Com um olhar pluridimensional sobre a EDUCAÇÃO, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida... este é um convite para conversar sobre educação.

23
Jun 16

Conversa entre mim e um/a estudante:

«Eu: _Tu estás sempre inquieto/a e ansioso/a, depois esqueceste de algumas palavras ao escrever…

Estudante: _ Pois... sou…

Eu: _Tens de te acalmar… tenho a certeza que prejudicas as tuas notas por isso, conseguias ainda melhores resultados!

Estudante:_ Se calhar… mas não consigo… a minha mãe já me deu comprimidos mas não adiantou…

Eu: _ Tens de usar a cabeça para tentar controlar isso…»

 

Muito se fala na comunidade educativa sobre a Hiperatividade, conceito, de certa forma, recente, mas que inquieta muitos pais e professores. Neste sentido, trazer aqui o tema, é talvez apresentar algo para muitos leitores bem conhecido, tornando-se pertinente agradecer os testemunhos que poderão, aqui partilhar, sobre a Hiperatividade: experiências, estratégias, opiniões, etc…

 

A Hiperatividade define-se como um estado excessivo de anergia física ou mental, que pode ocorrer em criança ou adulto e em qualquer situação de vida, sem que disso advenha necessariamente algum problema. Contudo, se este estado for avaliado como prejudicial para uma boa qualidade de vida para o indivíduo e/ou para a família deverá refletir-se sobre formas de controlo.

Este estado de hiperatividade interfere, muitas vezes, com o conceito de ensino-aprendizagem, pois provoca, grande parte das vezes, desatenção e dificuldades no cumprimento tarefas na criança hiperativa.

 

como-ensinar-uma-criana-com-tdah-3-728.jpg

 

 

 

publicado por Maribel Maia às 15:52

26
Mai 16

Quantas vezes estava a conversar com uma criança e ela fez-lhe uma pergunta que o/a deixou de boca aberta? Apenas quem não convive com crianças não se queixa de tal situação…tal como prometido, cá ficam as minhas sugestões!

Elas são peritas em fazer perguntas às quais não sabemos como adaptar a resposta à sua idade, ou porque nem sequer tínhamos pensado em tal situação… pois bem, primeiro comece por fechar a boca e depois, começar a refletir sobre a pergunta… a segunda fase é devolver-lhe a mesma pergunta, «_O que tu achas?». Esta atitude permite, aos adultos, perceber o grau de compreensão que a criança tem sobre o assunto e o que já entendeu, sendo assim o fio condutor da nossa resposta. A fase seguinte é não tentar explicar demasiado, já que a capacidade cognitiva de uma criança é limitada ao seu desenvolvimento, logo há que adaptar o discurso e as palavras à sua idade e às suas capacidades de discernimento.

Numa última fase, e se realmente não sabem a resposta à pergunta assumam a realidade… nenhum adulto sabe tudo…. Procurem perceber se realmente é uma pergunta que a criança deseja mesmo saber (se não é curiosidade de segundos), se assim for, vão os dois sentar-se com um livro na mão ou com o computador e procuram a resposta juntos… assim se despertam mentes curiosas e criativas!   

duvida2.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 11:22

23
Mai 16

No próximo Post darei algumas orientações sobre a forma de responder a perguntas ‘difíceis’ da pequenada… Por agora gostaria de deixar um desafio a quem diariamente convive com eles e, uma ou mais vezes, se viu com esta difícil tarefa: uma resposta!

Deixe-nos aqui algumas dessas perguntas: estranhas ou engraçadas que já vos colocaram… com certeza me ajudarão e aos outros leitores a preparar previamente as respostas, e a não nos sentirmos tão estranhos sempre que ouvimos perguntas ‘difíceis’ … para além de nos fazer sorrir muito….

Deixo aqui algumas que já ouvi:

«Tu queres ter filhos? Eu não….» (1º ciclo)

 

«O que é que havia, no Universo, antes de existir o Sol?» (2º ciclo)

 

«Sabes o que é uma Pita?» (1º ciclo)

 

«Será que para o ano já estarei da sua altura?» (2º ciclo)

 

«Jesus também dava puns?» (1º ciclo)

 

crianca_lider-3426977.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 10:51

26
Nov 15

Hoje publico mais um desafio, já fui nomeada a algum tempo, mas este tema continua bastante contemporâneo: a literatura. O desafio vem por parte do Blogue O Melhor Blog do Mundo, a quem agradeço a nomeação. O desafio é responder a questões sobre as minhas leituras... espero que gostem, pois de certa forma, acho que através deste meu prazer pela leitura, apresento muito do que sou!

 

Estou a ler: “Terra Amarga” de Joyce Carol Oates…

 

O meu livro favorito quando era pequena: em pequena eram vários os meus livros favoritos, comecei pelas leituras de BD do Tio Patinhas de seguida passei pela coleção “Uma Aventura…”  e segui caminho pela saga Harry Potter.

 

Estou ansiosa por ler: “Dentro do Segredo , Uma Viagem na Coreia do Norte” do escritor José Luís Peixoto… despertada pela curiosidade de conhecer uma cultura tão diferente e de refletir sobre os direitos da humanidade, num mundo atual.

 

Um livro que mudou a minha vida: “O Estranho Caso do Cão Morto” de Mark Haddon conta a história de uma criança com autismo e apresenta o mundo visto pelos olhos de alguém diferente, o que faz toda a diferença…

 

O meu livro favorito para dar como presente: de entre vários sublinho “O Alquimista” de Paulo Coelho que nos relembra que ‘se queres muito uma coisa, o universo conspira para que a tenhas’… este livro lembra a importância de seguir os nossos sonhos! 

 

O que está na minha mesa: de cabeceira? Três livros e o despertador…

 

Organizo a minha estante de acordo com: por livros técnicos e/ou por autor.

 

A minha livraria preferida: aquela que tenha um pequeno sofá, para eu me sentar por longos minutos a ler livros novos….

 

Adoro ler porque: Porque aprendi tanto… aprendo tanto! Porque me é permitido sair da minha realidade e entrar em mundos desconhecidos que me fascinam, que me inquietam e fazem refletir.

 

Um livro do qual nunca me vou separar: Posso separar-me dos livros, mas as histórias essas, das boas memória já não se separam… Contudo, os livros “O Principezinho” de Saint Exupéry e “O Regresso do Jovem Príncipe” de Roemmers são inseparáveis nos seus ensinamentos: ‘Se algum dia formos julgados a pergunta será o quanto amaste?…’ (Regresso do Jovem Príncipe).

 

 Se pudesses entrar num livro, que livro escolherias? Serias a personagem principal?

Escolheria o livro “Ensaio sobre a Lucidez” de Saramago, sendo apenas uma personagem secundária, mas que me fosse permitido vivenciar uma consciência política superior, em toda a sociedade!

 

 

Agradeço a leitura do Post e os comentários… às escolhas… aos livros…

P.S.: Como estamos próximos do Natal, se quiserem presentear mentes despertas, ofereçam livros!

 

Os nomeados a seguirem, também, este desafio são:

 

Alfurjas da alma 

 

Pequenos Encantos

 

Catarina Duarte

 

Pedro Carvalho 

 

l de livros.jpg

 

 

publicado por Maribel Maia às 14:20

Julho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
14
15

16
18
19
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


mais sobre mim
pesquisar
 
subscrever feeds
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO