Com um olhar pluridimensional sobre a EDUCAÇÃO, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida... este é um convite para conversar sobre educação.

29
Jun 17

Se os pais permitem ter um animal de estimação vão certamente realizar uma boa conversa sobre esse assunto, com o estudante, de forma a consciencializa-lo, responsabiliza-lo e alerta-lo sobre todos cuidados e mudanças de rotina que os donos terão de assumir.
O estudante, independentemente da idade, começa a concretizar melhor essa noção a partir do momento em que o animal chega a casa e incluísse como fazendo parte da vida familiar. A partir deste momento cria-se uma clara noção de que todas as atitudes têm consequências e é imprescindível agir, cuidar, proteger, porque o animal reage a todos os estímulos.
Para além desta noção obvia de responsabilização e sensibilização, o conviver e cuidar de um animal de estimação apresenta os seguintes benefícios:

Apoia o desenvolvimento emocional: através da cumplicidade, afeto e carinho recíproco entre criança e animal.
Apoia o desenvolvimento social: saber que cuidados ter para com o seu animal e para com o das outras pessoas
Menor risco de doenças alérgicas: bebés até aos 12 meses que contatem com animais apresentam maior resposta imunitárias às alergias.
Promove o exercício físico: Correr e brincar com um cão ou gato é, para além de um relacionamento de carinho e cumplicidade, grande promotor exercício físico e atividade motora, essencial ao crescimento.
Transmissão de serenidade: ver um peixe a nadar, um gato a dormir… transmite calma à agitação do dia a dia.
Oferece experiências de amor: proporciona o despoletar de sentimentos únicos e profundos de afeto.


Se concorda que as dificuldades de ter um animal são superadas por todos estes benefícios, comece a pensar em que animal seria ideal para a sua família…

205510_359886990774810_1581293696_n_large.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 14:26

8 comentários:
Algo que eu considero mesmo muito importante! =)
Beijinhos
Chic'Ana a 29 de Junho de 2017 às 14:45

É verdade... e existem tantos animais para escolher, em função das necessidades de cada família....
Maribel Maia a 29 de Junho de 2017 às 14:56

Eu tive um pintassilgo dos 5 aos 12 anos que era o meu grande companheiro de brincadeira.
Marta Elle a 29 de Junho de 2017 às 14:57

E os animais, por vezes, são os melhores amigos das crianças!
Maribel Maia a 29 de Junho de 2017 às 16:24

Nós tivemos a Tica. Quando ela faleceu, fomos buscar duas meninas - a Becas e a Amora. Apesar de ter uma filha, na altura com cerca de 8 anos, agora com 13, somos nós, adultos, que mais apaixonados somos pelas gatas, e foi mais por nós que por ela, que as adoptámos.
Quando colocámos a hipótese de adotarmos uma cadelinha que conhecemos, a minha filha nem ligou. Nós, adultos, é que ainda hoje nos sentimos tentados.
Mas ter duas gatas já é uma grande responsabilidade. Se não conseguimos proporcionar um tratamento semelhante, a todos os níveis, não vale a pena avançar.
marta-omeucanto a 29 de Junho de 2017 às 16:36

Existem crianças que valorizam mais do que outras.... mas, realmente, cabe aos adultos responsabilizarem e responsabilizarem-se por todos os cuidados... até porque é necessário algum suporto financeiro e emocional para cuidar de animais!
Maribel Maia a 29 de Junho de 2017 às 16:46

Talvez porque a "doida" dos animais seja eu, e eles sempre tenham tido poiso aqui em casa, que o meu filhote não é de ligar muito. Já deu como dado adquirido 😁😉
golimix a 5 de Julho de 2017 às 08:14

Mesmo ele não ligando muito, aprendeu desde cedo a respeitar os animais, por sua influência, e isso é excelente!

Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
15
16
17

18
20
21
23
24

25
28
30


mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO