Com um olhar pluridimensional sobre a EDUCAÇÃO, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida... este é um convite para conversar sobre educação.

07
Ago 17

Como as férias podem ser momentos de diversão, aquisição de conhecimento e desenvolvimento pessoal e social, as crianças devem estar com a família alargada, estar com amigos e vizinhos, viajar e brincar. Contudo, as formas de aprendizagem não se esgotam aqui, a leitura em tempo de férias pode ser um momento prazeroso e de elevada aquisição de conhecimento e desenvolvimento de capacidades.

Por todas estas razões, incluir momentos de leitura, na rotina dos estudantes em férias é uma necessidade e uma motivação. Mesmo para as crianças que referem, constantemente, que não gostam de ler devem também dedicar-se às leituras, basta escolher o livro certo para cada um e todos gostamos de ler.

Podem optar por comprar alguns livros novos, podem optar por requisitar na biblioteca ou pedir emprestado… tudo vale a pena por um bom livro!

leitura (1).jpg

 

publicado por Maribel Maia às 13:38

23
Mar 17

Aos que acompanham semanalmente este espaço sabem que passo bastante tempo a refletir sobre as minhas experiências com estudantes, sobre as conversas, as dúvidas, as reflexões… e que eles as partilham de uma forma simples mas confiante.

Foi através destas minhas reflexões práticas que me apercebi, por várias vezes, da dificuldade dos estudantes em perceberem conceitos ouvidos ou lidos, não percebendo assim grande parte das matérias dadas, não conseguindo por isso exprimir-se corretamente ou articular conhecimentos e noções.

Estas dificuldades aparecem nos primeiros anos escolares e, muitas vezes, acompanham o estudante até ao secundário… estes estudantes têm dificuldade em entender o que leram, o que o professor fala, têm dificuldades também em perceber a sociedade atual, as decisões políticas e históricas, em passar da teoria à prática, em refletir criticamente e criativamente.

Na minha opinião cabe a toda a sociedade apoiar o desenvolvimento de novos e diferentes conhecimentos que ultrapassem a barreira dos manuais escolares, cabe à sociedade a construção constante de incentivos nas mais variadas áreas: Política, Artística, Religiosa, Cultural….  

E em casa, para além de tudo isto deve-se incentivar a Ler e a Escrever, são ambos caminhos seguros para a construção de um maior vocabulário, de maior memorização, de maior concentração e maior criatividade.. isto deve começar muito cedo, quando nos primeiros anos de vida já se ouvem histórias para adormecer…

leitura.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 10:59

17
Out 16

Diálogo entre mim e um/a estudante de 3º ciclo:

«Eu:_ Tiras boas notas?

Estudante: _ Podia ser melhor se não fosse esta coisa chamada dislexia.»

Eu: _ Achas que esse problema interfere muito com o estudo?

Estudante: _ Pois?…»

 

Já aqui falei, em publicações anteriores, de Necessidades Educativas Especiais e a dislexia insere-se neste contexto, pois interfere com a capacidade de aprendizagem, dos estudantes ao longo de toda a vida.

A dislexia define-se como «(…) uma incapacidade específica de aprendizagem, de origem neurobiológica. É caraterizada por dificuldades na correção e/ou fluência na leitura de palavras e por baixa competência leitora e ortográfica (…) que pode impedir o desenvolvimento do vocabulário e dos conhecimentos gerais» (Associação Internacional de Dislexia).

Ao longo do meu percurso apoiei alguns estudantes com este diagnóstico, contudo nem sempre senti o apoio necessário, por parte das suas escolas, na sensibilização de uma avaliação adaptada a esta situação, esta inquietação também é refletida pela Especialista em Dislexia Drª Paula Teles que afirma: «no nosso país o Decreto-lei 3/2008, aplica-se às crianças com necessidades educativas especiais, mas não faz qualquer referência em relação à metodologia reeducativa a adotar. Na grande maioria dos casos os alunos dependem da “benevolência” dos professores, desculpando a falta de correção, a fluência leitora, a limitação vocabular, os erros ortográficos...» (In Revista Portuguesa de Clínica Geral: 2004). Fica portanto, aqui, um alerta a toda a comunidade escolar para se pensar em novos métodos de apoio e intervenção.

Por toda esta complexidade, pretendo dar continuidade a este tema, nos próximos artigos…

images (1).png

 

publicado por Maribel Maia às 14:26

08
Ago 16

Neste mês de férias escolares, em que a escola é esquecida por longos dias, muitas crianças desejam afastar-se completamente dos estudos e de tudo o que se pareça com isso. Contudo existem muitas horas perdidas, sem nada para fazer e muita vontade de sentar horas em frente a um ecrã… cabe aos educadores procurarem dosear estas férias em momentos de desenvolvimento e aprendizagem… para tal, nada mais fácil do que incutir o gosto e o prazer da leitura.

Com a leitura toda a criança/jovem, sai do seu espaço e viaja por mundos distantes e desconhecidos, abre portas e horizontes de uma imaginação viva e de uma criatividade única… ler é um espaço de liberdade e de conhecimento a que todos devem ter acesso e gosto! Podem comprar-se livros novos ou usados… podem ler-se os de casa, ou os requisitados na biblioteca, podem emprestar-se e pedir emprestado… o importante é ler!

Beneficios-da-Leitura1.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 15:34

07
Jul 16

O meu gosto pela leitura sempre se revelou mais durante as férias de verão, o tempo livre levava-me a pegar num livro, como quem não sabia bem se o queria ler, e depois de começar, passava horas a ler, com o desejo de chegar ao fim da aventura.

Aos pais cabe-lhes um papel incentivador, apoiando a leitura, sendo um exemplo, enquanto leitor e, acima de tudo ajudar na escolha dos livros, que podem ser comprados ou emprestados pela Biblioteca mais próxima.

Aqueles que estão em dúvida sobre que livros escolher, podem ler um Post anterior, onde realizo algumas propostas: http://educarcomvida.blogs.sapo.pt/livros-para-jovens-quais-4536.

 

10646669_1104454082915710_8802326417108154608_n.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 14:07

16
Mai 16

Nos primeiros anos de escola as crianças adoram ouvir contar histórias, principalmente se essas histórias trouxerem a fantasia e a animação. Nesta idade em que a criatividade e a imaginação não tem limites, vale a pena incutir, através de belas histórias os valores morais corretos, para se viver feliz na sociedade atual. Ouvir histórias desperta também o interesse pela leitura e pela escrita, que deve ser incentivada desde os primeiros anos de escola!

Estas histórias podem ser contadas todas as noites, antes de adormecer, aos fins de semana, para relaxar, em momentos de lazer, porque faz parte do brincar…

Para além do ouvir, muitas crianças gostam de apreciar as imagens dos livros, brincar com os livros Pop Up (que apresentam imagens com efeitos tridimensionais). Outra forma bastante criativa e motivadora são os Contadores de Histórias que utilizam bonecos e muita interação com as crianças, o que desperta ainda mais a atenção e o entusiasmo… estes profissionais podem ser encontrados em sessões realizadas em bibliotecas, livrarias, ou festas dedicadas aos mais novos, com o conceito de ‘Hora do Conto’ e, muitas vezes, de forma gratuita. 

Aos Pais: quem sabe não descobrem essa vocação de contadores de histórias, adormecida???!!!

DSC05752.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 11:10

Setembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
13
14
16

17
18
20
22
23

24
25
26
27
28
29
30


mais sobre mim
pesquisar
 
subscrever feeds
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO