papel da sociedade nem do Estado.... Boa questão!
Maribel Maia a 9 de Janeiro de 2019 às 14:20

Na linha do Post anterior e, comentário lá feito, poderei acrescentar que tudo isto tem muito a ver com a política habitacional imposta pelas Autarquias após o 25 de Abril, que atirou determinadas camadas sociais para os subúrbios, em bairros que a pouco e pouco, conforme acabaram as grandes obras inúteis deste país (expo, estádios, etc.), ficaram a viver de subcidios, retirando qualquer esperança de vida digna. A União de gente que se sente inútil, leva automaticamente ao mundo fora das leis.
Por isso, reafirmo a necessidade de levar os jovens e suas famílias, para outro ambiente é, criar condições de vida para eles.
docarlos.blogs.sapo.pt a 9 de Janeiro de 2019 às 14:49

As classes mais desfavorecidas correm mais ricos de exclusão social e consequentemente as suas crianças e jovens também, é um facto....

Hoje, não sei. Estou afastado da terra natural à mais de 30 anos. Mas até eu sair de lá, não havia bairros sociais e, no caso da etnia cigana, essas famílias viviam espalhadas pela cidade, como quaisquer outros cidadãos, completamente integrados, respeitando é sendo respeitados, vivendo dos seus negócios. Eram tão importantes para a terra, com o qualquer outro é, de tal maneira, que um deles foi Presidente da Câmara, deixando o cargo, para integrar o Governo.
É só um exemplo, de uma etnia que costuma ser problemática.

A sociedade tem tendência para desenvolver estereótipos que depois são difíceis de quebrar.... A educação é o caminho para criar novas mentalidades e melhor integração...
Maribel Maia a 10 de Janeiro de 2019 às 09:17

A meu ver, já se vai estando preparados para receber estes casos, embora sejam sempre difíceis de aceitação por grande maioria de nós. Há que mudar, ainda, muitas mentalidades.
Mãe Maria a 10 de Janeiro de 2019 às 10:19

Concordo, é algo que exige discussão e mudança....
Maribel Maia a 10 de Janeiro de 2019 às 11:06

Quem decide corre riscos. O Velho do Restelo adota a postura de "eu bem dizia"
Anónimo a 10 de Janeiro de 2019 às 15:25

Boa tarde,
Atendendo à sua ligação à área da educação, gostaria de saber se está interessada em participar e divulgar uma campanha de recolha de livros e material escolar para Moçambique? Se sim, será que não se importa de me enviar o seu Email para lhe enviar toda a informação?
Obrigada,
Deolinda Costa a 10 de Janeiro de 2019 às 15:27

Boa tarde,
Pode apresentar a proposta para: maribelmaia@sapo.pt.
Desta forma poderemos conversar melhor!
Obrigada,
Maribel Maia a 10 de Janeiro de 2019 às 15:30

Janeiro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
15
17
19

20
23
26

27
29
31


arquivos
2019:

 J F M A M J J A S O N D


2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar
 
mais sobre mim
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO