Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Educar (Com)Vida

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

Os meus Votos de Ano Novo

Estamos quase a renovar o calendário e isso traz-nos novos desejos, renova a esperança, aumenta as espectativa… desejamos o melhor para nós e para os que amamos!

Mas… para além do que a vida nos traz, nada mais mudará sem vontade… sem atitude… sem luta… portanto, aqui ficam os meus desejos para cada um dos meus leitores: Muda… transforma… dá uma oportunidade… luta… tenta outra e outra vez… persegue o sonho…. cumpre o objetivo… desenha a meta….

Estes são também os meus desejos para 2016! Que seja um Ano para (re)começar!

Feliz Ano Novo

tumblr_my4f1hX29E1sswrugo1_250.jpg

 

Estudar nas férias? Sim? Não?

Parece-me um pequeno dilema para alguns encarregados de educação a seguinte pergunta: será que a criança/jovem deve, ou não, estudar nas férias?

Alguns autores referem que o tempo de aulas é, por si, muito exigente e trabalhoso, logo, os estudantes devem aproveitar estes momentos de férias para descansarem destas tarefas diárias. Outros, pelo contrário, apontam o afastamento das tarefas escolares como momentos de esquecimento e distanciamento de matérias que deveriam permanecer na memória, por tal razão, o estudo deve ser contínuo e diário.

A minha opinião aproxima-se de ambas as reflexões anteriores, considero que, se um estudante tem alguma(s) disciplina(s) ou matéria onde apresente dificuldades, deve aproveitar as férias para aprender e colmatar essas falhas, pois mais tarde poderão prejudicar-lhe o desempenho escolar. No entanto, se estamos perante um estudante com bons resultados escolares e com métodos de estudo apreendidos, então, venham uns dias de férias para libertar da constante pressão do estudo.

Sublinho que, na minha opinião, ‘cada caso é um caso’ e não devemos ser impermeáveis a estas definições, já que cada estudante tem caraterísticas e necessidades específicas!

Gostaria muito de me enriquecer com as opiniões e experiências dos leitores sobre este assunto, apoiarão muito as minhas, constantes, reflexões…

a_ESTUDAR-620x400.jpg

 

Exames Nacionais ou Provas de Aferição?!?!

«Alunos do 2.º e 4.º anos de escolaridade do Ensino Básico vão ser submetidos de novo a provas de aferição sem efeitos na nota final a Matemática e Português. Avaliação de desempenho substitui os polémicos exames obrigatórios da era Nuno Crato…» (in: Jornal Expresso, 15 dezembro 2015).

 

Já por cá escrevi sobre o fim dos Exames Nacionais do 4º ano de escolaridade. Volto, hoje, a refletir sobre o tema levada pelas atuais discussões Parlamentares relativas à possível transformação dos Exames Nacionais de 6º ano e 9ºano em Provas de Aferição.

Sobre isto convém relembrar que os Exames Nacionais são realizados no final do ano letivo e contam em, média, 30% da avaliação final, são realizados nas disciplinas de Matemática e de Língua Portuguesa. As Provas de Aferição são fichas que não têm relevância avaliativa para o estudante, contudo procuram aferir o nível de ensino escolar Português.

Coloco estas discussões em destaque, uma vez que, deve ser tema refletido por toda a sociedade educadora, podendo-se realizar várias análises:

- Será que estes exames devem ser realizados apenas em níveis secundários?

- caberá ao estudante demonstrar todo o seu conhecimento através de uma única prova?

- serão os resultados dos exames reflexo da educação escolar de um país?

- as avaliações escolares deverão ser diferentes, atendendo aos diferentes níveis de ensino?

 

Quando assinalei o fim dos Exames Nacionais de 1º ciclo, muitos foram os leitores que assumiram a sua aprovação, o qual eu também manifestei a minha concordância… agora que existe a possibilidade de tal decisão se estender aos outros níveis escolares, gostaria de ler as vossas opiniões!

exames.jpg

 

O Principezinho em filme

Por cá já escrevi várias vezes sobre o livro O principezinho de Saint Exupéry, principalmente, pela sua magnífica história sobre a amizade que deslumbra pequenos e graúdos. Portanto, não poderia deixar de convidar os leitores a verem o filme, que estreou , por cá, em dezembro, podem ir ao cinema com a pequenada, ou sem ela… e para os mais saudosos, quem sabe até, voltarem a ler a obra!

Relembro que Antoine de Saint-Exupéry escreveu e ilustrou O Principezinho em 1942 nos Estados Unidos. A obra foi publicada pela primeira vez em abril de 1943 em inglês e em francês. Nesse mês, em que a obra foi publicada, o escritor e piloto partiu para combater na Argélia, viria a falecer em 1944 sem saber que o livro foi publicado também em França, onde se tornou um sucesso!

 

Deixo aqui o treiler, para aguçar a vontade:

https://www.youtube.com/watch?v=BS17v8G9hQ0

 

Pág. 1/3

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Vencedor:

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Blogs Portugal