Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Educar (Com)Vida

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

Eram os Morangos com Açúcar, agora são os Vampiros – o uso da TV

Diálogo entre mim e um/a estudante de segundo ciclo:

Estudante: «Vê a série: The Vampire Diaries?

Eu: _ Não, também só tenho quatro canais de televisão…

Estudante: _ A sério, só quatro canais? Como é que consegue viver?

Eu: _ Não vejo muita televisão!

Estudante: _ Como é que é possível?! Aquilo é tão fixe….»

 

Quanto já lemos e ouvimos sobre os malefícios que, o assistir a muita televisão, pode causar às nossas crianças e jovens. Este objeto que padece de tremenda evolução em tão curto espaço de tempo, fascina os mais novos nos seus sentidos principais (visão e audição), com canais e programas dedicados às faixas etárias mais baixas prende-os sub-repticiamente ao sofá, durante horas.

Lembrando os problemas que esta pode causar, afirmo que estudos revelam que as crianças que mais televisão viram mais provam ser carentes nos testes psicológicos, podem desenvolver mais facilmente um deficit de atenção, têm mais possibilidades de serem vítimas de bullying por parte dos colegas e têm mais propensão em terem excesso de peso.

Contudo, se até nós adultos, valorizamos este meio de comunicação que nos atualiza, alerta e entretém, também podemos perceber algumas vantagens deste conceito nos nossos estudantes, pois alguns programas educacionais podem funcionar como complemento de uma aprendizagem escolar, cultural e social, desde que esteja limitada em espaço e tempo e não prejudique o convívio e a experiência direta com o mundo real.

Neste sentido, a American Academy of Pediatrics (Academia Americana de Pediatria) recomenda que as crianças não assistam a mais de 2 horas de televisão por dia após os dois anos de idade, e nem um único minuto antes daquela idade. Deve ter-se também em linha de conta que, os jogos de consolas e computadores não podem ser complemento à ausência da TV.

ruasesamo.jpg

 

Calendário de Exames - 2016

Hoje deixo, em ficheiro, o calendário de Provas e Exames deste ano, 2016:

  • Exames Nacionais de Secundário (2015/2016);
  • Exames Nacionais de 9ºano (2015/2016);
  • Provas de Aferição 2ºano, 5ºano e 8ºano (2015/2016); Neste ano letivo a realização das mesmas será facultativa, cabendo às escolas a decisão de as aplicar ou não.
  • Guia Geral de Exames de Secundário (2015/2016);

Podem já assinalar na Agenda ou imprimir e deixar no espaço de estudo!

Guia Geral de Exames 2016 _...pdf

calendario_9ano_2016.jpg

Exames_SEcundario 2016 _ Calendário.pdf

 

provas_afericao2016.png

 

Nas Férias da Páscoa

Nestas férias não se esqueça destas pequeninas dicas, que fazem a diferença para um crescimento saudável, de cada estudante:

  • Leve-os para passeios ao ar-livre;
  • Controle as horas em frente ao ecrã (tablet/TV/PC);
  • Incentive ao estudo diário de 1h a 2h;
  • Incentive à leitura;
  • Solicite a prática de atividades domésticas;
  • Promova o convívio entre familiares e amigos;
  • Ofereça um pequeno ‘mimo’ pelos bons resultados escolares;
  • Converse sobre a escola;
  • Converse sobre emoções e sentimentos;
  • Divirtam-se...

 

E… VOTOS DE UMA PÁSCOA FELIZ!

Pascoa.jpg

 

Dia Nacional do Estudante

Em Portugal, o Dia Nacional do Estudante comemora-se anualmente no dia 24 de março e foi promulgado pela Assembleia da República Portuguesa em 1987.


Além de um dia de comemoração, este é um dia de luta e de homenagem, já que a data é celebrada pelo movimento estudantil nacional, de forma a relembrar as dificuldades e obstáculos que os estudantes enfrentaram nas décadas de 60, aquando da crise académica vivida em Portugal.

O direito à educação é um direito basilar da nossa sociedade consagrado constitucionalmente e que requer o envolvimento de todos/as. A data lembra ainda que o estudante é um pilar da sociedade.

images (9).jpg

A todos/as estudantes votos de muito sucesso!

 

 

O que estudar nas Férias da Páscoa?

Estamos em férias da Páscoa, após um segundo período escolar bem cansativo e exigente! Estas férias são, portanto, bastante merecidas e necessárias, já que se aproxima o período da ‘última oportunidade’, ou seja o terceiro período.

As férias são, claro, para descansar, mas também para realizar estudos escolares que auxiliem este percurso, já que o caminho continua!

Assim, aqui ficam algumas orientações para a pequenada e para os jovens que se encontram nas merecidas férias a realizarem uns momentos de estudo…. A tabela apresenta-se em imagem (.jpg) de forma a poderem imprimir, ou para guardar nos vossos documentos.

Espero que aproveitem as ideias:

estudar_férias (1).jpg

 Para os estudantes de Secundário as orientações são serão tão necessárias, uma vez que, já construiram os seus próprios métodos de estudo. No entanto friso que: a exigência  prende-se com a capacidade de organizar o seu estudo, de solicitar apoio quando necessitam, de estipular e cumprir metas, preparando assim a entrada na faculdade. A visita a faculdades pode ser também uma boa opção.


A todos os estudantes, nada de preocupações! O dia tem 24 horas e não as passarão todas a estudar, 1h ou 2h por dia será o bastante, se for com empenho e dedicação…. Aprender a rentabilizar tempo e a ser produtivo faz parte de um crescimento saudável!

“_Ele não me empresta os lápis de cor”

RELAÇÃO ENTRE PARES

 

Em paralelo com a escola, as crianças e jovens, deparam-se com outro grande momento de desenvolvimentos social e cognitivo, a construção da relação com o Outro. Aqui torna-se fundamental atribuir grande importância ao relacionamento entre os Grupo de Pares, considero este Grupo como crianças que partilham o mesmo espaço, brincam e aprendem juntas, de idades bastante próximas, entre dois ou três anos, no máximo, de diferença.

O estimulo e promoção destes momentos deve ser promovida por todos os educadores, pois este contato desenvolve, nos estudantes, novas capacidades sociais e emocionais, cultiva a auto estima, a afirmação pessoal e promove novas capacidades de resolver problemas, sendo que, relações, entre pares, problemáticas podem desencadear algumas formas de fracasso escolar, como por exemplo, a rejeição ou conflito podem ser inibidores na participação e empenho em contexto sala de aula, ou dificultar trabalhos em grupo.

Estes níveis de interação iniciam-se desde muito cedo nas crianças e desenvolvem-se continuamente até à idade adulta. Assim sendo podem-se estabelecer níveis de desenvolvimento relacional e as diferentes idades:

 

Até aos 4 anos, a maioria das crianças é capaz de ter um melhor amigo e de conhecer os parceiros de quem gosta ou de quem não gosta. No entanto, entre 5% e 10% das crianças experimentam, nesta altura, dificuldades na convivência entre pares, tais como rejeição ou hostilidade. No sentido de melhorar este convívio, o educador deve proporcionar e apoiar momentos de jogos, brincadeiras e partilhas.

 

Entre os 7 e os 11 anos, definido por Piaget, como a ‘Idade da Razão’, chega o momento em que a criança entra para o 1º Ciclo e facilmente consegue estabelecer um conceito de cooperação com os outros e aumenta a capacidade de se colocar no lugar do outro. Surge nesta idade conflitos na partilha de pertences e a culpabilização do outro. Procurando-se aumentar estímulos positivos, devem-se proporcionar às crianças a participação em diferentes grupos de pertença extra escolares e permitir brincadeiras com uma menor supervisão de adultos.

 

Entre os 11 e os 16 anos, a criança começa o caminho da adolescência e desenvolve a consciência clara de que pessoas diferentes têm pensamentos diferentes sobre a mesma ideia ou situação, muitas vezes designada pela ‘idade do armário’ surgem conflitos nos relacionamentos, seja entre pares ou entre gerações. Comportamentos, por vezes, justificados pela necessidade de afirmação ou pedidos de atenção. Neste momento deve-se maturar melhor conceitos de: igualdade, solidariedade, tolerância, justiça e multiculturalismo e, principalmente, sublinhar o conceito de educador como autoridade e segurança.

 

tumblr_lgw2hhofp11qenw7jo1_500 (1).jpg

 

 

Pág. 1/3

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D