Com um olhar pluridimensional sobre a EDUCAÇÃO, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida... este é um convite para conversar sobre educação.

17
Nov 16

Muitos pais apresentam-se preocupados com a educação escolar ainda na pré-escola, desejando que ao frequentarem este ensino já muito seja ensinado às crianças sobre as letras, os números, etc… pois apresentam muitos receios de que a criança se atrase no desenvolvimento e na lógica da aprendizagem…

Sobre este assunto, muito se discute e muito já se investigou… na minha opinião, o melhor ensino que um pré escolar deve ter passa pelo despertar da imaginação e da criatividade, pelo gosto em descobrir e saber. Essa motivação está nas diversas brincadeiras preparadas pelas educadoras, pois, «na educação infantil a criança precisa e necessita de brincar, porque o brincar assume um papel importante na construção do conhecimento e no desenvolvimento infantil, levando a criança a explorar o mundo à sua volta, descobrir e compreender a si mesma e seus sentimentos» (In: A Página da Educação: 2003). 

Nunca podemos esquecer que, foi necessário respeitar o tempo em que a criança começou a falar, ou seja, quando o cérebro se desenvolveu para tal atividade, o mesmo é necessário fazer para aprendizagens mais complexas, como o escrever ou o contar… até porque «experiências mostram que as crianças que chegam já alfabetizadas enfrentam problemas como cansaço, desmotivação, desinteresse, violência para com seus colegas e stress.» (In: A Página da Educação: 2003).

A sociedade deve, portanto, estar muito alerta para a necessidade do conceito Brincar, como momento de desenvolvimento cognitivo e emocional preponderante em determinados Estádios de Desenvolvimento.

14264161_845738722192406_6610137484673795455_n.png

 

publicado por Maribel Maia às 14:10

11
Mar 16

Após 162 Post's e 355 comentários, neste Blog... numa conversa reflexiva sobre Educação, chego aos mais de duzentos seguidores... Não poderia deixar de assinalar mais esta etapa conseguida neste 'mundo cibernético' chamado de Blogosfera!

Assim, aos meus seguidores, aos leitores (mais ou menos assíduos) aos visitantes.... aos que lêm e aos que comentam o que aqui partilho, os meus sinceros Agradecimentos, é esta interação diária que me faz voltar a escrever, a pesquisar, a partilhar e a refletir.... sem vocês, nada disto, seria tão gratificante!

Um obrigada bastante carinhoso, para todos/as!

to_blog_or_not_to_blog.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 15:56

07
Jan 16

Principalmente na disciplina de Língua Portuguesa, os estudantes são confrontados com a necessidade de, em cada ficha de avaliação, realizarem uma composição sobre um tema pré-definido, tendo de escrever uma média de 90 a 120 palavras. Se para alguns estudantes a imaginação é o ponto de partida para a escrita, para a maioria é a primeira dificuldade… imaginarem o início e o desenlace da história, de forma criativa e bem estruturada torna-se tarefa difícil.

Antes de referir alguns tópicos de apoio a esta temática, afirmo o princípio fundamental para desenvolver tais competências: escrever….escrever…(re)escrever…e ler…ler….muito! O treino constante de leitura e de escrita é imprescindível para melhorar, significativamente, esta capacidade!

Para além desta primeira orientação, proponho:

- Usar o dicionário sempre que, na leitura, não se entenda determinada palavra;

- Usar as palavras novas sempre que possível, quando se descobrem novas palavras deve-se tentar utiliza-las nas conversas e na escrita, de forma a memoriza-las;

- Não é obrigatório escrever verdades… nos livros de histórias existem fadas, duendes, dragões e feiticeiros, portanto, quando escrevemos as nossas composições podemos criar a nossa história encantada de príncipes e princesas;

- Ter em conta o que é pedido no enunciado da composição, se solicita a escrita de uma carta, de um poema, de uma notícia… todas elas obedecem a regras de base que devem ser seguidas;

- Deixar a escrita do título para o final para que este concorde do todo o texto;

- Procurar não fugir ao tema solicitado no decorrer da escrita e manter a lógica de: introdução/desenvolvimento/conclusão;

- Podem recorrer primeiro ao desenho, como organização mental da construção histórica e de seguida, com o apoio do desenho, escrever…

 

Acredito que, para os leitores que gostem de escrever e ler, seja muito mais fácil produzir os seus próprios textos e incentivar, os mais pequenos, a fazê-lo também… contem-me as vossas experiências!

images (18).jpg

 

publicado por Maribel Maia às 16:56

02
Jan 16

Hoje faz, precisamente, um ano que abri as minhas palavras a este Blogue… no início tudo era um mundo novo, apenas publicava os textos, sem saber se alguém lhes daria importância… depois, fui lendo outros Blogues e percebendo proximidades e cumplicidades entre Blogger’s… aos poucos tentei perder a timidez e comecei a trocar comentários e conversas… certo é, que este caminho ainda está no começo, mas já surgem algumas visitas e comentários constantes… não sei o que me reserva o futuro cibernético neste Blog (com)Vida, mas gostaria de continuar a escrever algo que valesse a pena ler, que valesse a pena comentar…refletir… partilhar…

Agradeço-vos a todos os leitores e colegas blogger’s a simpatia e a atenção que facultam a cada um destes meus Post’s… OBRIGAGA!

aniversario.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 18:01

09
Nov 15

Diálogo entre mim e um/a estudante de 2º ciclo:

«Eu: _ No início do ano demoravas muito tempo a escrever porque querias mudar a letra… agora (fim do ano letivo) estás a escrever muito mais rápido!

Estudante: _Pois é, eu quando mudei de escola recebi um postal de um/a colega com uma letra que eu gostei muito e quis fazer igual…. Fui tentando, tentando… e comecei a desenhar letras novas…mas ainda queria mudar algumas…

Eu:_ Mas agora escreves muito mais rápido!

Estudante: Habituei-me!»

 

Quando as crianças entram no 1º ciclo e começam a aprendizagem da escrita, professores e pais ficam atentos e preocupados com a beleza das letras e a sua legibilidade, já que esta é uma característica muito própria de cada pessoa e irá acompanhá-la para toda a vida.

No entanto, o desenho é algo que se aperfeiçoa com o tempo e empenho, basta existir vontade e trabalho. Neste sentido, muitas crianças, em determinado momento do seu percurso escolar decidem alterar a sua letra, deixar para trás a forma como aprendeu na escola primária e passar a escrever com nova datilografia, (o que muitos chamam de ‘escrita à máquina’). Esta atitude é tomada, principalmente, por crianças que frequentam entre o 5º e o 7ºano… pela minha experiência, assumo que esta atitude deve ser seguida e incentivada pelos educadores pois, para além de mostrar dedicação dos estudantes, na quase totalidade dos casos, a letra torna-se mais legível, bonita e com o treino, mais rápida e fluída.

images (25).jpg

 

 

publicado por Maribel Maia às 11:39

Novembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
14
15
17
18

19
21
24
25

26
27
28
29
30


mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO