Com um olhar pluridimensional sobre a EDUCAÇÃO, pretendo orientar educadores e estudantes neste caminho vivido tão intensamente... um caminho onde se ensina e se aprende em cada momento de vida... este é um convite para conversar sobre educação.

19
Mai 16

«_ Diz-me, Aimeé. Desde que vieste para a nossa escola, já tinhas visto anteriormente outros casos de ‘copianço’?

Assenti com a cabeça, sim….» (Oates, Terra Amarga: 2014)

 

Pensei em escrever sobre o Fazer Cábulas/Copianços e, tal como faço muitas vezes, antes de começar a escrita vou pesquisar sobre o tema em livros ou on-line… na pesquisa on-line reparei na quantidade de informação sobre como fazer cábulas/copianços de fácil acesso… percebi, ainda melhor, o quanto é tentador para os estudantes tentarem seguir este caminho na concretização de fichas de avaliação.

Os estudantes raramente assumem que levaram cábulas para os testes, mais facilmente assumem que perguntou ou copiou do colega, durante a realização deste. Contudo e após uma maior confiança, alguns estudantes já me confirmaram que utilizaram ou têm essa motivação em alguns momentos, principalmente quando existem partes da matéria que é necessário decorar… seja por receio de não o conseguirem fazer na totalidade, seja por não terem vontade alguma de o fazer!

Nestes momentos procuro de imediato faze-los perceber e decorar essas matérias, por vezes recorrendo a mnemónicas, procurando dissuadir, assim, este desejo inicial.

Para além disso, sempre que o estudante me propõe conversar sobre o tema, procuro explicar-lhe a gravidade da situação de ser apanhado a copiar e a injustiça para com os colegas…  além disso existem matérias que voltaram a ser necessárias novamente para outros estudos e, portanto, quanto mais rápido a aprendizagem melhor.

Muito mais ainda poderia referir sobre este tema, tão ‘tabu’ na comunidade escolar, contudo, e por esta razão, questiono-me se será um tema que interesse ao leitor ler e refletir!?

15730932_jzUY2.jpeg

 

 

publicado por Maribel Maia às 14:07

8 comentários:
Essa da bolacha é de génio. Bom post!
fashion a 19 de Maio de 2016 às 14:30

Contudo, assumo que não é nenhuma proposta... não concordo com nenhuma forma de copianços.... mas que anda por aí muita originalidade, lá isso anda!

Nunca me lembraria de fazer cábulas numa bolacha! lolol
Mas sim, há quem incentive as cábulas, porque para as fazer há que estudar e portanto acabam por memorizar não necessitanto das mesmas.
Beijinhos
Chic'Ana a 19 de Maio de 2016 às 14:37

Bem verdade!
Em muitas disciplinas os copianços de pouco ou nada servem, também...

Quando eu andava na escola tinha por hábito fazer apontamentos da matéria dada. Como queria ocupar o mínimo de folhas, fazia a letra minúscula. E os meus colegas estavam sempre a querer aproveitar esses apontamentos para usar como cábulas!
Uma das minhas professoras de história, para evitar cábulas ou copianços, afastava ainda mais as secretárias, e passava o tempo todo a passar pelos alunos e vigiar.
Uma vez, aconteceu-me uma situação curiosa, da qual só me safei porque a professora nos conhecia bem. Tinha ao meu lado uma colega que tinha dificuldades em francês e, por isso, copiou por mim. Quando a professora entregou os testes pediu-nos explicações, porque as respostas estavam exactamente iguais. Ela sabia quem tinha copiado por quem, ms queria ouvir da nossa boca. Fizemos as duas um novo teste e infelizmente, a minha colega teve uma nota má, enquanto que eu mantive a que tinha.
Eu considero que é a forma como os testes são apresentados aos alunos, e a importância que é dada aos mesmos, que os leva a querer fazer cábulas ou copiar, para não tirar má nota. Há matérias que têm que ser mesmo decoradas. E nem todos têm a mesma facilidade em memorizar. Não haverá outra forma de os alunos apreenderem essa matéria? No entanto, quer-me parecer que quem mais recorre a estes métodos são os que não querem perder tempo a estudar ou perceber a matéria.
marta-omeucanto a 19 de Maio de 2016 às 19:08

Os estudantes que têm mais dificuldade em memorizar devem procurar métodos específicos que o auxiliem nesse processo e procurar fazê-lo com tempo, pois também conseguirá...
Concordo que, quem procura copiar não é porque apresenta dificuldades, mas porque não se quer dedicar ao estudo!

Quando estudava,nunca fui amiga de copiar por outros ou fazer cábulas,simplesmente era contra isso e sempre fui contra isso!!
sandranadadeespecial a 25 de Outubro de 2016 às 02:36

Pois, a copiar nada se aprende...
Maribel Maia a 25 de Outubro de 2016 às 15:30

Maio 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

15
17
18
20
21

22
24
25
27
28

29
31


mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO