Com um olhar pluridimensional sobre a EDUCAÇÃO, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida... este é um convite para conversar sobre educação.

26
Dez 16

Já aqui assumi que, nas férias é importante descansar, contudo, para além de algum estudo, os estudantes devem estar conscientes de que, estar em casa de férias é bem diferente de viverem num hotel…. Quer com isto dizer que, é necessário continuar a incutir, em quem cresce, hábitos e rotinas diárias, tais como, fazer a cama, arrumar o quarto e todos os seus pertences, apoiar a família nas tarefas domésticas, participar na arrumação, na culinária, no cuidado do animal doméstico (caso exista), com certeza que, cada atividade de estar adaptada à idade… e aqui, lembro também que, os pais não podem ter um eterno medo de que ele não consiga, ou faça estragos… crescer é isso mesmo… e cabe aos adultos permitir momentos de crescimento!

O conhecimento e execução de tarefas domésticas auxilia, o desenvolvimento da responsabilização, o desenvolvimento da motricidade, o sentimento de pertença e de individualidade e construção abstrata de rotinas…

 

Para melhor organizar e gerir tempos deixo, em anexo, um horário que podem preencher de acordo com as rotinas que desenjam ver cumpridas esta semana... 

Horário Semanal de Férias_2016.pdf

 

 

publicado por Maribel Maia às 12:13

22
Dez 16

NATAL.png

 

publicado por Maribel Maia às 13:35
tags: ,

19
Dez 16

Quando eramos crianças ficávamos deslumbrados com a visita do Pai Natal, fomos crescendo e esses momentos ficaram apenas como doces memórias que queremos incutir nos mais pequenos. Contudo, lá pelos 6 anos de idade, de forma natural, as crianças começam a perceber que estas prendas funcionam de forma mais consumista e os adultos deixam de motivar para a existência do Pai Natal.

Quero com isto lembrar, apenas, que uma lenda tão bela, pode e deve ser lembrada nestes dias que antecedem ao Natal, mesmo aos meninos e meninas mais crescidos e que já não vêm a ‘magia do Pai Natal’. Recordar a história do Pai Natal, como um homem bondoso que demonstra que no Natal todas as crianças devem receber presentes e que o Amor deve sempre vencer… trará esperança ao coração de todos!

Deixo portanto, a sugestão para estes dias de férias: contar a verdadeira Lenda do Pai Natal…

 

«O Pai Natal tem vários nomes dependo do país e cultura, mas independentemente do nome que ele recebe, trata-se sempre de S. Nicolau, um senhor muito simpático e generoso, que nasceu no ano de 350 d.C., em Patara. Depois de viajar por muitos sítios, S. Nicolau decidiu ir viver em Mira, onde anos mais tarde tornou-se bispo da Igreja Católica. Muitos milagres lhe são atribuídos e grande parte destes relacionam-se com a doação de presentes. Ele, hoje, ainda é vivo já que a sua Fonte de Vida é a crença das pessoas na sua existência, quando ninguém mais acreditar no Pai Natal é quando ele morre!»

(in: http://nataal.blogs.sapo.pt/a-historia-do-pai-natal-393)

 

natal_verd.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 13:43

15
Dez 16

Neste Post, gostaria de levar o leitor à reflexão sobre a escola, na escola… mas longe da lição escolar…. Quero escrever sobre a amizade. Tantos e tantos de nós, (incluo-me também) considera as suas verdadeiras amizades, aquelas que construíram na escola… que perduram ao longo dos anos… de quem nos afastamos alguns anos e quando nos voltamos a encontrar, parece que toda a cumplicidade e carinho permaneceu intato ao furor do tempo e das horas.

Os ‘nossos amigos de infância’ foram aqueles que se riram das nossas quedas e caíram logo em seguida, forem aqueles com quem partilhamos o lanche e a crítica ao professor chato… a quem ensinamos e com quem aprendemos. E, só agora percebemos o quanto foi valioso esse tempo, o quanto aprendemos emocionalmente…o quanto crescemos.

Esses, são os amigos que nos conhecem por dentro, basta a troca de olhares, o gesto, o levantar da sobrancelha e percebemos tudo, e dizemos tudo! São dez minutos ao telefone e resumem-se todas as novidades, exprimem-se todos os sentimentos e alivia-se qualquer aflição!

Os amigos de infância são a família que tivemos o privilégio de escolher, de manter, de cultivar na humildade e na ingenuidade de quem cresce.

Refute esta ideia quem não tem na amizade um pilar fundamental para a sua vida emocional!

 

Agora que levei um bocadinho ao saudosismo de quem lê, queria apenas referir: valorizem as amizades dos que crescem e que vivem agora essa história, fomentem a construção de novos amigos e a permanência dos antigos…. Nos pequeninos e em vocês! 

 

tumblr_la72o6jUIt1qdy455.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 11:23

23
Nov 16

Como já todos sabem, moro em Santa Maria da Feira, portanto não poderia deixar de lembrar  este evento, para crianças, jovens e adultos:  

«O mês do Natal volta a ter, em Santa Maria da Feira, as portas abertas do Maior Parque Temático de Natal de Portugal – Perlim!
Aqui está a melhor proposta de visita e diversão para escolas e famílias onde, entre espetáculos musicais de grande formato, histórias de encantar, animação circulante, cenários e cenografia, inspirados no melhor do imaginário infantil, e muitas diversões, tudo junto na centenária Quinta do Castelo, a verdadeira magia chega a todos!» (In:http://www.perlim.pt)

Datas: de 1 a 30 de dezembro de 2016

Local: Quinta do Castelo em Santa Maria da Feira

perlim-2016.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 14:32

28
Dez 15

Parece-me um pequeno dilema para alguns encarregados de educação a seguinte pergunta: será que a criança/jovem deve, ou não, estudar nas férias?

Alguns autores referem que o tempo de aulas é, por si, muito exigente e trabalhoso, logo, os estudantes devem aproveitar estes momentos de férias para descansarem destas tarefas diárias. Outros, pelo contrário, apontam o afastamento das tarefas escolares como momentos de esquecimento e distanciamento de matérias que deveriam permanecer na memória, por tal razão, o estudo deve ser contínuo e diário.

A minha opinião aproxima-se de ambas as reflexões anteriores, considero que, se um estudante tem alguma(s) disciplina(s) ou matéria onde apresente dificuldades, deve aproveitar as férias para aprender e colmatar essas falhas, pois mais tarde poderão prejudicar-lhe o desempenho escolar. No entanto, se estamos perante um estudante com bons resultados escolares e com métodos de estudo apreendidos, então, venham uns dias de férias para libertar da constante pressão do estudo.

Sublinho que, na minha opinião, ‘cada caso é um caso’ e não devemos ser impermeáveis a estas definições, já que cada estudante tem caraterísticas e necessidades específicas!

Gostaria muito de me enriquecer com as opiniões e experiências dos leitores sobre este assunto, apoiarão muito as minhas, constantes, reflexões…

a_ESTUDAR-620x400.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 14:52

23
Dez 15

natalA.jpg

natalB.jpg

 

 

 

publicado por Maribel Maia às 17:27

18
Dez 15

Por cá já escrevi várias vezes sobre o livro O principezinho de Saint Exupéry, principalmente, pela sua magnífica história sobre a amizade que deslumbra pequenos e graúdos. Portanto, não poderia deixar de convidar os leitores a verem o filme, que estreou , por cá, em dezembro, podem ir ao cinema com a pequenada, ou sem ela… e para os mais saudosos, quem sabe até, voltarem a ler a obra!

Relembro que Antoine de Saint-Exupéry escreveu e ilustrou O Principezinho em 1942 nos Estados Unidos. A obra foi publicada pela primeira vez em abril de 1943 em inglês e em francês. Nesse mês, em que a obra foi publicada, o escritor e piloto partiu para combater na Argélia, viria a falecer em 1944 sem saber que o livro foi publicado também em França, onde se tornou um sucesso!

 

Deixo aqui o treiler, para aguçar a vontade:

https://www.youtube.com/watch?v=BS17v8G9hQ0

 

publicado por Maribel Maia às 17:05

07
Dez 15

Diálogo entre mim e um/a estudante de 1º ciclo:

«Eu: _E tu, o que recebeste no Natal?

Estudante: _Nada… não havia dinheiro…»

 

Esta conversa aconteceu comigo, há mais de dez anos, e confesso que a guardo até hoje como uma das mais significativas e perturbadoras conversas que tive com uma criança… e que em todos os anos me faz pensar nisto do Natal, da família, do consumo, da partilha…

Todos nós sentimos que esta época natalícia tem maior valor para a pequenada, que vibra com todos os momentos… as férias, a família, os presentes, os doces… e tanta coisa bela!

Acredito também que, para quem educa não é fácil fugir do atual conceito de consumismo que a sociedade ainda sustenta fortemente… eu mesma apenas mudei o meu conceito radicalmente quando tive este diálogo com esta criança… agora as minhas conversas, com estudantes, sobre o Natal centram-se na família, na alegria da festa e pouco nas prendas dadas ou recebidas.

Assumo que sou católica e que o nascimento de Jesus é, para mim, motivo de festa, alegria e família… contudo acredito que, em todas as casas, crentes e não crentes, se pode relembrar às crianças o verdadeiro sentido do Natal, valorizando-se os sorrisos partilhados, os abraços do pai, da mãe, dos tios, dos amigos… tendo gestos de ternura para com conhecidos e desconhecidos e mesmo, porque não, gestos de ajuda a quem mais precisa…

Considero que não devemos deixar passar uma data tão importante como esta sem falar de AMOR e de PARTILHA às nossas crianças…. e o desejo de que todas elas tenham os mesmos direitos!

395265_404121883001022_522925817_n.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 10:52

04
Dez 15

Nesta época do ano, um dos exercícios de língua portuguesa que proponho, aos estudantes, é escreverem a Carta ao Pai Natal. Ao princípio algumas pessoas podem até considerar uma atitude de lazer e não de estudo, contudo se, ao estudante, for pedido que escreva a carta segundo todas as regras que uma carta deve ter, que tenha o cuidado de escrever sem erros ortográficos, escreva com criatividade, tendo em consideração que esta não é uma lista de compras, mas sim, uma carta dirigida a outra pessoa… tudo isto já sugere mais dedicação, empenho e reflexão na tarefa.

A minha sugestão, para os leitores é que, após corrigirem esta carta, a depositem nos correios, finalizando todo o processo e lembrando a importância deste meio de comunicação já pouco utilizado… e claro, aguardem a resposta! Atenção: não têm de comprar o selo!

 

Ao longo dos anos, os CTT têm procurado responder a todas as cartas recebidas, que são dirigidas ao Pai Natal, e nessa resposta vem também uma pequena surpresa… É por esta razão, que vos convido a apoiarem o vosso estudante nesta tarefa.

Para tal basta preencherem adequadamente a carta com o endereço do estudante e destinada ao Pai Natal: Pólo Norte (morada à escolha), estas são as únicas cartas aceites pelos CTT sem selo.

Os CTT têm já tudo preparado para receber essas cartas e afirmam que: «Os brinquedos continuam a dominar os desejos natalícios, mas têm cada vez mais a concorrência de pedidos como livros, animais e, até, irmãos.» (in: https://www.ctt.pt).

 

E ainda, para quem puder ajudar uma criança, «este ano volta a haver um segundo Pai Natal dos Correios: o Pai Natal Solidário, que vai depositar em Lojas dos CTT de todo o País, bem como na Internet, cartas escritas por crianças desfavorecidas à guarda ou acompanhadas por IPSS, que qualquer pessoa pode apadrinhar, oferecendo o presente pedido por cada uma delas…» (veja mais informação na página oficial dos CTT).

 

817308.jpg

paiNatal.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 14:50

Setembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
13
14
16

17
18
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


mais sobre mim
pesquisar
 
subscrever feeds
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO