Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Educar (Com)Vida

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

Pedir revisão da avaliação do Exame Nacional, é possível!

Quando pensamos em exames nacionais, pensamos naturalmente em médias e percentagens… seja para acabar a disciplina com avaliação positiva, seja para apoio à entrada no ensino superior.

No entanto, quando o aluno recebe o resultado do seu Exame pode considerar que era merecedor de uma melhor avaliação, se assim for, poderá solicitar a revisão da prova, apontando quais os itens em que a cotação deverá ser refletida de novo. Neste ponto, é de referir que existem regras para tal pedido…

Este pedido poderá ser solicitado pelo estudante e posteriormente entregue recurso, na secretaria da sua escola, no prazo de 48 horas após a afixação dos resultados, tanto na primeira como na segunda fase dos exames, seja no nono ano de escolaridade, como no ensino secundário. Na secretaria ser-vos-á entregue cópia da prova mediante pagamento…

Embora esta estratégia não seja adequada para quem deseja obter valores mais altos do que aqueles que se refletem na pauta é, sem dúvida, uma forma de corrigir algum lapso ou injustiça aquando da apreciação da prova.  

exames nacionais (3).jpg

 

Como responder a perguntas de desenvolvimento?

Em 7 etapas!

Com o passar dos anos, os estudantes são confrontados com a necessidade de redigir perguntas mais abertas, que sugerem a articulação de vários conceitos e conhecimentos, muitas vezes acompanhados de textos introdutórios que orientam para respostas abertas, de contextualização, ou de opinião.

Estas formas de resposta devem ser aperfeiçoadas pois, no nível secundário e superior são muito comuns, têm cotações de avaliação elevadas, exigem bastante organização mental e uma boa capacidade de escrita, fluida e organizada.

Segue os seguintes passos:

1º - identifica o(s) conceito(s) que são abordados na pergunta e explica-o(s);

2º - contextualiza a explicação, através das tuas próprias palavras, de forma simples e com exemplos, se for necessário;

3º - se são apresentados vários conceitos, relaciona-os entre si, define o que têm em comum ou o que os distingue, em termos de perspetiva ou opinião;

4º - se existe um texto de apoio à pergunta, baseia-te nele, como apoio à tua resposta, e sempre que necessário faz uma ou mais citações, usando as «…»;

5º quando for pedida a tua opinião, faz uma introdução adequada, referindo ser a tua opinião e confronta com algum autor, se for apropriado…

6º - nunca te esqueças de utilizar as referências básicas de introdução; desenvolvimento e conclusão… em resposta longas (que te exijam tal desenvolvimento) faz todo o sentir existir esta forma de encadeamento. 

7º - se sentires que te vais esquecer de mencionar muita informação o melhor, antes de começares a resposta é colocares todos os tópicos, numa folha de rascunho, vai seguindo os tópicos e, no final, acrescenta o que for necessário.

Antes de entregares o documento, e se tiveres tempo, lê com atenção, corrige possíveis erros ortográficos, gralhas ou vírgulas…

razão.jpg

 

A Importância das Explicações, na Atualidade!

Nos dias que correm a educação tornou-se o melhor investimento que uma pessoa pode fazer para o seu futuro. No entanto, estudar e atingir os objetivos mínimos não é suficiente. Atualmente é necessário garantir que temos todo o conhecimento que nos foi passado bem consolidado.

Na última década verificou-se de forma generalizada uma descida do rendimento escolar dos alunos. Esta degradação não pode ser apenas atribuída aos professores, pois estes, na sua vasta maioria, fazem tudo o que podem para auxiliar os seus alunos. No entanto, podemos atribuir esta degradação ao facto de termos grandes turmas que acabam por sobrecarregar os professores e fazer com que estes não consigam auxiliar de forma individual e personalizada cada aluno que mostra dificuldades. No contexto de pandemia, com que nos deparámos nos dois últimos anos, e com a necessidade da reestruturação dos modelos de ensino para que os alunos conseguissem continuar a ter aulas à distância, verificou-se o agravar da degradação do desempenho dos alunos. Esta situação não pode ser atribuída diretamente ao facto das aulas serem online, mas sim novamente ao facto de existirem turmas muito grandes que levam a que exista pouco apoio individual e personalizado.

Para colmatar estas falhas no ensino podemos considerar as explicações individuais uma mais-valia, sejam estas em formato online ou em formato presencial. As explicações individuais visam a acompanhar o aluno e colmatar as dificuldades dele, numa primeira fase. De seguida, o objetivo do explicador é que o aluno melhore o seu rendimento e assim consiga consolidar todo o conhecimento e ainda aplicá-lo nos mais variados contextos. O facto de a explicação ser individual permite adaptar as sessões aos gostos e interesses do aluno, permitindo que este se sinta mais motivado a estudar e, futuramente, desenvolva capacidades de trabalho autónomo. 

As explicações, tanto online como em formato presencial, permitem ajudar os alunos a desenvolver as mais variadas capacidades. Desde capacidades sobre os conteúdos como o desenvolvimento de capacidades no que toca à utilização de novas tecnologias de forma pedagógica e didática. 

Deste modo, podemos concluir que nos dias de hoje uma fonte de apoio externo ao modelo de ensino comum é uma mais valia. Conseguindo colmatar algumas falhas existentes no ensino, no que diz respeito à pouca individualização do mesmo devido ao elevado número de alunos por turma. E ainda, ajudar os alunos a desenvolver várias capacidades que os permitirão ser mais autónomos e, como tal, ter um melhor desempenho académico no curto prazo e ainda prepará-los melhor para os desafios académicos e profissionais que mais tarde enfrentarão.  

Se estiverem à procura de um serviço capaz de resolver estas lacunas atuais, recomendo o LXMATH.

Criado em 2018, o LxMath surge com o objetivo de ajudar a Matemática a compreender os alunos.

Com uma metodologia ancorada no princípio de perceber as capacidades de cada aluno, e com essa informação adaptar os conteúdos programáticos, temos como missão inovar na área das explicações individuais, com uma oferta formativa de explicações presenciais, online e ao domicílio.

Hoje, vamos para além da Matemática, e contamos com profissionais especializados em diversas ciências exatas, nomeadamente Física, Química, Biologia e Geologia (ensino secundário), bem como diversas cadeiras de Engenharia (ensino superior).

Seguindo à regra o seu mote “Para que aprender não seja sinónimo de memorizar”, o LxMath  destaca-se pelo seu programa de Preparação para os Exames Nacionais. Este programa consiste num acompanhamento do aluno através de avaliações iniciais, aulas individuais, exames internos e um planeamento prévio, adaptado às necessidades de cada estudante.

Por sua vez, os alunos do ensino superior podem contar com o auxílio de várias ferramentas visuais, usadas pelos profissionais do LxMath, para compreender e resolver os exercícios sem recurso a estratégias de memorização e mecanização de resoluções.

 

 Escrito por Beatriz Ferreira, em Parceria com LxMath

LxMath.jpg

 

O desenvolvimento não acontece em todas as crianças em simultâneo, embora a escola trabalhe com base nesta ideia

Inquietude:

O crescimento e desenvolvimento das crianças está definido por etapas, vários foram os investigadores que as definiram e estádios, etapas, patamares. Mas estas formas que parecem estar bem enquadradas e definidas, não se enquadram em todas as crianças!

As crianças não estão todas ao mesmo nível de desenvolvimento, na mesma idade, embora nas escolas sejam tratadas destas forma. Isto trás implicações práticas no momento de ensino-aprendizagem, já que, em média teremos 20 alunos a aprenderem o mesmo, pois temos apenas um professor para elevado número de alunos, que não pode ensinar de outra forma que não a de ensinar a todos como se fossem um.

Esta é a realidade das nossas escolas, embora não seja a mais correta, é a que é oferecida à sociedade e, não pretendo explorar muito esta parte do tema.

Neste post prefiro direcionar-me mais às famílias que vêm as suas crianças a tentarem estar sempre ao mesmo nível de aprendizagens de toda a turma, para melhor conseguirem bons resultados e motivação.

No entanto, algumas crianças apresentam níveis de desenvolvimento diferentes o que implica mais dificuldades de abstração, de raciocínio ou de lógica, o que acarreta avaliações mais baixas e alguma desmotivação… outras crianças estão um pouco mais desenvolvidas o que torna a aprendizagem pouco aliciante e monótona.

Qualquer um dos casos deixa as famílias muito ansiosas e preocupadas, sem saberem quais as medidas certas a tomar, de forma a ajudarem os seus estudantes.

O meu maior conselho é manter a calma, muitas vezes as crianças precisam de tempos diferentes, mas não significa que, por exemplo, no ano seguinte venha a manter as mesmas dificuldades, pode não acontecer. Para além disso, pode sempre procurar apoio com um profissional, de acordo com a necessidade apresentada, os professores podem ajudar e orientar nessa decisão!  

inquietudes (1).jpg

 

Que profissão sigo? Segue o que gostas e não o que tem mais saída…

Chega-se ao secundário e é um desafio gigante, quer para os estudantes que ficam num dilema sobre que profissão querem, gostam, despertam… quer para as famílias que pretendem fazer de tudo para ajudar e não sabem o que, na realidade, devem fazer para tal…

Depois as conversas são várias, ou conselhos mais que muitos… não vás para essa área porque tem muito desemprego… não escolhas esse curso porque é muito difícil…. Olha que são médias muito altas e não consegues…olha que esse curso não tem nessa universidade…

Bem, se tantas pessoas tentam dar opiniões e ajudar, eu também o faço… posso partilhar aqui, um pouco, do que digo, mesmo que seja de forma mais generalizada:

_ Não penses nas saídas profissionais, no salário ao final do mês, nem nos níveis de empregabilidade… muito muda em alguns anos e… mais do que isso… se fores bom profissional, se estiveres apaixonados pelo que fazes, se sentires o desafio motivador do teu trabalho então, vais ser dos melhores, então terás emprego… então, não vais desistir de lutar…

_ A escolha tem de ser feita com o coração… se não te consegues ver a trabalhar em determinada área mais de 8 horas por dia, durante anos, então, não a escolhas…  se vai ser enfadonho, pouco desafiante, desinteressante, é bem provável que o curso não te traga qualquer futuro nessa área… que nem o acabes…

_ Nunca saberás o que a vida profissional te reserva, portanto escolhe algo que adores estudar… depois???... depois… a vida leva-te… a felicidade é bem mais do que um emprego… as decisões serão sempre muitas e tantas pessoas são felizes a fazer o que escolheram e o que não escolheram, simplesmente, lá foram parar…

A escolha de hoje não é para sempre… é para agora… e agora queres o quê?

saidas prof.jpg

 

Pág. 1/2

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Vencedor:

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Blogs Portugal