Com um olhar pluridimensional sobre a EDUCAÇÃO, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida... este é um convite para conversar sobre educação.

25
Set 17

Numa das minhas pesquisas de (in)formação profissional encontrei um Memorando que me parece muito adequado e útil às famílias e aos demais educadores, para os momentos em que definimos estratégias de ação educativa.

Embora seja raro, hoje a escrita não é de minha autoria, mas de outra autoria, que me parece bastante interessante e que, portanto, parilho….. espero que também vos pareça interessante!

 

Memorando de um filho aos pais

«Queridos mãe e pai:

Não me estraguem com mimos. Eu sei perfeitamente que não vou receber tudo aquilo que peço. Estou apenas a testar-vos.

Não se inibam de ser firmes comigo. Eu prefiro, dá-me segurança.

Não me deixem criar maus hábitos. Eu confio em vocês para os detetarem atempadamente.

Não me façam sentir mais pequeno do que sou. Isso faz com que me comporte de uma forma “estupidamente adulta”

Se for possível, não me corrijam à frente das outras pessoas. Prestarei mais atenção se falarem comigo calmamente e em privado.

Não tratem os meus erros como se fossem pecados. Isso altera o meu sentido de valores.

Não me protejam de consequências. Às vezes preciso de aprender da maneira mais dolorosa.

Não se preocupem quando eu digo “Odeio-te”. Eu não vos odeio, apenas odeio o poder que têm de me fazer sentir frustrado.

Não deem muita importância às minhas pequenas queixas. Às vezes fazem com que consiga a atenção que preciso.

Não sejam chatos. Se forem vou ter de me proteger e fingir que sou surdo.

Não se esqueçam que eu não me consigo explicar da forma que queria. Por isso é que nem sempre sou explícito no que digo.

Não me ignorem quando faço perguntas. Se o fizerem, vão perceber que vou deixar de vos perguntar, e começar a procurar informação noutro sítio.

Não sejam inconsistentes. Confunde-me e faz-me perder a fé em vocês.

Não me digam que os meus medos são ridículos. Para mim são reais e vocês podem fazer muito para me tranquilizar, se tentarem percebê-los.

Nunca sugiram que são perfeitos e infalíveis. Quando descubro que nem uma coisa nem outra são verdade, fico magoado e desiludido.

Nunca pensem que pedir-me desculpas os torna menos dignos. Um pedido de desculpas sincero vai-me fazer sentir muito mais próximo de vocês.

Não se esqueçam que gosto de experimentar coisas. E não consigo fazê-lo sem o vosso apoio. Envolvam-se e criem limites.

Não se esqueçam que eu estou a crescer a uma velocidade incrível. Eu sei que deve ser difícil acompanhar o ritmo, mas por favor, tentem.

Não se esqueçam que eu não consigo crescer sem muito amor e compreensão… mas não preciso de vos dizer, pois não?

Por favor, cuidem de vocês. Mantenham-se saudáveis e em segurança. Eu adoro-vos e preciso de vocês

 

(The Message International, June 1991 – pág. 40) Traduzido e adaptado por Up To Lisbon Kids®

 

Imagem relacionada

 

publicado por Maribel Maia às 10:46

8 comentários:
Que texto lindo ♥️
Compreendo perfeitamente a razão da tua partilha 😍
mami a 25 de Setembro de 2017 às 10:51

Também gostei muito! Vale a pena ler!
Maribel Maia a 25 de Setembro de 2017 às 10:58

Concordo com tudo.
Marta Elle a 25 de Setembro de 2017 às 11:40

Obrigada!
Beijinhos
Maribel Maia a 25 de Setembro de 2017 às 12:37

Adorei ❤
A Desconhecida a 25 de Setembro de 2017 às 18:53

Que bom!
Maribel Maia a 25 de Setembro de 2017 às 19:10

Muito bom! Nós bem tentamos, mas há sempre algo que falha!
A rapariga do autocarro a 26 de Setembro de 2017 às 14:32

A família não precisa de ser perfeita, apenas interessada e dedicada! Penso eu...
Maribel Maia a 26 de Setembro de 2017 às 15:00

Setembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
13
14
16

17
18
20
22
23

24
26
27
29
30


mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO