Com um olhar pluridimensional sobre a EDUCAÇÃO, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida... este é um convite para conversar sobre educação.

09
Jun 16

Em Portugal apresentar negativas, no final do ano letivo, às disciplinas de Português, Matemática e outra, aponta para uma retenção escolar!

 

Na minha opinião, repetir o ano, nem sempre será sinónimo de sucesso escolar garantido no ano(s) seguinte(s).

Eu concordo que, um estudante que apresente dificuldades em várias disciplinas, que levem à retenção escolar, deve ser acompanhado num apoio ao estudo, paralelo à escola, onde se desenvolva planos de estudo adequados à necessidades apresentadas, de preferência de forma individualizada.

Para além disso, a vontade de melhorar resultados deve estar, também, muito presente e consciente no estudante, portanto os encarregados de educação devem conversar e discutir esta situação com a criança ou jovem, de forma a construir uma consciência positiva, relativamente à escola e ao conhecimento académico.

Para além disso, nas férias escolares de verão, devem-se já incutir objetivos de estudo, não como castigo, mas sim como motivação e interesse na autossuperação. Nesse sentido, não serão necessárias muitas horas de estudo diárias, basta uma hora diária a cada disciplina, por semana, desde que, o estudo seja realizado com altos níveis de concentração e empenho. Este estudo pode ser realizado autonomamente ou acompanhado, de acordo com as necessidades apresentadas.

Finalmente, lembrar que, um estudante retido é um estudante que necessita de um apoio especial, por parte de toda a comunidade educativa.

falhei-ta.png

 

publicado por Maribel Maia às 15:20

7 comentários:
Há aquelas crianças que ficam retidas e que, no ano seguinte, se esforçam, muitas vezes em conjunto com os próprios pais e novos professores, para melhorar e seguir o percurso escolar.
Infelizmente, alguns jovens que ficam retidos encaram o novo ano lectivo, e esta nova oportunidade, sem qualquer interesse, repetindo os mesmos erros, baldando-se às aulas e pouco querendo saber se voltará a ter negativas ou não.
E, assim, vamos tendo numa escola que deveria acolher alunos dos 9/10 anos aos 13/14 anos, alunos com 16, 17 e até 18 anos.
marta-omeucanto a 9 de Junho de 2016 às 16:41

Isso acontece quando as crianças e jovens não encontram sentido algum na escola.... quando não aceitam pensar que a escola possa trazer algo de bom para as suas vidas... mudar tal pensamento, a estes estudantes, é tarefa difícil, mas que cabe a toda a comunidade educativa (pais, professores, sociedade...).

É verdade.
Tenho dois casos de repetentes na turma da minha filha que, este ano, iam à escola não para ir às aulas, mas para estar no bar com os amigos, só assistindo às aulas quando queriam e com pouca vontade de fazer alguma coisa.

Muito bem concordo com todos os pontos!!
omeumaiorsonho a 9 de Junho de 2016 às 23:20

Muito obrigada pela partilha!!!
Maribel Maia a 11 de Junho de 2016 às 14:29

Bom dia.
Absolutamente verdade! Por que deveria haver sucesso no ano seguinte quando se fracassou no anterior? A matéria é a mesma.
Ter dificuldade numa ou noutra disciplina é normal e aceitável, mas se for um aluno trabalhador com uma ajuda dos pais ele acaba por conseguir e passa na mesma, se não com um cinco nessa disciplinas mais difíceis para ele, com um quatro ou um três.
O aluno que tem necessidade de repetir o ano ou é preguiçoso ou algo de muito mau se passa no seu ambiente familiar.
Agora sei que vou abusar, mas o assunto proporciona-se e sempre que me surge uma oportunidade lá venho eu, avô babado, falar na minha Princesa. Penso que foi caso único, pelo menos na escola dela os professores não conhecem outro igual.
Desde que entrou para a escola até sair dela com o quarto ano feito, nunca tirou um Bom e sempre tudo Muito Bom a todas as disciplinas. Sempre cinco a tudo em todos os anos.
Agora no colégio não é bem igual e de vez em quando lá baixa numa ou noutra disciplina para um quatro, mas considero normal, acho. Fez doze anos e o cabelo e a apresentação pessoal começam a fazer parte das suas prioridades.
Em todo o caso pode bem ser do ambiente do colégio, e este ano já sai dele e volta para o público.
Desculpe a narrativa, mas quando falo dela perco-me.
Desejo-lhe um excelente fim-de-semana.
Corvo a 10 de Junho de 2016 às 11:33

Adoro estes comentàrios de avô babado... todas as crianças merecem esse carinho e cuidado, de toda a família!!! Muito obrigada.
Maribel Maia a 11 de Junho de 2016 às 14:33

Junho 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
15
17
18

19
21
22
24
25

26
28
29


mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO