Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Educar (Com)Vida

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

Com um olhar pluridimensional, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida...este é um convite para conversar sobre educação.

As NEE’s mais comuns:

A forma mais comum de apresentar e definir as necessidades educativas especiais apresenta-se na seguinte tabela:

 

Desvios mentais

intelectualmente superiores

lentos quanto à capacidade de aprendizagem

Deficiências sensoriais

deficiências auditivas

deficiências visuais

Desordens de comunicação

 distúrbios de aprendizagem

deficiências da fala e da linguagem

Desordens de comportamento

distúrbio emociona

 desajustamento social

Deficiências múltiplas e graves

paralisia cerebral e retardamento mental

surdez e cegueira

deficiências físicas

intelectuais graves

 

O Estudante Referenciado: NEE

Se um estudante for referenciado como tendo necessidades de uma resposta educativa especial, cabe ao Conselho Executivo propor medidas educativas adequadas às especificidades deste.

As medidas educativas que integram a adequação do processo de ensino e de aprendizagem são:

 

  • Apoio pedagógico personalizado
  • Adequações curriculares individuais
  • Adequações no processo de matrícula
  • Adequações no processo de avaliação
  • Currículo específico individual
  • Tecnologias de apoio

 

(In: Educação Especial: Manual de Apoio à Prática: 2008)

images (14).jpg

 

A quem se solicita a referenciação? NEE

A referenciação é feita aos órgãos de gestão das escolas ou agrupamentos de escolas da área da residência do estudante. A formalização da referenciação é concretizada através do preenchimento de um formulário (ex. Modelo de formulário para referenciação) disponibilizado pela escola e no qual se regista o motivo da referenciação, informações sumárias sobre a criança ou jovem e se anexa toda a documentação que se considere importante para o processo de avaliação. Após a referenciação compete ao Conselho Executivo desencadear os procedimentos necessários que levarão à tomada de decisão no âmbito do processo de avaliação.

(In: Educação Especial: Manual de Apoio à Prática: 2008)

titulo.gif

 

Quem pode referenciar? NEE

A referenciação pode ser efetuada sempre que existe suspeita de que uma criança ou jovem necessita de uma resposta educativa no âmbito da educação especial.

De um modo geral, a iniciativa pode vir de:

  • pais ou encarregados de educação;
  • serviços de intervenção precoce;
  • docentes;
  • serviços da comunidade, tais como:

➢ Serviços de Saúde;

➢ Serviços da Segurança Social;

➢ Serviços da Educação;

➢ outros.

Há que ter presente que, embora qualquer destes serviços possa fazer a referenciação, a família deverá ser contactada para autorizar o início do processo de avaliação.

 

(In: Educação Especial: Manual de Apoio à Prática: 2008)

Pág. 2/2

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Vencedor:

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D