Com um olhar pluridimensional sobre a EDUCAÇÃO, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida... este é um convite para conversar sobre educação.

01
Fev 16

A oferta de serviços de explicações é, cada vez maior e mais variada, facilmente encontramos centros de estudos, explicadores e ATL’s que proporcionam formas de estudo individualizadas ou em grupo. Com o propósito de apoiar as aprendizagens realizadas na escola. Muitas vezes, estes espaços são também lugares de ocupação de tempos livres e cuidadores, nos horários laborais dos pais, proporcionando transporte e alimentação, para além do apoio nos trabalhos de casa e na preparação para testes. Estas são, portanto, ofertas variadas e que têm de ser escolhidas de acordo com a capacidade financeira de cada encarregado de educação.

Através da minha experiência e dos vários relatos conhecidos, é sabido que as explicações mostram melhorias nos resultados escolares e são âncora segura para pais e estudantes no caminho para o sucesso escolar. Tal situação poderá levar a novas reflexões no âmbito das desvantagens e desigualdades sociais no acesso e sucesso escolar, já que, nem todas as famílias podem sustentar este apoio pago!

Neste sentido, algumas questões se levantam: serão as explicações mais uma poderosa ferramenta escolar, só para os estudantes de famílias que as possam pagar? Existirá angústia permanente de pais, com baixos rendimentos, por não poderem pagar explicações aos filhos?  

img-45-340820-original-01.jpg

 

publicado por Maribel Maia às 15:03

12 comentários:
Penso que essa oferta deveria partir da própria escola, de forma a não haver essa eventual desigualdade.
Na escola da minha filha, para além do horário normal, existem aulas de apoio ao estudo de português, matemática, história e inglês, pelo menos no 5º e 6º ano, dirigidas a todos os alunos propostos pelos professores das disciplinas, e que apresentam mais dificuldades.
Este ano, para além dessas aulas de apoio, e como teriam que se preparar para os exames (que entretanto já não vão fazer), foram criadas mais duas aulas extras, de matemática e português, dirigida a todos os alunos que quisessem frequentar.
marta-omeucanto a 1 de Fevereiro de 2016 às 18:53

Concordo! Contudo, se a oferta de escola apresentar um grande grupo de alunos no apoio ao estudo e muito similar à escola, talvez não se consiga realizar o trabalho individualizado necessário a colmatar as falhas específicas de cada estudante!

O apoio ao estudo a quem tem mais dificuldades é, geralmente, proposto pelos professores. Já o outro, é para todos os alunos que queiram. Uma das situações exposta foi precisamente a do número de alunos, porque se forem 6 ou 7, o professor pode tirar as dúvidas e dar um maior apoio a cada aluno, mas se forem quase tantos quantos os alunos da turma, o professor não consegue ajudar individualmente, e o apoio acaba por não corresponder à finalidade pretendida.
Pior ainda, é quando se faz nessas aulas de apoio,a que só alguns alunos vão, aquilo que deveria ser feito na aula normal. Já chegou a acontecer numa aula de apoio de matemática, a professora corrigir os trabalhos de casa, e dizer que aqueles que não têm apoio podem ir ver às soluções.

São, realmente, exemplos como esses que põe em causa o apoio, já que cada caso é um caso, e só se colmatam falhas com um apoio individualizado... na minha opinião!
Maribel Maia a 3 de Fevereiro de 2016 às 12:24

Eu acho que sim.
Vejamos os pais que tem possibilidades caso não consigam ensinar a matéria ou não tenham tempo e disponibilidade para tal, deixam o filho num ATL ou tem um explicador que vai lá a casa. E é uma grande ajuda e mais valia para o aluno se bem aproveitado.

Já outros casos que vejo claramente que a criança beneficiaria de ATL com explicação, porque os pais acabam aos gritos porque nem eles conseguem entender a matéria e gritam porque frustração... acaba por não ajudar nada nem ninguém. ATLS não isso é coisa de rico... e depois dão a desculpa que já tem apoio escolar na escola, mas que apoio escolar é esse se o aluno continua a tirar más notas, e estou a falar de uma menina de 8 anos na 3º classe que tira negas a tudo.
Niki a 2 de Fevereiro de 2016 às 09:41

Tem razão, sublinho o que disse: 'quando é bem aproveitado'... eu vejo que as Explicações apresentam bons resultados quando são individuais, adaptadas às especificidades e dificuldades do estudante e quando o estudante realiza também um estudo autónomo, em casa...
Obrigada pela partilha de opinião!

Acho que as explicações na escola deveriam estar acessíveis a todos os alunos, independentemente do nível social...
Chic'Ana a 2 de Fevereiro de 2016 às 11:17

E em pequenos grupos para serem mais individualizadas.
Maribel Maia a 2 de Fevereiro de 2016 às 11:22

É bem provável que haja muitos pais que gostariam de dar esse apoio aos filhos e certamente não tem hipóteses de o fazer
omeumaiorsonho a 2 de Fevereiro de 2016 às 22:53

Também me parece... e lamento imenso estas dificuldades que tornam o acesso ao ensino desigual...
Maribel Maia a 3 de Fevereiro de 2016 às 12:19

acho que sim.
Tive necessidade de explicações e não por más notas mas porque uma professora em vez de dar matéria falava da vida pessoal, isto em química de 12 º ano, podia ter-me custado a entrada na faculdade e eram bem caras. Quase toda a turma tinha explicação, os que não tinham viram as notas coladas ao 10 ou negativas...

O exemplo que apresenta é, realmente, um caso de desigualdade social... ainda bem que foram bem aproveitadas!
Maribel Maia a 4 de Fevereiro de 2016 às 14:10

Fevereiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
16
17
19
20

21
23
24
26
27

28


mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO